ANGELS

Investidores-anjos podem ajudar a implementar seu negócio

Financiadores buscam propostas originais e competitivas para auxiliar início de novos empreendimentos. Conheça requisitos para atraí-los para sua ideia.

Surgido nos Estados Unidos, o termo investidor-anjo denominava patrocinadores de artistas da Broadway. Hoje, eles investem seu patrimônio pessoal em propostas de negócios que não têm capital para serem implementadas. Esse modelo é recente no Brasil, mas tem ganhado espaço com executivos que aplicam dinheiro e orientam a execução de novos negócios, principalmente na incubação de pequenas e médias empresas.

Onde buscar

As áreas de investimento-anjo mais frequentes no país são startups (ideias ou projetos embrionários que precisam de investimentos), empresas já consolidadas que desejam inovar em sua área de atuação, projetos imobiliários, franquias, atletas e artistas.

Um investidor-anjo pode ser um empresário ou executivo que se interessa por determinados segmentos de negócio. E, de maneira geral, a apresentação das ideias pode ser feita em rodadas de investimento, por meio de plataformas online especializadas em negociações desse tipo, ou de convites feitos pelos próprios investidores.

Requisitos

Os principais critérios levados em conta na hora de escolher as ideias são:

  • Possibilidade de inovação e execução.
  • Grande potencial competitivo no mercado.
  • Perspectivas reais de consolidação e de crescimento.
  • Limites de investimentos, preferencialmente, de R$ 100 mil a R$ 500 mil.

Seleção

O empreendedor deve se organizar antes de apresentar suas ideias. Espera-se que nesse projeto esteja desenvolvido um modelo de negócio, que deve conter informações como o panorama de mercado e as perspectivas de crescimento e consolidação do empreendimento, além da ideia da empresa.

Feito isso, o projeto deve ser apresentado para avaliação dos possíveis investidores. Eles vão analisar as propostas e escolher aquelas que têm mais interesse de financiar. Depois, serão marcadas reuniões para debater o projeto.

Essa fase é fundamental para concretizar a transação, pois o investidor pode tirar dúvidas ou solicitar alterações na proposta. Se as negociações forem bem-sucedidas, acorda-se um contrato para definir as condições desse “casamento”. São estabelecidos direitos e deveres para ambas as partes, dando início à implementação da proposta.

Vantagens

Com o investimento-anjo, haverá o financiamento total ou parcial da proposta de negócio. Isso possibilita que novos empreendedores ousem na concretização de suas ideias e não precisem recorrer a empréstimos ou a muitos sócios. Para quem recebe esse tipo de ajuda, outra vantagem é o fato de o financiador ser alguém com experiência de mercado.

A experiência do investidor-anjo é importante para auxiliar na implementação do negócio, pois ele poderá dar sugestões de mudanças na proposta ou orientações sobre como aumentar os investimentos e buscar novos parceiros.

O empreendedor pode contar com um ou mais investidores, isso dependerá da complexidade da proposta ou da necessidade de mais aportes financeiros. Além do retorno direto para o empreendedor, a ação do anjo desdobra-se com benefícios à economia, pois a implementação de uma nova empresa abrirá vagas no mercado de trabalho, gerando emprego e renda.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: