COOPERAÇÃO

A organização em rede como estratégia para aumento de competitividade

O artigo explica a evolução do conceito de redes empresariais na economia do novo século e mostra exemplos de iniciativas no setor brasileiro de petróleo e gás.

Preocupado com a alta taxa de mortalidade das empresas no Brasil, o Sebrae elaborou um estudo que procurou identificar as razões desse índice. Verificou-se, entre outras coisas, que o motivo para o revés é a baixa competitividade.

Pensando nisso, o Sebrae traz um artigo sobre redes empresariais, sugerindo que reorganizações nos negócios podem aumentar a produtividade no novo mercado que se desenha neste início de século.

A nova lógica organizacional das empresas

É importante estar atento para a mudança da lógica de organização dos empreendimentos, associada aos rápidos processos de transformação tecnológica.

No novo contexto, organizações mais competitivas têm privilegiado a atuação em rede, na qual o conhecimento compartilhado e a comunicação dinâmica são fatores que elevam a competitividade.

A área de gás e petróleo pode ser usada como exemplo. Com a notícia de que o Brasil poderia se tornar um grande produtor petrolífero, houve um enorme volume de investimentos internacionais no setor brasileiro, o que significa uma grande concorrência para as empresas do país.

Organizações públicas e privadas brasileiras se articularam para implementar políticas que estimulem a competitividade do mercado nacional, como o Programa Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás, coordenado pelo Sebrae.

Saiba Mais

Série Empreendimentos Coletivos

Consciente da importância do associativismo para a melhoria dos negócios, o Sebrae lançou a série de publicações Empreendimentos Coletivos.

Leia aqui a íntegra da cartilha “Sociedade garantidora de crédito” (em formato PDF).

Acesse "Redes empresariais: uma estratégia moderna para aumentar a competitividade das empresas no mercado" (em PDF).

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: