CANAL DE DISTRIBUIÇÃO

Saiba como funciona comércio de peixes no Brasil

Para sucesso do negócio, é fundamental que empreendedores e potenciais empresários conheçam cadeia de distribuição e comercialização no mercado pesqueiro.

  • Vendas diretas

No Brasil, a atividade pesqueira é um negócio que oportuniza o crescimento do país com inclusão social e geração de emprego e renda. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o pescado é a proteína animal mais saudável e consumida no mundo.

As vendas nacionais no setor podem ser classificadas como diretas ou indiretas. A distribuição pode acontecer de diferentes formas. Para ficar por dentro do assunto, entenda o que caracteriza cada uma dessas modalidades e o funcionamento de suas etapas.

Vendas diretas
  • Vendas indiretas

Uma venda é classificada como direta quando o produtor vende o pescado diretamente ao consumidor final ou a um cliente corporativo que pode ter o produto como fonte de renda a partir de um pesque-pague, por exemplo, ou que processa, industrializa e faz a revenda. Ou, ainda, que utiliza o pescado como ingrediente para refeições que fornece.

Quando a venda é realizada pelos próprios pescadores, seja nos portos, diretamente na praia ou às margens de rios e lagoas, a atividade é considerada informal.

No caso dos aquicultores, a venda pode ocorrer diretamente na propriedade onde cria o pescado. As vendas também podem acontecer em feiras com base na cadeia produtiva integrada.

Os principais compradores da venda direta realizada entre pescadores/produtores e clientes (pessoas jurídicas) são frigoríficos, pesque-pague, bares e restaurantes, comércio local e empresas de catering (dedicadas a fornecer comida preparada).

Vendas indiretas
  • Vendas diretas
  • Distribuição e impacto

As vendas indiretas acontecem por meio de atacado ou varejo. Há, ainda, os atravessadores, a quem se atribuem reflexos negativos da cadeia de pescados pela exploração dos produtores, o armazenamento e o transporte inadequado do produto, a informalidade e o impacto do preço para o consumidor final.

Os principais canais de vendas indiretas são chamados de off-trade e on-trade. O canal on-trade apresenta o produto para ser adquirido e consumido no mesmo local (bares, restaurantes e quiosques de praia, por exemplo). Já o canal off-trade oferece a aquisição do produto no local, mas o consumo acontece fora (como em supermercados, feiras e peixarias).

Como a aquisição de volume é maior e os compradores têm poder de barganha na venda por atacado, os preços são menores que os praticados junto ao consumidor final. A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) é o principal centro atacadista do Brasil e concentra o maior entreposto de pescados da América Latina, que atende não só os paulistanos, mas também a diversas cidades do interior e outros estados.

No varejo, os supermercados estão se consolidando como pontos de venda e comercialização. As redes têm apostado na venda de peixes como um diferencial que aumenta o faturamento e traz resultados satisfatórios.

Distribuição e impacto
  • Vendas indiretas

A forma como funciona o canal de distribuição é o que determina o preço final para o consumidor. A cadeia de intermediação é muito longa, e o governo avalia que isso pode ser o principal fator limitante do consumo de peixes e frutos do mar em geral.

O desperdício, a má conservação e a falta de infraestrutura do setor pesqueiro também interferem negativamente no preço praticado ao consumidor.

Incentivos do governo

O Ministério da Pesca e Aquicultura promove ações que pretendem organizar toda a cadeia produtiva do pescado para comercialização no Brasil. Essas ações buscam viabilizar o escoamento da produção, ofertar o pescado com qualidade e quantidade, além de ampliar o mercado.

A responsabilidade desse processo é da Coordenação-Geral de Comercialização, que integra o Departamento de Fomento da Secretaria de Infraestrutura e Fomento da Pesca e Aquicultura do Ministério.

A Semana do Peixe, que faz parte da Campanha Nacional de Incentivo ao Consumo de Pescado, e o Programa Feira do Peixe, realizado em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), são algumas das ações governamentais de fomento para a comercialização do pescado. Para mais detalhes, acesse aqui.

Para saber mais sobre atividades e projetos implementados pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, clique aqui. Na página, você também encontra link para acessar a Carta de Serviços ao Cidadão, que disponibiliza informações sobre os serviços prestados ao público.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: