CUSTOS

Como incluir despesas fixas no preço final

Comerciantes podem calcular quanto as despesas representam do volume de vendas ou quanto elas representam do custo das mercadorias.

Os empresários do comércio não devem se esquecer de incluir os valores das despesas fixas nos preços dos produtos e, ainda assim, manter preços competitivos. Dois caminhos são apropriados aos pequenos comerciantes:

1. Distribuir (rateio) as despesas fixas no custo utilizando como base o volume de vendas

É preciso apurar quanto as despesas fixas representam das vendas. Isso é feito assim: total anual de despesas fixas ÷ total anual de vendas x 100.

Essa conta indica o percentual que as despesas fixas representam das vendas. Quando aplicado sobre o preço de venda, encontra-se o valor (em reais) que poderá ser somado aos demais custos e despesas para chegar ao custo total das mercadorias.

Você também poderá decidir se aplicará em todas as mercadorias esse mesmo percentual ou se irá aplicar percentuais diferentes para determinadas mercadorias. Isso depende das estratégias de preços ou de vendas que a empresa irá adotar.

Vamos ver um exemplo:

Valor total das Despesas Fixas (anual) = R$ 36.000

Valor total das Vendas (anual) = R$ 240.000

Despesas Fixas sobre as Vendas = (R$ 36.000 ÷ R$ 240.000) x 100

Despesas Fixas sobre as Vendas = 15%

Esse percentual indica quanto deverá ser considerado no preço de venda da mercadoria para ajudar a pagar as despesas fixas. Porém, por questões de concorrência de preços, pode ser necessário aplicar 13% em algumas mercadorias e 17%, em outras. É a estratégia da empresa no momento que determina por quanto cada mercadoria será vendida. Sobre formação do preço de venda, você pode procurar o Sebrae para mais orientações.

2. Distribuir (rateio) as despesas fixas no custo, utilizando como base o valor dos custos das mercadorias

Primeiro, é preciso determinar quanto as despesas fixas representam do valor total estocado e depois atribuir isso ao valor de custo unitário das mercadorias. Portanto, a conta fica assim:

Total anual de despesas fixas ÷ valor total anual de estoques x 100.

Por exemplo:

Valor médio em estoque (anual) = R$ 200.000.

Valor médio das despesas fixas (anual) = R$ 36.000.

Despesas fixas sobre o valor de estoque = (R$ 36.000 ÷ R$ 200.000) x 100.

Despesas fixas sobre o valor de estoque = 18 %.

O valor do estoque é igual à quantidade de mercadorias estocadas multiplicada pelo valor de custo de cada uma delas. Caso necessário, procure mais informações sobre como administrar estoques. Assim:

Valor de custo da mercadoria + % das despesas fixas sobre valor de custo (valor em estoque).

Fique atento, pois, em qualquer um desses caminhos que demonstramos para distribuir o valor das despesas fixas aos preços das mercadorias, tanto o valor de estoque quanto o valor das despesas fixas têm de estar muito bem administrados. Se isso não ocorrer, podem ficar comprometidos os valores de custos das mercadorias e, por consequência, os respectivos preços de venda.

As empresas que estão iniciando ou que ainda não têm como apurar o total anual de despesas fixas e dos estoques precisam fazer projeções de vendas, compras e volume de estoques para chegar ao valor. E também prever em orçamento o valor total das despesas fixas.

Os meses em que as vendas são normais em quantidade e valor devem contribuir para pagar todos os custos do mês e ainda proporcionar sobra suficiente de recursos para ajudar a pagar os custos dos meses em que as vendas diminuem.

Outra questão importante são os investimentos na aquisição de equipamentos, móveis, veículos, computadores, instalações do prédio e vitrines etc. Do valor total desses investimentos, já pagos ou não, também é necessário apurar o valor mensal, que será considerado como a depreciação, relativo ao desgaste pelo uso. O valor da depreciação mensal deve ser somado com o total das despesas fixas para ser aplicado ao custo total das mercadorias.

Isso é necessário para termos nos preços de vendas um valor que possibilite a reposição desse investimento quando já estiver sem condições de uso.

Saiba mais

Conheça os cursos online do Sebrae na área de finanças.

Se necessário, procure a orientação de um especialista nos nossos Canais de Atendimento.

 

Nos ajude a melhorar este conteúdo! Avalie abaixo se o conteúdo foi útil ou não para você. Se não foi útil, nos diga o que ficou faltando para poder melhorá-lo!

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: