ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e Eventos presenciais

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Mon Aug 07 10:13:20 GMT-03:00 2017
Inovação
A ação do marketing geolocalizado e de conteúdos gerados por usuários
Conheça uma das formas mais eficientes para aproximar sua marca dos clientes e potenciais clientes no meio digital.
Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

  • Geomarketing
  • Conteúdos gerados por fãs
  • Quem dita tendências?

Explorar a internet como um meio de divulgação para empresas não é uma tarefa simples. O extenso universo virtual pode confundir empresários que, muitas vezes, não sabem por onde começar ou acabam investindo em técnicas de marketing que possuem pouco retorno para o seu negócio. 

O relatório Internet Trends Report, divulgado recentemente pela empresa de capital de risco Kleiner Perkins Caufield & Byers (KPCB), aponta tendências e dados anuais capazes de guiar quem quer investir na internet como meio de divulgação para sua empresa. Confira! 

Rejeição do público 

O uso exagerado da publicidade online pode ser desastroso, gerando sites saturados e com layout pouco amigáveis. que causam uma reação negativa do público aos anúncios patrocinados. 

De acordo com o relatório de tendências da internet 2017 (KPCB), o número de usuários que utilizam bloqueadores de publicidade tem crescido rapidamente. Atualmente, cerca de 400 milhões de pessoas ao redor do mundo utilizam ad-blocking. No Brasil, os bloqueadores estão presentes em 6% dos computadores e 1% dos celulares. 

Esses dados comprovam que, cada vez mais, os consumidores tendem a rejeitar anúncios feitos diretamente pelas marcas. Dessa forma, empresas de marketing precisam buscar alternativas para driblar a situação, visto que as marcas precisam de divulgação para atrair novos clientes. A publicidade orgânica vem crescendo e se tornando a solução para esse problema.

Geomarketing

A vida cotidiana é composta por uma série de “momentos”: de casa para o trabalho, do trabalho ao mercado, ao shopping, ao cinema. Nessa jornada, mesmo que não esteja procurando ou pretendendo comprar alguma coisa, o consumidor pode estar disposto a algo, seja uma xícara de café ou a um celular novo. 

Os chamados micromomentos são, portanto, momentos em que um consumidor está mais propenso a adotar, adquirir ou consumir um produto ou serviço, tornando-se a hora certa para uma ação de marketing de produtos que estão no caminho de possíveis compradores. 

O chamado Geomarketing consiste em uma ferramenta capaz de determinar o potencial de consumo de uma região e, dessa forma, avaliar os possíveis resultados da implantação ou divulgação de uma marca no local. Recursos tecnológicos, atualmente, permitem saber a localização exata de um consumidor para que, então, sejam apresentados anúncios relevantes para sua jornada. A publicidade baseada em geolocalização é ideal para criar um vínculo com o consumidor, oferecendo o produto certo no momento certo. 

No Brasil, algumas empresas já utilizam a estratégia para captar possíveis clientes. A empresa de tecnologia LG, por exemplo, constatou que o maior ponto de vendas ainda eram as lojas físicas e, devido a isso, utilizou a geolocalização para divulgar sua linha de produtos LG L Prime. 

A empresa utilizou o geomarketing para avisar aos consumidores que eles estavam passando nas proximidades de uma loja de telefonia celular, isso foi feito através de banners de promoções especiais que apareciam no aparelho do cliente. As ações, que tiveram um custo consideravelmente menor ao de publicidade, geraram cerca de 5 mil visitas aos pontos de venda do dispositivo. 

Aplicativos de referência geográfica também estão incluindo espaço para publicidade em suas plataformas, o Uber e o Foursquare, por exemplo, têm se mostrado efetivos na hora de divulgar estabelecimento em rotas traçadas pelos usuários. A união desses dois aplicativos une dados de localização, rota, destino e hora do dia para gerar uma oferta. 

Outra forma de descobrir onde e como a publicidade tem que ser feita e, dessa forma, entregar anúncios relevantes é com a utilização do chamado Hyperlocal targeting. Uma tecnologia de anúncios que permite que os comerciantes usem os dados do smartphone dos usuários para segmentar o público de forma geográfica, baseada no que eles digitam, em algoritmos e no upload de imagens feitos em tempo real. O marketing feito pelo aplicativo de compartilhamento de imagens e vídeos em tempo real, Snapchat, gerou uma receita liquida de cerca de 160 milhões de dólares em 2016.

Conteúdos gerados por fãs

Marcas internacionais e brasileiras já estão apostando nessa estratégia de divulgação. O relatório divulgou uma lista das marcas que mais apostam nessa estratégia, entre elas estão a companhia área Qatar Airways, Red Bull, Sephora e Netflix. Confira o ranking abaixo:

 

 

A Netflix, 6ª empresa presente na lista, usa essa estratégia de uma forma diferente. A empresa, por meio de uma voz de marca descontraída e divertida, faz com que os usuários se sintam a vontade para compartilhar suas publicações, que em sua maioria são piadas e brincadeiras com as séries da plataforma, com os amigos. 

Quando os usuários do twitter lançaram a hashtag #NetflixAndChill, uma expressão utilizada para se referir a assistir filmes e séries com o companheiro, a Netflix não perdeu a oportunidade entrou na brincadeira. Um gif postado com o tema gerou engajamento e milhares de compartilhamentos.

