EMPREENDIMENTO COLETIVO

Loja colaborativa: o que é, como funciona, vantagens e como participar

Um dos modelos de negócio da economia colaborativa, esses empreendimentos estão revolucionando negócios e transformando o comércio e os serviços no mundo todo.

Economia colaborativa
  • Como funciona

A loja colaborativa é um modelo de negócio fundamentado nos princípios da economia colaborativa, que, por sua vez, nada mais é que o compartilhamento e a troca de serviços e objetos entre empresas. A principal vantagem é a redução de custos fixos, bem como o acesso a um bem ou serviço que individualmente seria mais difícil ou inviável.

A economia compartilhada já é uma realidade que está impactando os negócios de inúmeros setores e atividades produtivas. No setor de comércio dos pequenos negócios, a economia colaborativa destaca-se, principalmente, pela modalidade de loja colaborativa, um estabelecimento que comercializa produtos e serviços de diversas empresas.

A comercialização de produtos pode ser por meio de consignação ou por locação de espaço, que é o mais comum.

Como funciona
  • Economia colaborativa
  • Vantagens

A loja colaborativa funciona como um espaço físico coletivo, onde os empresários de pequenos negócios comercializam diretamente os seus produtos e serviços com as vantagens de uma loja física, sem terem que investir recursos em um ponto comercial próprio. Pela sua simplicidade e praticidade, o mercado colaborativo exige menos gastos.

Geralmente, as lojas colaborativas comercializam produtos de diferentes segmentos (como roupas, presentes, artesanatos, acessórios de decoração, utilidades domésticas, entre outros) e de diferentes pessoas em um mesmo local, com custos que podem variar de acordo com o tamanho do espaço utilizado pelos produtos.

No entanto, existe uma tendência de lojas especializadas em um segmento de público, como as de artigos para crianças (roupas, calçados, brinquedos e peças de enxoval e utensílios infantis).

Cada vez mais surgem lojas colaborativas que cobram apenas o aluguel de um box, local onde os produtos são expostos. O valor varia conforme o tamanho do espaço, estando incluso no custo alguns serviços, como o atendimento, a comercialização e a divulgação dos produtos.

Alguns estabelecimentos cobram, além do aluguel, os impostos incididos sob os produtos, como o ICMS, e, se necessário, as taxas relacionadas aos meios de pagamento, como cartão de crédito.

Também é crescente a tendência de lojas colaborativas de serviços, que ofertam, em um único espaço, serviços afins e complementares. Poe exemplo, lojas do ramo de beleza (cabeleireiros, massagistas, depiladores, maquiadores, dermatologistas etc.) que funcionam como espaços de coworking, onde freelancers e pequenas empresas prestam serviços sem precisar investir muito com aluguel de uma sala. Além disso, o modelo favorece o networking entre os profissionais que partilham o mesmo espaço.

Vantagens
  • Como funciona
  • Como participar

As principais vantagens e benefícios das lojas colaborativas são:

Para o expositores (ofertantes dos produtos e serviços)

As lojas colaborativas são uma alternativa vantajosa para os empresários de pequenos negócios compartilharem custos, divulgarem e comercializarem seus produtos e serviços, contribuindo para a fidelização de um público consumidor e, consequentemente, para a consolidação da marca ou imagem dos produtos ou serviços no mercado.

Essas vantagens são decorrentes dos seguinte fatores:

  • Menor custo de investimento para comercialização do produto ou serviço.
  • Menor custo de manutenção (água, luz, limpeza, vigilância internet, IPTU, entre outros).
  • Menor despesa com aluguel, pois o custo é dividido entre os expositores. Geralmente, se loca apenas um box dentro de uma loja.
  • Compartilhamento de despesas com funcionários (gerentes, vendedores, auxiliares administrativos).
  • Acesso aos melhores pontos comerciais. O custo de um bom ponto comercial é dividido entre todos os empresários participantes.
  • Compartilhamento de despesas de divulgação e promoção da loja.
  • Mais tempo para produção de bens e serviços. A comercialização via loja colaborativa não requer, necessariamente, a presença constante do empresário, que terá muito mais tempo para produção de bens e/ou serviços.
  • Maior disponibilidade de tempo para dedicação à outros canais de comercialização, como loja virtual e atendimento em domicílio
  • Possibilidade de parcerias e de networking entre os empresários que partilham o mesmo espaço.

Para os consumidores (clientes da loja colaborativa)

  • Acesso a produtos diferenciados, complementares ou substitutivos em um mesmo local.
  • Possibilidade de compras de produtos e serviços direto do produtor/fornecedor.
  • Possibilidade de um canal de comunicação e de relacionamento direto com produtor/prestador de serviço.

Para o lojista (proprietário da loja colaborativa)

  • Diminuição dos riscos de inadimplência, pela locação de um único espaço para vários empresários/negócios independentes.
  • Maior fluxo de clientes, em função da maior diversidade do mix de produtos e serviços e constante atualização dos mesmos.
  • Público diferenciado e fiel, em função do relacionamento direto com os fornecedores dos produtos e serviços ofertados.
  • Redução da sazonalidade de demanda, pela oferta de produtos distintos/diferenciados. O consumidor, por sua vez, pode ter acesso a uma diversidade de produtos exclusivos em um mesmo lugar e com atendimento direcionado, o que estimula a fidelidade.

Como participar
  • Vantagens

Cada loja colaborativa tem suas próprias políticas para a seleção de expositores. Os principais aspectos que devem ser observados na escolha de uma loja colaborativa são:

  • Conheça a loja colaborativa. Observe o movimento do local em dias e horários diferentes. Avalie o público consumidor dessa loja. Observe o perfil dos expositores. Converse com quem já participa desse modelo de negócio. Assim, será possível verificar a compatibilidade dessas características com o seu negócio.
  • Conquiste o cliente: a partir do perfil do público consumidor da loja colaborativa é possível elaborar estratégias para conquistar o cliente.
  • Defina onde e como seu produto será exposto. Escolha cuidadosamente o espaço que seus produtos vão ocupar na loja. O ideal são nichos médios.
  • Evite misturar segmentos diferentes quando expuser o seu produto. Isso pode atrapalhar a comunicação com o cliente.
  • Procure valorizar o seu produto, diferenciando-se na organização e na decoração.
  • Informe-se sobre as responsabilidades no caso de furto ou possíveis problemas com os produtos.
  • Verifique se o responsável pela venda conhece bem o produto para que a falta de informação não prejudique o negócio.
  • Monitore as suas vendas. Muitas lojas colaborativas fornecem o serviço de acompanhamento das vendas por meio de um sistema online. Com isso, é possível verificar o estoque, saber quais são os produtos mais comercializados e conhecer o gosto dos clientes.
  • Implante melhorias. Por meio do sistema de acompanhamento é possível saber quais produtos não apresentam boas vendas, o que pode ser ocasionado por uma série de fatores. Com esses dados, é possível analisar o produto, fazer melhorias e modificações e verificar a aceitação do mercado. As lojas colaborativas possibilitam o profissional testar seus produtos e a aceitação deles no mercado.
  • Fique atento ao custo mensal da loja colaborativa. Valor devido ao lojista (proprietário da loja colaborativa), envolvendo as seguintes despesas, entre outras: aluguel do box/espaço compartilhado; taxas de comissão sobe as vendas; despesas de manutenção; e despesas com pessoal.

Saiba mais 

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: