A utilização de energias sustentáveis e renováveis no Brasil está em forte expansão. O número de instalações de painéis fotovoltaicos, que geram energia solar fotovoltaica, saltou de 7,4 mil em 2016 para quase 50 mil em 2018, o que representa um crescimento de mais de 500%.

Em 2017, o país esteve entre os 10 que mais acrescentaram produção de energia proveniente da luz solar à matriz energética, com 0,9 GW, totalizando 1,1 GW. Hoje, isso representa 0,8% do abastecimento de energia no Brasil, mas a expectativa é que em 20 anos essa capacidade aumente 17 vezes, chegando a 32%.

Entre os motivos que explicam a grande quantidade de projetos envolvendo esse tipo de energia em todo o país estão o custo elevado da energia convencional, que tem atingido em cheio o bolso dos consumidores, e os preços cada vez mais em conta dos equipamentos solares.

E com tanto entusiasmo pela energia solar, uma figura ganha espaço no mercado: o instalador de painéis solares fotovoltaicos. De todas as ocupações existentes no segmento, essa é uma das mais procuradas. E, com o tempo, a tendência é que eles também façam toda a manutenção das peças.

O que faz um instalador de painel fotovoltaico

Você já percebeu que essa é uma grande oportunidade para montar um novo empreendimento e gerar bons negócios? Entenda um pouco mais sobre a atuação de um instalador de painel solar abaixo:

Aprofunde-se

Quem tem conhecimento se destaca no mercado. Por isso, é recomendável que você estude muito e conheça as particularidades do trabalho e também as normas do setor, para sair na frente da concorrência.

Por exemplo, você já parou para pensar que, além de fazer a instalação, deve saber analisar se a estrutura do telhado é adequada para os painéis, se a rede elétrica suporta a potência, se não vai fazer sombra em cima do captador de luz e se o ambiente está preparado para prevenção de incêndios?

Por isso, conheça mais sobre o assunto acessando o site da ABNT, que conta com a Coletânea de Normas para Sistemas Fotovoltaicos, publicação que reúne as normas sobre esse tipo de sistema e sobre geração de energia solar fotovoltaica.

Como se profissionalizar

Caso você decida se formalizar como um MEI instalador da tecnologia fotovoltaica, no Portal do Empreendedor, poderá fazer uso dos seguintes códigos de atividade empresarial na hora do registro:

  • Instalador de Energia fotovoltaica (solar) (4321500)
  • Instalação e manutenção elétrica (3313901)
  • Manutenção e reparação de geradores, transformadores e motores elétricos (3313902)

Junto com o crescimento do setor no país vem o aumento nos cursos profissionalizantes na área. A dica que damos é: além da capacitação técnica, é preciso ter um conhecimento prático do assunto. Por isso, na hora de escolher um curso, vá atrás daqueles que oferecem treinamento presencial e em um local adaptado para simular todas as etapas da instalação.

Confira alguns cursos que você pode fazer:

  • Senai (procure a unidade mais próxima de você para se informar sobre a disponibilidade dos cursos)
  • Unicamp
  • Diversas empresas de grande e médio porte que atuam na geração distribuída oferecem cursos presenciais e pela internet (procure por elas nos sites da ABSOLAR e ABGD e por cursos sobre instalação de painéis solares fotovoltaicos na internet).

Atenção

Mesmo com a sua profissionalização, todo projeto de energia solar fotovoltaica deve ser elaborado por um engenheiro responsável, que o registra no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), e requer um protocolo na concessionária de energia.

Normas de segurança

O trabalho requer muito cuidado, afinal, ele envolve mexer diretamente com energia elétrica e subir em residências e edifícios para fazer as montagens das placas. Entenda que isso é especialmente importante para quem é MEI, já que, como uma figura empresarial, assume responsabilidades para consigo e para com terceiros, ter um CNPJ lhe dará direitos mas obrigações e responsabilidades também. Por isso, há duas normas que devem ser seguidas à risca, a NR 10 e a NR 35.

Para ajudar você a se cuidar quando estiver nos telhados instalando os painéis, criamos uma cartilha com as principais informações sobre as normas. Informe-se e não dê chance para o perigo.

Geração distribuída

É importante também entender que o mercado de energia fotovoltaica deve seu crescimento a algumas regulamentações feitas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A Aneel criou a Resolução Normativa Aneel nº 482/2012, alterada posteriormente pela Resolução Normativa 687/2015, viabilizando a chamada “geração distribuída”, que permite ao consumidor produzir sua própria energia e gerar créditos na conta de luz.

Isso quer dizer que, se o usuário tiver fizer uso de energia solar em casa e gerar mais energia do que consumir num mês, ele fica com crédito para abater a fatura dos meses seguintes, por um período de cinco anos. Até agosto de 2018, esse tipo de geração de energia alcançou 355 MW de potência instalada.

Que tal continuar explorando?