O que considerar?

Sabemos que na fase de criação e produção é importante se organizar e traçar o melhor caminho para começar bem os negócios.Isso não poderia ser diferente na hora de definir o valor dos seus produtos. A melhor forma de cobrar pelos serviços é definindo o estilo de trabalho e as técnicas que vão ser usadas.  

Primeiramente, o local de atendimento é um fator a ser levado em consideração. Se feito na sua própria casa, o que deve ser pensado é se é em uma área mais afastada para seus clientes ou mesmo se a distância é longa a ser percorrida. Caso atenda em um ateliê montado em outro ambiente, o aluguel do espaço, as contas de luz, água e internet também precisam ser consideradas e devem ser adicionadas à média do valor final.

O público-alvo deve ser levado em conta, sempre. Qual é o poder aquisitivo dos meus clientes? Que público procuro atingir? Considere também o tipo de material trabalhado, como roupas mais básicas, confecções para o dia a dia, se são ajustes rápidos ou confecções grandes, se o estilo são roupas de alfaiataria ou alta-costura.

A partir disso, considere o valor dos materiais e  o tempo gasto na compra e, se for o caso, o tempo de criação da peça, de prova, de ajuste durante a confecção, que precisará ser contabilizado também como hora de trabalho. Inclua nesse cálculo sua pretensão de lucro durante o mês. É bom frisar que, sempre que for cobrar por um serviço, adicione um tempo extra, afinal de contas, imprevistos podem acontecer.

Como definir o valor de horas trabalhadas

Para fazer o cálculo de horas, você deve ter em mente o valor que pretende obter no final do mês,seus ganhos, por assim dizer, e dividir pelas horas de trabalho mensais, que costuma ser de 190, se você trabalhar no período de 8 horas diárias, em dias úteis.

Caso sua ideia seja montar o seu próprio ateliê e contratar uma outra costureira, a remuneração da profissional deve ser considerada no momento de estabelecer valores para o seu serviço. O cálculo deve ser feito considerando o quanto o dono do ateliê deseja ganhar no final do mês e a porcentagem que ele deseja pagar para esse funcionário.

Uma dica importante é controlar melhor seus gastos com o chamado controle de caixa. Construindo essa tabela, você passa a registrar seus gastos e entradas de dinheiro e pode ter uma noção mais ampla para trabalhar na formação do preço do seu serviço em cima da informação de quanto gostaria ter de ganho, por exemplo.

Com esse sistema, fica mais fácil de, quem sabe, planejar uma expansão do negócio e até mesmo se preparar para receber pedidos mais elaborados, que demandam materiais mais caros e que podem ser boas oportunidades de aumento nos lucros.

A ideia da planilha de fluxo de caixa é a mesma. É só separar uma coluna com os valores das contas a pagar e outra de contas a receber, para depois calcular a diferença e obter o valor do saldo final. 

Você pode entender um pouco mais sobre gestão de gastos conferindo esta cartilha.

Fonte:

Tags: precificação, preço, lucro, venda

Que tal continuar explorando?