IDEIA DE NEGÓCIO

Mercado de vídeos online gera renda com baixo investimento

Popularização da banda larga estimula o setor, que é competitivo e exige criatividade dos novos empreendedores.

  • Produção de conteúdo

O mercado brasileiro de vídeos online encontra-se em franca expansão. Graças aos investimentos em banda larga e à popularização dos smartphones e tablets, esse modelo de negócio incentiva, principalmente, a indústria da publicidade digital.

Diariamente, despontam nas mídias sociais, por meio das diversas plataformas de exibição de vídeo, iniciativas baseadas em ideias simples e baratas, criadas por usuários comuns. Inovar em um ambiente competitivo tem sido um desafio não só para os usuários, mas para as grandes empresas que disponibilizam essas plataformas e buscam a liderança no setor.

O impacto de um vídeo disponibilizado na internet é imediato. Produzir conteúdo original nesse ambiente não é uma tarefa difícil, mas é um desafio em meio a tanta gente com o mesmo objetivo.

Produção de conteúdo
  • Planejamento

No Brasil, um número considerável de jovens tem movimentado o mercado de vídeos online. Boa parte começou com produções bem caseiras, falando sobre os mais diversos assuntos de frente para a câmera, sem nada de sofisticação e, hoje, figuram entre os canais mais vistos do País.

Felipe Neto, Cauê Moura, Marcos e Matheus Castro e PC Siqueira são nomes que integram esse time. Começaram apenas com uma boa ideia em mente e se tornaram "webcelebridades". Eles representam com maior propriedade a figura do “vlogger”, termo usado para quem atua nesse mercado.

Por outro lado, há quem entrou no negócio de maneira profissional: o Porta dos Fundos, canal brasileiro de humor com o maior número de assinantes no YouTube, utiliza-se da expertise de seus integrantes na TV, teatro e cinema para produzir pequenos vídeos que, em questão de horas, conquistam milhões de acessos.

Planejamento
  • Produção de conteúdo
  • Geração de renda

A criação de um canal de vídeos online não exige um investimento inicial alto. Um kit básico para quem quer começar a atuar nesse ramo deve considerar:

  • Um computador com configurações que suportem o trabalho com vídeos;
  • Um software de edição;
  • Uma câmera e uma boa conexão de banda larga.

As plataformas de vídeo mais populares hospedam conteúdo de graça. YouTube e Vimeo são as mais utilizadas. Outros serviços têm despontado, principalmente, focando nos usuários de smartphones: o Vine, por exemplo, trabalha com vídeos curtos e tem se tornado popular.

O YouTube oferece um maior número de recursos sem custo ao usuário, enquanto no Vimeo alguns deles, embora mais avançados, são restritos aos assinantes.

A maioria das plataformas gratuitas também disponibiliza relatórios com dados sobre o acesso. Essas informações podem gerar insights estratégicos e auxiliar em pontos vitais do seu canal de vídeos, como produção, planejamento e segmentação de conteúdo.

Geração de renda
  • Planejamento

Começar utilizando plataformas mais conhecidas auxilia na popularização dos vídeos. Por serem gratuitas, elas costumam exibir anúncios publicitários sem controle do usuário. Entretanto, elas também geram renda para o dono do vídeo, principalmente aos que conquistam grande número de visualizações.

Outra maneira de o empreendedor desse mercado de vídeos online gerar renda é fazer anúncios dentro do vídeo, quando se recomenda o uso de algum produto ou serviço. As plataformas gratuitas, contudo, possuem algumas restrições nesse aspecto. É importante analisar a política de uso de cada uma delas antes de escolher onde hospedar seu canal.

Antes de começar o seu próprio canal, é necessário aprender os macetes que rondam a gestão de negócios. Esse é um diferencial importante a ser explorado quando se entra em um ambiente competitivo.

Por isso, é fundamental que antes de montar a empresa seja elaborado um Plano de Negócios.

O documento vai orientar o empreendedor em todos os aspectos. Para elaborá-lo, você pode contar com a ajuda do Sebrae na sua cidade.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: