ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e Eventos presenciais

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Fri Sep 13 14:00:07 GMT-03:00 2019
Inovação
Automação de caixa garante rapidez de atendimento ao cliente
Ter sistemas para controle e efetivação de vendas, estoques e pagamentos aumenta a agilidade no atendimento e a segurança dos processos.
Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

Os estabelecimentos que trabalham com a automação de caixa são, normalmente, os que apresentam as maiores variações no varejo. É o caso, por exemplo, das grandes redes de supermercados ou lojas de departamentos. Nessas lojas, o consumidor normalmente escolhe o produto numa gôndola e depois o passa por uma mesa (com ou sem esteira), onde um funcionário faz o registro da compra e a cobrança na máquina registradora ou ponto de venda (PDV).

Nas grandes redes, a automação pode ser considerada um processo consolidado, com sistemas cada vez mais sofisticados que envolvem equipamentos como terminais de autoatendimento, máquinas em rede e uso de radiofrequência. Muitas vezes, porém, os pequenos e médios proprietários precisam de orientação para iniciar ou mesmo ampliar a estrutura de automação.

A partir do momento em que a variedade de produtos começa a ser ampliada (acima dos 20 ou 30 mil itens) e o giro torna-se maior, aumenta a necessidade de equipamentos mais sofisticados. Mesmo um estabelecimento de pequeno ou médio porte pode ter um alto giro de mercadorias durante o dia. Isso torna interessante a utilização de equipamentos que facilitem o registro de vendas e estoques e reduzam o tempo de espera nas filas, como leitor de código de barras, impressora de cheques e leitor de cartões de crédito.

Independentemente do tamanho do estabelecimento, até o nível mais básico de automação está se tornando importante no comércio devido à concorrência acirrada no setor, que exige do varejista o máximo de eficiência.

Estrutura básica

O ideal é ter uma estrutura de PDV com um microcomputador dedicado especificamente à automação comercial. Há, ainda, um meio-termo entre as máquinas e os PDVs, os chamados microterminais, que são pouco mais que um PC simples, com teclado e display, mas com capacidade para imprimir o cupom fiscal.

Emissor de cupom fiscal

O Emissor de Cupom Fiscal (ECF) é exigido por lei quando o faturamento anual for superior a R$ 120.000,00 (cento e vinte mil reais). Atualmente, o ECF é utilizado nas transações que impliquem na tributação pelo Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Facilidades

Não ter um leitor de código de barras quando a grande maioria dos produtos comercializados já tem o código impresso é contraproducente. Nos maiores supermercados, até produtos como hortifrutigranjeiros e carnes recebem o código, impresso pela máquina. Mesmo ficando apenas na gôndola, existem mecanismos que facilitam o trabalho do comerciante. Um microterminal com impressora pode servir para colocar o preço certo em uma mercadoria cujo valor não esteja visível na prateleira.

Há estabelecimentos que usam a automação como uma forma de acompanhar a concorrência, indo até as gôndolas dos competidores e registrando os preços praticados com a ajuda de um leitor de código de barras.

Entre as mudanças que estão sendo implantadas nos mercados tradicionais está a balança para pesagem de produtos integrada ao próprio caixa, que, entre outras coisas, evita que o consumidor passe por duas filas para adquirir a mercadoria.

Implantação em comércios de pequeno porte

Estabelecimentos menores raramente têm a oportunidade de realizar uma automação integrada, incluindo frente de loja e retaguarda. As mudanças geralmente vêm aos poucos, o que torna necessário redobrar o cuidado com a aquisição de equipamentos compatíveis.

O ideal é que pelo menos o proprietário procure desde o início um fornecedor credenciado, com sede na região e de boa reputação, e que continue todo o processo com a mesma empresa, mesmo que seja feito em etapas com longos intervalos entre elas. É recomendável que o fornecedor acompanhe tudo, desde a aquisição até a instalação e o treinamento dos funcionários. É de grande valia que o contrato inclua a manutenção e a atualização das máquinas.

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Converse online com o Sebrae

Tire suas dúvidas em tempo real e receba dicas sobre os seus negócios
diretamente dos nossos especialistas em pequenas e microempresas.
Um serviço gratuito para você.

Converse agora