ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e Eventos presenciais

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Fri Jan 19 16:09:26 GMT-03:00 2018
Empreendedorismo
Trabalhe como MEI no setor de festas e eventos
Formalização é fácil, de baixo custo e traz vantagens. Você pode vender ou prestar serviços para pessoas físicas e empresas.
  • Demandas do setor
  • Formalize-se
  • Como fazer

Profissionais autônomos que trabalham no setor de festas e eventos, como animadores, confeiteiros, doceiros e salgadeiros, têm a chance de se cadastrar como Microempreendedor Individual (MEI) e aproveitar vantagens e benefícios da formalização.

Festas de aniversário e casamentos adquiriram hoje status de superprodução. Essa pode ser a oportunidade para atividades que envolvem essa área e que são permitidas para o MEI.

No âmbito corporativo, investimentos em ações de relacionamento e fidelização de empresas com clientes (como feiras, exposições, eventos e datas comemorativas) acompanham esse movimento.

A expansão dos lucros pode vir com a possibilidade de ampliação dos clientes. Registrando-se como MEI, o profissional passa a emitir nota fiscal. Isso permite a venda de produtos ou prestação de serviços para empresas.

O MEI também pode ter acesso às capacitações e cursos promovidos pelo Sebrae, que vão ajudá-lo a qualificar-se ainda mais como profissional.

Confira a seguir informações sobre demandas e dicas sobre quatro das atividades permitidas.

Demandas do setor

Embora o mercado possua empresas especializadas no setor, geralmente elas terceirizam diversas atividades, inclusive animação de festas e fabricação de doces, bolos e salgados.

  • Animador de festas: é um dos serviços mais requisitados em aniversários de crianças. A atividade ganha impulso com o apelo que personagens de desenhos animados e filmes têm em relação ao público infantil. Esses personagens transformam-se no tema da comemoração.

Há ainda os animadores que representam as figuras clássicas, como palhaços, fadas, mágicos, equilibristas e bailarinas. Investir em equipamentos e acessórios para diversificar a animação, explorando a criatividade, é fundamental.

  • Confeiteiro: como a atividade de confeitaria compreende a fabricação de bolos, tortas e pães, o microempreendedor pode atender o setor de festas e eventos. Ele deve atrair o cliente não apenas pelo sabor, mas pelo visual do produto.

Atentar-se para a montagem do bolo no local da festa, para evitar que ele se desmonte durante o transporte, é mais um diferencial a ser oferecido.

Além de encomendas para pessoas físicas e buffets, ao formalizar-se como MEI, o confeiteiro ainda pode vender sua produção para supermercados, padarias e cantinas.

  • Salgadeiro e doceiro: no caso das festas e eventos comemorativos, a procura é grande não apenas por profissionais que fabriquem salgados e doces com apresentação caprichada e ingredientes diferenciados. Há pedidos para que os doces e salgados sejam preparados e servidos no momento da festa.

Em todo ano

Mesmo para as famílias com um orçamento menor e empresas de menor porte, a contratação de profissionais da área é necessária. Ela representa comodidade na organização das comemorações e festividades.

As atividades de animação de festas, confeitaria e produção de doces e salgados têm demanda o ano inteiro. Ainda há os períodos sazonais, como datas comemorativas (a exemplo de festas juninas e de final de ano), que aumentam a procura.

Formalize-se

O profissional formalizado que trabalha por conta própria torna-se o dono de um pequeno negócio. Ele passará a ter um número de CNPJ, que o permite abrir conta bancária, pedir empréstimos e emitir notas fiscais.

O faturamento do MEI não pode passar de R$ 81 mil por ano. Ele também não pode ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

O MEI  pode contratar um empregado com salário-mínimo ou piso da categoria profissional à qual o empregado pertença. 

Baixo custo

Os microempreendedores individuais serão enquadrados no Simples Nacional e ficarão isentos dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Terão despesas apenas com a Previdência Social (INSS) e, a depender, ICMS ou ISS.

Com essas contribuições legalmente estabelecidas para o MEI, o profissional que atua no setor de festas e eventos terá acesso a benefícios como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria, entre outros destinados a todos os mircroempreendedores individuais.

Como fazer

O cadastro de Microempreendedor Individual é gratuito e pode ser feito pela internet no Portal do Empreendedor ou ainda com o auxílio de empresas de contabilidade, optantes pelo Simples Nacional, que vão realizar a formalização gratuitamente. 

Antes de formalizar o seu trabalho autônomo, verifique com a Prefeitura se a atividade pode ser registrada na sua residência.

Consulte o Sebrae mais próximo na sua cidade para esclarecer dúvidas sobre os procedimentos.

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora