DEFINIÇÃO ESTRATÉGICA DO NEGÓCIO

Urban hacking: ocupação dos espaços públicos para a geração de negócio

Publicação do Sebrae mostra como a tendência de reapropriação de espaços públicos pode representar uma oportunidade de negócio, especialmente em turismo.

Espaços públicos reapropriados são uma ótima oportunidade para atrair pessoas. Seja em grandes centros ou mesmo em pequenas cidades do interior, a utilização de locais como esses tem chamado a atenção de empreendedores e do poder público.

A ocupação de espaços públicos pode ser definida como a reutilização e a revitalização de locais de uso comum nas áreas urbanas, que visa uma maior interação da população e dos visitantes por meio de lazer, economia criativa e entretenimento. Em sua maioria, os espaços públicos são locais históricos transformados, seja para manter sua atividade original ou para adquirir  um novo significado.

Um movimento que vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil é o Urban Hacking. Ele está relacionado à forma de reapropriar os espaços de modo criativo, por meio de intervenções artísticas. 

A partir da utilização inteligente de locais públicos que já possuem circulação de pessoas, a cadeia de turismo local pode se preparar para o fomento de negócios da região. Incentivando as redes de gastronomia, lazer, entretenimento, hospedagem ou qualquer outro negócio ligado ao turismo, existem diversas oportunidades em decorrência dos projetos inteligentes de ocupação.

Em vista disso, o Boletim de Inteligência do Sebrae oferece exemplos de ocupação dos espaços públicos, destacando as possibilidades para os  empreendedores do segmento turístico que desejam aproveitar o ensejo para gerar negócios.

Nele, você vai conhecer, entre outros temas:

  • Exemplos de ocupação inteligente no Brasil e no mundo
  • O projeto governamental Minha Cidade Inteligente
  • Os negócios impactados pela ocupação inteligente
  • Ações recomendadas

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: