GESTÃO DE PRODUTO (INOVAÇÃO)

Como inovar nos pequenos negócios

Dicas de inovação para pequenas empresas

Como inovar nos pequenos negócios

 

Inovar nos pequenos negócios parece algo impensado para a maioria dos empresários que tive a oportunidade de orientar e prestar consultoria. “Como eu posso pensar em inovação com tantas contas para pagar?”; “Não me venha falar de algo que nem sei por onde começo!”; “Se inovar fosse bom, todo mundo que inovou estaria rico!” Essas e outras argumentais eu já ouvir e ouço até hoje. E por mais que eu possa entender o contexto que elas foram ditas, deixo claro aos meus interlocutores que eles estão – se não errados – observando a inovação sobre a ótica da contestação sem experimentação. Agem mais pelo preconceito, pela ignorância do desconhecer, que pelo senso do conhecimento e da aplicabilidade desse. Mas há também muitos pequenos negócios que inovam – e isso eu também falo para eles. Não porque todos saibam o que inovar, mas pela necessidade de sobreviver a mercados e a tempos extremamente incertos.

Alguns empresários me estimularam – outros me provocaram mesmo – para explicar-lhes o que é inovação para os pequenos negócios. É claro que fui estudar, pesquisar, observar meus apontamentos, analisar minhas experiências com gestão de pequenos negócios para poder apresentar meus argumentos, que aqui apresento.

Já começou dizendo que a  inovação é – ou ao menos deveria ser -  a matéria-prima dos empreendedores, o meio pelo qual esses exploram a mudança como uma oportunidade para um negócio, um produto ou um serviço diferente. E aqui classifico empreendedor todos aqueles que estão em qualquer ambiente de negócios: micro, médio ou grandes.

Entendo, ainda, que os empreendedores precisam buscar ativamente as fontes de inovação, as mudanças que indicam oportunidades para uma inovação de sucesso, sem o qual estarão fadados a serem empresários, terem CNPJ, mas jamais empreendedores. Sim, há empresários que não são empreendedores, como há empreendedores que jamais serão empresários. Aliás, quem disse que para ser empreendedor é preciso ser empresário?

E aqui algumas orientações para quem deseja inovar em seu pequeno negócio, mesmo sem saber como fazer.

Treine seus funcionários - Investir em treinamento de funcionários é uma forma de inovação. Se você tem um salão de beleza pode enviar sua manicure para realizar um curso de aprimoramento. Dessa forma, vai apresentar novos produtos para seus clientes ao mesmo tempo que motiva seu funcionário.

Logística - Se você trabalha com um nicho em que seus clientes tem dificuldades em ir até sua loja para comprar, criar um delivery pode aumentar seu lucro. Um serviço de entrega não precisa se restringir aos alimentos.

Ambiente da loja - A proposta aqui é aplicar o conceito de grandes redes de varejo, em seu pequeno comércio. Além de dispor seus produtos de uma forma lógica, que tal investir numa boa iluminação?

Tecnologia - Segundo o SEBRAE, investir em softwares que organizam e melhoram seus processos de gestão pode gerar um serviço mais otimizado e consequentemente, mais lucro.

Conhecimento - Deixe de dar desculpas para sua falta de aprimoramento como empresário. Lembre-se de um velho ditado que diz que o “o boi só engorda com o dono do gado”. Hoje em dia estudar está muito fácil. Há muitas opções de cursos e leitura disponíveis na internet que você acessa a qualquer momento. O Sebrae, por exemplo, dispõe de cursos EAD e de treinamentos em seus escritórios. Não deixe para quando o tempo realmente passar.

Inovar é questão de sobrevivência para qualquer negócio, especialmente em momentos de crise, como este que o Brasil vem enfrentando. Agora se não quiser inovar, não vá dizer que não lhe avisei. 

 

Marcos Alencar

Mestre em Comunicação Social e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Gerente de Relacionamento Empresarial do Sebrae Alagoas 

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: