Como o Sebrae atua no
segmento de Alimentos e Bebidas

O que pensamos?

Alimentos são bens de consumo de primeira necessidade, de modo que há sempre espaço para as boas empresas do ramo. Cada vez mais, as tendências de mercado se refletem em oportunidades e desafios específicos para a indústria de alimentos e bebidas, que podem focar em proporcionar produtos saudáveis, nutritivos, seguros, acessíveis e práticos para os brasileiros. Cabe aos pequenos negócios um foco maior em alimentos e bebidas diferenciados, destinados a mercados de nichos, nos quais é menor a concorrência frente as grandes empresas.

O número de pequenos negócios da Indústria de Alimentos e Bebidas cresce em ritmo acelerado, em especial os Microempreendedores Individuais, de acordo com dados da Receita Federal, disponíveis no Data Sebrae. Entre os ramos da indústria de alimentos que têm apresentado maior densidade e atratividade empresarial está o de fornecimento de alimentos preparados preponderantemente para consumo domiciliar, com mais de 100 mil empresas em 2014. Em número, destaca-se também o ramo de panificação e confeitaria, com cerca de 67,5 mil empresas no elo industrial. Outros exemplos de CNAE da indústria de alimentos e bebidas são:

  • Fabricação de massas alimentícias;
  • Fabricação de alimentos e pratos prontos;
  • Fabricação de produtos derivados do cacau e de chocolates;
  • Fabricação de laticínios;
  • Fabricação de sorvetes e outros gelados comestíveis;
  • Fabricação de biscoitos e bolachas;
  • Fabricação de especiarias, molhos, temperos e condimentos;
  • Fabricação de cervejas e chopes;
  • Fabricação de gelo comum.

Cabe destacar que o foco de atuação do Sebrae na indústria de alimentos e bebidas pode variar pelo território brasileiro, tendo em vista que o Sebrae, em cada localidade, prioriza elos e segmentos conforme a realidade local. De toda forma, para esse ramo, o desafio para as iniciativas do Sebrae é contribuir no aprimoramento de tais modelos de negócio, que passam a se inserir em operações mais complexas e a envolver produtos e serviços diferenciados.

O que fazemos?

O Sebrae, por meio de suas iniciativas em termos de articulação, atendimentos e projetos, busca contribuir para o aumento da competitividade empresarial, estrutural e sistêmica dos empreendimentos da indústria de alimentos e bebidas.

O objetivo da atuação do Sebrae na indústria de alimentos e bebidas é elevar a competitividade dos pequenos negócios e potencializar a atuação em cadeia. Para se atingir tal objetivo, são definidas estratégias que se desdobram em focos prioritários, sendo:

  • Aprimorar o Desenvolvimento Empresarial e a Competitividade
  • Promover o Acesso a Mercados e a Inteligência Competitiva
  • Garantir o Acesso a Serviços Financeiros
  • Elevar a Inovação e Tecnologia nos Aspectos de Sustentabilidade, Qualidade e Produtividade
  • Promover a Integração da Cadeia, Rede de Aprendizagem e Governança

Tais focos são trabalhados por projetos estaduais e territoriais realizados pelo Sebrae em todo o Brasil, com apoio de parceiros locais e com a adesão de empresários dos mais diversos segmentos. Para o período de vigência de 2017 a 2018, conforme informações de dezembro de 2017, há 25 projetos da indústria de alimentos e bebidas conduzidos pelo Sebrae de 14 Unidades da Federação com apoio do Sebrae Nacional. São eles:

Para mais informações sobre as iniciativas ou sobre como se envolver (como parceiro, empresário ou parte interessada) nos projetos em questão, recomenda-se entrar em contato diretamente com o Sebrae pelos canais institucionais.

Outra forma de potencializar a atuação do Sebrae junto aos pequenos negócios da indústria de alimentos e bebidas é, também, a realização de parcerias nacionais. Dentre os parceiros de projetos, entidades, instituições representativas da indústria de alimentos e bebidas, há uma parceria estabelecida para 2016 a 2019 com o moinho M. Dias Branco.

Tal projeto nacional de encadeamento foi implantado para desenvolver os pequenos negócios distribuidores e transformadores de farinha para melhoria da competitividade, cooperação e a ampliação de negócios, estabelecendo e fortalecendo o encadeamento produtivo a jusante do M. Dias Branco em sua cadeia de valor. A proposta tem como foco principal ações para capacitar pequenos negócios do segmento de alimentos, transformadores de farinha, inseridos na cadeia de valor do Grupo M. Dias Branco, localizados em seis estados da Região Nordeste.

As ações do projeto são voltadas à 800 MEI, ME e EPP distribuídos nos estados (regiões) da Bahia (Salvador), do Ceará (Cariri e Sobral), do Maranhão (São Luis), de Pernambuco (Caruaru), da Paraíba (João Pessoa) e do Rio Grande do Norte (Mossoró). Esses estados/regiões foram escolhidos de acordo com negociação estabelecida entre os Sebrae/UF e o MDB. Clique aqui para saber mais.

Para fortalecer o desenvolvimento dos pequenos negócios de panificação e confeitaria, o Sebrae formalizou convênio de cooperação técnica e financeira com a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip) e o Instituto Tecnológico da Panificação e Confeitaria (ITPC).

O último convênio, de vigência até 2017, teve o intuito de tornar o segmento mais competitivo, por meio da implantação de ações de qualidade, produtividade e sustentabilidade. Para tanto, os Sebrae/UF aderiram às ações do convênio nacional, potencializando a atuação local e transformando a realidade dos pequenos negócios do ramo. Na página www.sebrae.com.br/panificação é possível acessar conteúdos específicos do convênio.

Em convênio de Cooperação Técnica e Financeira entre Sebrae e Abiepan – Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos, Ingredientes e Acessórios para Alimentos, também vigente até 2017, o objetivo foi desenvolver referenciais de qualidade (normas técnicas e avaliação da qualidade) e disseminar tecnologias de máquinas e equipamentos do segmento de panificação e alimentos em geral, considerando as exigências regulamentares de qualidade, higiene, saúde e segurança, visando à certificação, para ampliar o acesso desses produtos aos mercados.

O projeto abrange três eixos fundamentais, que compreendem as principais ações a serem desenvolvidas, destacando-se a estruturação de uma base tecnológica de 12 normas técnicas para o segmento, buscando aprimorar uma cultura tecnológica brasileira de fabricação de equipamentos de qualidade para panificação. Clique aqui para saber mais.

Material de apoio

Os documentos de panificação do convênio Sebrae/ABIP/ITPC estão em: www.sebrae.com.br/padaria
Em relação aos estudos do mesmo convênio, destacam-se os seguintes:

Sorveteria

Conteúdo do Sebrae sobre Sorveterias

Cervejaria

Conteúdo do Sebrae sobre Microcervejarias

Bares e restaurantes

Conteúdo do Sebrae sobre atuação no ramo de bares e restaurantes

Fonte: Sebrae Nacional