Quem Somos

O Sebrae faz parte de um sistema criado em 1972 – Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa (Cebrae) vinculado ao Governo Federal. A partir de 1990, a entidade desligou-se do setor público, transformando-se num serviço social autônomo, denominado Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae. Na realidade, este foi o primeiro organismo afinado com o antigo Programa Nacional de Desestatização, embrião de uma nova prática de gestão de determinados serviços controlados pelo Estado, ou seja, a privatização.

Formalmente, trata-se de uma entidade civil sem fins lucrativos, criada pela Lei nº 8.029, de 12 de abril de 1990, regulamentada pelo Decreto nº 99.570, de 9 de outubro de 1990, posteriormente, alterada pela Lei nº 8.154, de 28 de dezembro de 1990.

O Sebrae no Piauí consolidou-se como uma entidade composta por representantes da iniciativa privada e do setor público. Essa parceria visa sintonizar as ações que buscam estimular e promover as empresas de pequeno porte com as políticas nacionais de desenvolvimento econômico e social do país.

Constitui-se, portanto, uma ferramenta prática com múltiplas funções, que capacita os pequenos empresários a fim de obterem as condições necessárias para crescer e acompanhar o ritmo de uma economia mais aberta e competitiva.

 

Conselho Deliberativo
  • Quem Somos
  • Diretoria Executiva

Evandro Cosme Soares de Oliveira
Presidente

Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Piauí - FCDL
Titular: Evandro Cosme Soares de Oliveira
Suplente: José Rivaldo de Sousa

Associação Comercial Piauiense - ACP
Titular: José Elias Tajra
Suplente: José Moacy Leal

Associação Industrial do Piauí - AIP
Titular: Gilberto Diego Veríssimo Pedrosa
Suplente: Joaquim Gomes da Costa Filho

Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Piauí - Faepi
Titular: Julio César de Carvalho Lima
Suplente: Filemon José Francisco de Sousa Nogueira Paranaguá

Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Senac
Titular: João dos Santos Andrade
Suplente: Antônio Leite de Carvalho

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí
Titular: Francisco Valdeci de Sousa Cavalcante
Suplente: Francisco Soares Campelo Filho

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico - Sedet
Titular: José Icemar Lavor Neri
Suplente: Olga Ariadne Bezerra de Sousa

Federação das Indústrias do Estado do Piauí - Fiepi
Titular: Robério de Barros Cantalice
Suplente: Edgar de Almeida Ataíde Júnior

Universidade Federal do Piauí - Ufpi
Titular: Pedro Vilarinho Castelo Branco
Suplente: Romina Julieta Sanchez Paradizo de Oliveira

Banco do Nordeste
Titular: Luiz Alberto da Silva Júnior
Suplente: Francisco das Chagas Lopes

Instituto Euvaldo Lodi - IEL - Núcleo Regional do Piauí
Titular: João Henrique de Almeida Sousa
Suplente: Roger de Carvalho Correia Jacob

Serviço Brasileiro de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas
Titular: Augusto Togni de Almeida Abreu
Suplente: Fausto Ricardo Keske Cassemiro

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Senar
Titular: Sérgio Luís Bortolozzo
Suplente: Paulo Emílio do Rego Monteiro

Banco do Brasil S.A.
Titular: Pio Gomes de Oliveira Júnior
Suplente: Silvio Luiz de Lima

Caixa Econômica Federal
Titular: Francisco Elizomar Nunes Guimarães
Suplente: Edilberto Costa Oliveira

Conselho Fiscal Estadual

Titular: Francisco de Sousa Neto (FIEPI) - Presidente
Suplente: James Hermes dos Santos (IEL)

Titular: Pedro de Oliveira Barbosa (Fecomércio)
Suplente: Erivelton Moura (Fecomércio)

Titular: Ezequias Gonçalves Costa Filho (AIP)
Suplente: Fábio Henrique Ferreira Nery (ACP)

Diretoria Executiva
  • Conselho Deliberativo
  • Missão

Quadriênio 2015/2018


Diretor Superintendente
Mário José Lacerda de Melo
Natural de Recife (PE), é advogado e ocupou cargo de diretor técnico do Sebrae no Piauí nos biênios 2007/2008, 2009/2010 e diretor superintendente no quadriêncio 2011/2014.

Diretor Técnico
Delano Rodrigues Rocha
Bacharel em Ciências Contábeis, exerceu o cargo diretor superintendente do Sebrae no Piauí nos biênios 2007/2008, 2009/2010 e no quadriênio 2007/2010 e de diretor técnico nos biênios 2003/2004, 2005/2006 e no quadriênio 2011/2014.

Diretor Administrativo-Financeiro
Ulysses Gonçalves Nunes de Moraes
Empresário, foi presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Piauí, nos períodos de 2000/2003, 2008 e 2010/2014, esteve à frente do Conselho Deliberativo do Sebrae no Piauí nos biênios 2007/2008 e 2009/2010, exerceu o cargo de diretor administrativo financeiro do Sebrae no Piauí no quadriênio 2011/2014.

Missão
  • Diretoria Executiva
  • Origem dos Recursos

“Desenvolver e consolidar a força empreendedora piauiense voltada para o segmento dos pequenos negócios, contribuindo para o desenvolvimento do Estado e do país”.

Origem dos Recursos
  • Missão
  • Como são utilizados

A maior parte dos recursos chegam ao Sebrae no Piauí graças à contribuição compulsória de 0,3% e 0,6% calculada sobre o total da folha de salários das empresas. As unidades estaduais e do Distrito Federal recebem 40% do compulsório, 50% fica com o Sebrae e os 10% restantes vão para a reserva técnica da entidade. Outra fonte de renda é a cobrança dos serviços prestados aos clientes.

Como são utilizados
  • Origem dos Recursos

Toda a atuação da entidade é focada na busca do aumento da competitividade da pequena empresa, em todos os segmentos de mercado em que ela esteja operando. Isso significa levar aos negócios de menor porte os benefícios da qualidade da gestão empresarial, através do acesso à informação, à tecnologia e à metodologias gerenciais, de produção, qualidade e comercialização.

Ao lado de ações institucionais de apoio ao empreendedorismo como formação de incubadoras de empresas, arranjos produtivos locais e organizados, desenvolvimento tecnológico, do turismo, do artesanato, da agricultura entre outros, o Sebrae no Piauí realiza diariamente consultorias, palestras e cursos.

Esses treinamentos especializados contam com grande afluência de empresários preocupados em melhorar a gestão de suas empresas. O grande desafio do trabalho do Sebrae no Piauí, assim como de todo o sistema, é agir de maneira decidida para difundir a cultura empreendedora e fortalecer as pequenas empresas, contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do país.

Constitui-se, portanto, uma ferramenta prática com múltiplas funções, que capacita os pequenos empresários a fim de obterem as condições necessárias para crescer e acompanhar o ritmo de uma economia mais aberta e competitiva.