Já a empresa de sorvetes Ben&Jerry’s, por exemplo, divulga em sua página do instagram conteúdos relacionados aos produtos da marca que foram postados, de forma espontânea, pelos clientes em suas páginas pessoais. Dessa forma os consumidores sentem-se lisonjeados em ter suas fotos publicadas no instagram da marca, que tem cerca de 50 mil seguidores. Esse tipo de interação gera, além de mais curtidas e reações positivas, um estreitamento na relação entre a empresa e os consumidores. 

 

Quem dita tendências?

Além dessa divulgação espontânea surgiram os chamados influenciadores digitais. Hoje, formadores de opinião deixaram de ser apenas famosos, jornalistas ou artistas. Atualmente, pessoas – quase – comuns são capazes de influenciar milhares de pessoas através da internet, ditando tendências e apresentando objetos de desejo ao público. 

O chamando Influencer Marketing aproxima marcas de seus consumidores usando o relacionamento do público com o influenciador como ponte. Esses, por sua vez, utilizam as plataformas disponíveis, destacando-se pela produção de conteúdos relevantes em redes como Instagram, o YouTube e o Snapchat.

Essa habilidade faz com que essas pessoas conquistem uma grande quantidade de seguidores, tornando-se celebridades na web, fato que pode ajudar ainda mais na estratégia de divulgação da empresa, capaz de alavancar o sucesso de uma marca.

Para uma pequena empresa, fechar contratos com influenciadores com milhões de seguidores pode ser pouco acessível, mas é possível driblar contratos caríssimos e, ainda assim, receber prestigio de celebridades.  Além da opção de realizar permutas de produtos e serviços em troca de divulgação, enviar “presentes” a essas pessoas pode acarretar em um post espontâneo e eficaz. 

A Ninathi acessórios faz produtos personalizados para bebês. A loja, aproveitando uma oportunidade, enviou alguns produtos personalizados para Tati Romano, do blog de culinária Panelaterapia, que havia acabado de dar a luz a Lis. Espontaneamente, Tati divulgou os produtos da loja em seu instagram.

A ideia de envolver um influenciador digital na divulgação do negócio é atraente, mas é importante aprender a lidar com esse tipo de marketing. Separamos dicas capazes de tornar o diálogo mais simples: 

1. Conheça o seu público 

O primeiro passo para começar uma parceria com um influenciador digital deve ser dado bem antes da negociação. É necessário listar o gosto de seus consumidores, desde que tipo de conteúdo eles consomem até a faixa de idade e gênero da maioria deles.

Dessa forma será possível assim ser assertivo na hora de listar as personalidades digitais que se adéquam a sua marca e ao seu público. 

2. Pesquise 

No YouTube, por exemplo, existem uma infinidade de canais que disponibilizam uma variedade enorme de conteúdos. O número de inscritos de cada um é igualmente variável, enquanto alguns youtubers falam para uma média de 150 mil usuários, outros contam com mais de 1 milhão de inscritos. Lembre-se que, nem sempre, quantidade é sinônimo de qualidade e, por isso, muitas vezes um influenciador com menos fama será mais acessível e, ainda assim, eficaz na hora de divulgar sua marca, basta buscar a pessoa certa para isso. 

3. Escolha a cara que terá a sua marca 

É preciso ter em mente que o influenciador (ou influenciadores!) escolhido será quem vai falar pela sua marca. Por isso, é muito importante que os valores e interesses estejam a alinhados ao da sua empresa. 

Estudo e entenda o conteúdo produzido e defina pontos que se encaixam, avaliando se existem características que podem prejudicar a imagem do seu negócio. 

4. Esteja preparado para os resultados 

Antes de fechar uma parceria com um influenciador digital é preciso avaliar quais impactos isso irá trazer ao seu negócio. É importante analisar que os resultados, quando positivos, podem gerar impactos no fluxo de acessos ao site da empresa, por exemplo, aumento nas vendas e na procura, você precisa estar preparado! 

5. Se relacione e negocie 

Influenciadores são pessoas que precisam ser conquistadas para que possam conquistar clientes para você. O primeiro contato deve ser agradável, onde é importante ressaltar os motivos pelo qual sua marca o escolheu como porta voz. 

Peça orçamentos, informe o que será divulgado e passe a mensagem que sua empresa quer transmitir. Prepare o bolso, quanto maior o número de seguidores, maior são os valores cobrados. 

Normalmente, os valores são por ação ou pacote, como postagem de vídeo, presença em evento, postagens em blog etc., por custo por mil exibições do anúncio, ou custo por clique no anúncio. 

6. Acompanhe os resultados 

Após a divulgação, acompanhe mais de perto os canais de comunicação da sua marca, principalmente, as mídias sociais. Muitos seguidores vão querer conhecer o serviço divulgado pelo influenciador, estar a postos para responder dúvidas e interagir com eles pode atrair clientes. 

Acompanhe o crescimento do número de seguidores de suas mídias e, principalmente, dos comentários e compartilhamentos. Esse é o momento de perceber qual foi a impressão que o influenciador causou da sua empresa. 

A internet oferece diversos meios de promover o seu negócio de forma barata e eficiente, basta saber por onde começar. Agora que você já conhece um pouco sobre as novas tendênias digitais, mãos à obra! 

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Converse online com o Sebrae

Tire suas dúvidas em tempo real e receba dicas sobre os seus negócios
diretamente dos nossos especialistas em pequenas e microempresas.
Um serviço gratuito para você.

Converse agora