O crescimento do número de empreendedores que se dedicam ao preparo de alimentos caseiros vai ao encontro da procura dos consumidores em cultivar hábitos saudáveis, somado à busca por economia e falta de tempo para preparar as refeições.

As opções de comidas rápidas e altamente calóricas (fast food) e a falta de cuidado no manuseio dos alimentos em restaurantes fez com que as marmitas voltassem a fazer parte da rotina das pessoas.

A alimentação fora de casa é responsável por cerca de 25% dos gastos das famílias brasileiras, de acordo com os dados do IBGE.

E com elas, a garantia de um preparo criterioso e com equilíbrio dos nutrientes. O crescimento da procura por refeições caseiras possibilitou que os empreendedores que atuam no setor de alimentos passassem a ver com outros olhos esse nicho.

Fique atento às responsabilidades

Para garantir que a sua empresa tenha destaque entre os milhares que estão no mercado, deve-se estar atento ao que pode ou não ser aplicado à realidade do seu negócio. Além de explorar esses fatores, quanto às ofertas de cardápios, é essencial adotar alguns cuidados para dar início ao seu empreendimento:

Estrutura

É necessário projetar quantos pratos serão feitos diariamente para pensar qual área deve ser disponibilizada. É importante considerar espaços como cozinha, depósito e sanitários, além de garantir que os alimentos serão armazenados adequadamente. Caso você conte com funcionários, é importante também dispor de um vestiário/espaço para descanso. Conforme orientações da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), os banheiros e vestiários não podem estar próximos (de forma direta) das áreas de preparo e de armazenamento dos alimentos.

Localização

No momento da escolha do local onde ficará o seu estabelecimento, é necessário analisar qual será a logística de entrega das refeições. Caso haja delivery, é essencial dispor de um estacionamento para os motoboys. É importante considerar também se o espaço cumpre as exigências das vistorias dos órgãos reguladores e apresenta uma localização acessível aos clientes e funcionários (com transporte público próximo e estacionamento).

Matéria-prima ou equipamentos

Os cuidados com os produtos refrigerados e congelados devem ser redobrados, considere que eles devem ser armazenados de maneira imediata após a compra. Estar atento às condições das embalagens é outro ponto importante, os recipientes amassados, abertos, enferrujados ou rasgados devem ser descartados. É preciso estar atento ao prazo de validade dos produtos e à sazonalidade das frutas e legumes utilizados nas marmitas, para que esse fator não comprometa a aquisição de produtos e não onere o orçamento. Buscar preços mais competitivos com fornecedores e atacadistas pode ser uma alternativa.

Exigências

Busque um profissional que o auxilie e oriente sobre a legislação tributária pertinente ao negócio. Procure os órgãos que lhe fornecerão os registros necessários para dar início à sua atividade. No caso do alvará, a Vigilância Sanitária do seu município pode fornecer as orientações necessárias para a emissão e demais informações. Se você deseja obter seu CNPJ e quer elucidar as principais dúvidas sobre a formalização, procure o Sebrae de sua região.

Saiba mais sobre as exigências relacionadas a empresas que atuam no setor de alimentação no portal da Anvisa.

Normas técnicas

Conheça algumas das normas técnicas específicas para o fornecimento de marmitas:

ABNT NBR ISO 22000:2006

ABNT NBR 15635:2015

ABNT NBR 15074:2004

ABNT NBR 14230:2012

ABNT NBR 15842:2010

Quer saber mais? Acesse o conteúdo na íntegra aqui.

Fonte: Sebrae

Tags:

Que tal continuar explorando?