IDEIA DE NEGÓCIO

Invista em food trucks

Logística, atendimento personalizado e qualidade do alimento são essenciais para o sucesso do negócio

Os food trucks vieram mesmo para ficar. Um estudo da Eventbrite Brasil, maior plataforma global de gerenciamento de eventos, ouviu mais de 500 pessoas sobre o assunto e 70% delas disseram que aproveitam os caminhões  gourmet para conhecer novas culinárias, como por exemplo, as internacionais, em época de crise. A pesquisa foi realizada com adultos de 21 a 29 anos, refletindo a popularidade do negócio junto ao público jovem.

Segundo os entrevistados, os food trucks são considerados ótimas opções para o jantar e o gasto médio dos clientes é de R$ 30,00 por refeição. 90% dos entrevistados pretendem frequentar os espaços ainda este ano.

Para Ricardo Hida, curador do food park Piknik Faria Lima e consultor gastronômico, todo cuidado é válido antes de investir no modelo de negócio. “Quem quer entrar nessa área tem que quebrar paradigmas. Colocar na cabeça que não sabe fazer comida de rua, mas que deseja aprender. O negócio não exige somente dinheiro, mas esforço físico, burocracia e gestão”.

Apenas dois estados no Brasil (RJ e SP) possuem legislação específica para os food trucks. As leis determinam as condições de uso dos equipamentos, o termo de permissão de uso, as obrigações dos permissionários e o cumprimento das legislações sanitárias existentes. Para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os proprietários devem seguir as orientações básicas para garantir a segurança e qualidade dos alimentos.

Segundo o presidente da Associação Mineira de Food Trucks Felipe Corrêa, há uma grande procura pelo negócio por pessoas desempregadas. “A procura aumentou ao mesmo tempo em que a demanda por esse tipo de alimentação caiu”. Segundo ele, Belo Horizonte conta com 160 food trucks, sendo que 50 estão à venda.

Para se dar bem no negócio é preciso estudar todas as possibilidades e não agir por impulso. Para entrar no mercado exigente e cheio de legislações a serem cumpridas, invista em planejamento, pois ainda existem oportunidades a serem exploradas.

Para quem quer investir em food truck, os pilares de sustentação da atividade são a logística para a disponibilização do produto, o atendimento personalizado e a boa gastronomia, requisitos que agradam os consumidores ávidos por novas experiências e sabores. 

O que você deve saber sobre os food trucks

  • Não é moda
    É a oportunidade ideal para quem sempre quis investir em gastronomia, uma aposta menos arriscada e com maior possibilidade de captação de clientes.
  • Exige foco no cardápio
    Quem quer abrir food truck não pode apostar em um cardápio vasto. O ideal é investir em poucas refeições com carboidratos e proteínas. Se quiser inovar, adote opções lights ou vegetarianas.
  • Não é restaurante
    Existem três momentos em que os food trucks vendem mais: almoço, happy hour e fim da noite. Invista em um bom serviço de viagem e comida fresca.
  • O sucesso depende do alcance do público
    Diferente dos consumidores de truck ao redor do mundo, o brasileiro tem um comportamento único. Ele gosta de sentar e comer e não deseja esperar muito pelo pedido. A relação com os clientes também é fundamental.
  • Não existe local ideal para abrir um food truck
    Tudo depende do produto e de onde seus consumidores estão. Como as pessoas gostam de opções diferentes, optar por um local com outros tipos de comida pode aumentar as chances do negócio.
  • Não basta ter a receita da família ou o dinheiro no caixa
    Antes de investir no food truck, os empreendedores devem testar sua adaptação ao modelo de negócio. É preciso conhecer o mercado e investir na gestão.  
  • Parceria é o melhor negócio
    Converse com empreendedores que já trabalham com isso, leia mais do assunto e busque conselhos sobre o negócio. Os donos dos trucks adoram compartilhar suas histórias, aprenda com eles.

Alessandra Ribeiro Simões
Analista do Sebrae Minas 

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: