FLUXO DE CAIXA

Como considerar os efeitos da inadimplência no fluxo de caixa

Saber como calcular a probabilidade de não receber pelas vendas realizadas possibilita um controle financeiro estável da sua empresa.

Todos os negócios, em geral, estão sujeitos a uma probabilidade de não receberem parte de suas vendas realizadas. Para calcular os impactos da falta de pagamento pelas vendas realizadas, o primeiro passo a ser tomado é verificar a consequência da inadimplência no fluxo de caixa. Você tinha uma entrada de caixa prevista para um determinado dia e ela não ocorreu. Logo, os pagamentos previstos para esse mesmo dia e, para os próximos, não contarão com o que não foi recebido.

Se o recebimento nunca ocorrer, o efeito disso no caixa será para sempre e, na prática, o lucro do negócio ficará diminuído no mesmo valor não recebido.

Mas, se for o caso de um atraso, o efeito no caixa é temporário. O que também poderá gerar um custo, só que agora para financiar o caixa durante o atraso.

Entenda melhor

Por exemplo: se seus clientes atrasarem os pagamentos, você poderá precisar de um empréstimo para conseguir pagar suas despesas previstas. E quando você receber dos clientes atrasados você quitará seu financiamento. Isso terá um custo, os juros do financiamento.

Como segundo passo, você pode verificar e medir o grau de inadimplência do seu negócio, calculando a probabilidade de não receber pelas vendas realizadas. Basta você somar os valores dos últimos seis meses de todas as vendas realizadas e não recebidas e dividir o resultado pelo total das vendas realizadas (recebidas ou não), do mesmo período. Multiplique por cem e você terá o índice percentual de inadimplência do seu negócio.

O Sebrae preparou um documento só sobre como administrar essas cobranças e controlar efetivamente a inadimplência na sua empresa.

Acesse o Instrumento de Apoio Gerencial nº 19 (em PDF).

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: