FRANQUIA

O mercado de food trucks

O custo baixo e a oferta de alimentos diferentes estimulam o crescimento do mercado de comida de rua

Impulsionada pela praticidade e pelos novos hábitos de consumo, a população busca cada vez mais a alimentação fora de casa, o que justifica o forte crescimento dos food trucks. Em 2014, eles movimentaram R$140 bilhões no país –  um crescimento de cerca de 20% em relação a 2013, quando faturaram R$ 116,55 bilhões. 

Os food trucks tem ganhado cada vez mais adeptos e conquistado espaço nas ruas, a exemplo do que acontece nos Estados Unidos. Eles oferecem opções saborosas e rápidas para as pessoas que necessitam se alimentar fora de casa. Espera-se que esse mercado atinja o patamar de U$ 2,7 bilhões em 2017. 

Pensando nesse modelo de negócio, os donos de caminhões estão apostando em preços mais convidativos para o público. A pesquisa do guia Food Truck nas Ruas de SP aponta que 75% dos empresários comercializam produtos de até R$ 30. Para Carla Somose, uma das idealizadoras do guia, o custo baixo e a oferta de alimentos diferentes estimulam o crescimento do mercado de comida de rua.

Outro ponto abordado pela pesquisa é a renda mensal do negócio, que estimula quem quer investir na área. Dos 63 food trucks pesquisados, 35% recebem entre R$ 5 mil e R$ 10 mil mensalmente, para 25% o faturamento gira em torno de R$ 10 mil a R$ 15 mil e 24% garantem que a margem de lucro é maior que R$ 20 mil. Isso explica o crescimento do setor em 2015, já que 73% dos empreendedores pretendem aumentar as atividades com um segundo veículo ou ponto fixo nos próximos anos.

Dos 63 entrevistados na pesquisa, 20% acreditam que o setor é amplo e precisa ser explorado, 31% planejam franquear o negócio, mas segundo 9% deles, a melhor saída para não se comprometer com dívidas é esperar a economia brasileira melhorar para investir em novos projetos. 

Para os empreendedores, o maior desafio é o amadurecimento do mercado. A falta de preparo dos organizadores de eventos e food parks, as altas taxas para participação de eventos e a burocracia para a conquista do Termo de Permissão de Uso (TPU) em São Paulo são os grandes empecilhos do setor.

Segundo a pesquisa, 36% dos empresários procuram novos espaços porque acham que os formatos existentes não são mais suficientes. Em contrapartida, 43% estão satisfeitos com os eventos gastronômicos. 

Os locais de parada dos food trucks também foram abordados. Quase dois anos depois da aprovação da lei da comida de rua em São Paulo, apenas 6% dos entrevistados possuem ponto fixo em avenidas e ruas e 54% atuam em eventos públicos e particulares.

A pesquisa aponta ainda que 58% dos entrevistados acreditam que, apesar do crescimento, o setor precisa amadurecer. Fica claro que os empreendedores estão otimistas quando 41% afirmam que pretendem colocar mais um caminhão nas ruas e 31% desejam expandir o negócio por meio de franquias. 

Para João Bonomo, coordenador do núcleo acadêmico de vocação empreendedora do Ibmec/MG, o movimento dos food trucks ainda é instável. Mesmo com diferentes avaliações do mercado, os especialistas concordam em um ponto: food truck não é mais moda, mas um modelo de negócio que deu certo e veio pra ficar.

“Ele vai de salgado a doce, de saudável a junk food. Os negócios sobre rodas têm essa capacidade de variar e se reinventar a todo instante, o que garante sua permanência, afirma.

Para ter sucesso

  • O primeiro passo é ter paixão pelo negócio. Não empreenda apenas porque é algo legal, mas porque é um bom modelo de negócio. Lembre-se de que qualquer empreendimento envolve riscos.
  • Faça um bom planejamento, tenha capital de giro e observe o mercado. Adote um design bacana para seu food truck e faça um bom plano de marketing: saiba onde, como e para quem você vai vender.
  • Estude, fique atento à legislação específica e pense na segurança alimentar. Verifique sua produtividade e, finalmente, decida como e onde atuar.
  • Com a validação do negócio, você é convidado a participar de shows e eventos. A receita obtida nessas ocasiões contribui para as suas despesas fixas, amplia sua possibilidade de faturamento e sua atuação em locais que nem esperava alcançar como estacionamentos de lojas e de shoppings.
  • Mostre a sua marca, mas do jeito certo. Vá para lugares onde está o público que pretende atender e não deixe a qualidade do seu negócio cair.

Alessandra Ribeiro Simões
Analista do Sebrae Minas 

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: