O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma estrutura gerencial que deve apresentar os recebimentos e pagamentos, além de estimativas de despesas periódicas, para que seja possível organizar as contas e antecipar problemas de ordem financeira.

Além de manter o controle correto do dinheiro que entra e sai, o fluxo de caixa melhora o planejamento e auxilia o MEI nas tomadas de decisão, como:

  • compra de novos equipamentos;
  • insumos para a fabricação de produtos;
  • fretes e logísticas de transporte;
  • pagamento de funcionários;
  • regularização de impostos diversos;
  • despesas fixas ou variáveis mensais;
  • custos de infraestrutura e manutenção.

 

 

Para ter certeza de que suas contas estão representando a realidade da sua empresa, não deixe nenhuma despesa de fora das contas, mesmo as que parecem não ter importância.

Mantenha a sua empresa no azul com as dicas Sebrae

 Reduza despesas: é muito provável que haja despesas que podem ser cortadas ou, no mínimo, reduzidas. Faça uma análise cautelosa das saídas e dívidas. Então será possível pensar em alternativas, como reduzir o consumo de energia elétrica ou negociar saldo devedor de empréstimos e financiamentos. Avalie também a situação dos seus fornecedores para negociar um valor melhor.

  É claro que, geralmente, a estratégia de todo empreendedor é sempre aumentar as vendas. Aumente a quantidade de vendas ou serviços:s em alguns casos é possível que o plano de vendas não esteja sendo implementado da melhor forma. Investir em estratégias de marketing pode ser uma solução nesse caso.


 Avalie seu produto e público-alvo: verifique se você está se comunicando de forma correta com seu público-alvo. Estude se o produto ou serviço está de acordo com o que ele espera e se o preço está acessível para essas pessoas. A precificação é um fator que gera dúvidas ao empreendedor, mas é fundamental para se destacar no mercado.

 No fluxo de caixa para MEI devem constar: o saldo inicial somado aos recebimentos (seja por meio de vendas à vista ou a prazo, empréstimos de natureza diversa contraídos, entre outras modalidades de recebimento de receita); e o saldo inicial menos os pagamentos realizados (despesas fixas e variáveis, salários de funcionários, impostos e outras contribuições sociais, fornecedores etc.).

Muitas vezes, uma pequena despesa feita várias vezes no mês pode representar um valor considerável quando colocado na ponta do lápis.

Por fim, também deve constar o saldo final, no qual serão descritas as estimativas dos valores a receber futuramente, além da receita bruta disponível em caixa.

  • Com as despesas e entradas estruturadas, fica mais fácil ter um panorama da saúde financeira da empresa, não é mesmo? Além disso, facilita a decisão de corte de gastos e informa se você precisa investir mais em marketing e vendas.
  • Pensando nisso, o Sebrae disponibiliza uma planilha prática para que o fluxo de caixa para MEI seja realizado de forma eficiente. Clique aqui e tenha acesso.
  • Entenda, no curso sobre fluxo de caixa, como cuidar da saúde financeira do seu negócio controlando entradas e saídas e fazendo projeções de ganhos e gastos.
Que tal continuar explorando?