Como sua empresa pode reagir ao coronavírus

Encontre novas formas de fazer negócios para não ter prejuízos neste momento de crise.

Fale com o Sebrae
Finanças e acesso a crédito
Legislação
Adapte seu negócio
Orientações para seu segmento
Dicas e exemplos a seguir
Vídeos
Prepare-se

Não está sendo fácil gerenciar uma empresa neste momento. A cada dia que passa, o perigo do coronavírus se torna maior, e isso ameaça a sobrevivência do seu negócio. Ninguém sabe o que vai acontecer, mas é certo que você não pode parar. E, em função das dificuldades que vão surgir, as pessoas vão precisar, como nunca, contar com a sua força.

Esta é uma situação que jamais experimentamos, por isso estamos colhendo exemplos do que empresários de todo o Brasil e do mundo têm feito para se fortalecer. Veja como podemos ajudar você a conduzir o seu negócio, aproveitando as oportunidades para encarar o desafio de se reinventar.

Nós também acreditamos no poder da capacitação. Portanto, estamos oferecendo cursos online e gratuitos para que você possa desenvolver habilidades em diversos temas de gestão e aplicar seus conhecimentos na busca de soluções criativas para o seu empreendimento.

O que temos feito pelos pequenos negócios

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, gravou um vídeo para explicar as medidas que estamos tomando para diminuir o impacto da crise. Assista!

Continuar lendo
Perguntas Frequentes
  • Como encontro um equilíbrio entre gastar dinheiro para manter as coisas funcionando e saber quando recuar?

    Um bom entendimento dos números e ciclos do seu negócio ajudará nisso. Optar por investir em produtos ou serviços que tenham um ciclo de vendas mais longo pode comprometer as reservas de caixa necessárias. Às vezes, não há uma ótima opção aqui, mas tente equilibrar suas necessidades imediatas sem prejudicar completamente os planos de longo prazo. Você terá que avaliar o risco de gastar e não gastar e como isso afeta os negócios.

  • Devo procurar diversificar meu mercado agora?

    Provavelmente não. É sempre bom estar aberto a novos mercados e não ter todos os seus ovos em uma cesta. No entanto, se estiver enfrentando uma desaceleração acentuada e drástica, essa opção pode ser cara e levar muito tempo para causar um impacto imediato. Aborde isso com cautela e seja fiel às partes principais do seu negócio. É o que você faz melhor.

  • Quando devo enviar um funcionário para casa?

    Os empresários que são capazes de administrar uma empresa com trabalhadores virtuais são incentivados a fazê-lo. Se o funcionário estiver mostrando sinais de uma infecção respiratória ou for um membro de um grupo mais vulnerável às orientações típicas do Covid-19, envie-o para casa até que os sintomas passem ou a declaração de desastre seja revogada.

  • Minha empresa está passando por uma desaceleração. Devo estar economizando dinheiro neste momento?

    Sim, você deve procurar maneiras de economizar dinheiro, quando possível. Isso começa com um bom entendimento de suas margens e de seus produtos ou serviços geradores de receita em curto e longo prazo. Você deve ter um fluxo de caixa funcional para poder avaliar suas necessidades de caixa. Acesse conteúdo online sobre fluxo de caixa.

  • Qual é a importância das práticas de gerenciamento de inventário?

    É muito comum as empresas terem dinheiro envolvido em inventário improdutivo. Uma boa compreensão do seu inventário muda com o tempo, e a idade dele o ajudará a encontrar os itens que precisam ser liquidados e transformados em dinheiro. Se pretende fazer descontos para aumentar as vendas, esse é o lugar certo. Coloque o inventário antigo para funcionar e transforme-o em dinheiro.

  • É importante ter um orçamento e entender meu ponto de equilíbrio?

    Sim! Se você tem um orçamento ativo, é muito mais fácil rastrear alterações nas estimativas de gastos e receitas. À medida que fizer essas alterações, seu ponto de equilíbrio será alterado. Isso permitirá ter metas atualizadas e uma melhor compreensão do que será necessário para permanecer com saldo positivo.

  • É um bom momento para entrar em contato com meu banco?

    Sim, sempre que possível, tente conversar com seu banco antes de enfrentar grandes problemas de caixa. Geralmente, é mais fácil solicitar linhas de crédito antes de estar desesperado por elas. Lembre-se de que seu banco deve ser tratado como um parceiro, afinal, seu sucesso é o sucesso deles.

    Se está tendo problemas para cumprir com as obrigações de dívidas existentes, não espere para obter orientação. Eles podem estar dispostos a negociar acomodações de curto prazo para aliviar sua carga de caixa.

    Nota: cuidado com os credores online rápidos e fáceis. Esses termos podem ser muito caros e fazer mais mal do que bem.

  • Como lidar com os direitos dos funcionários neste momento de crise do coronavírus?

    Muitos empregadores têm tomado medidas em relação a seus funcionários, seja liberando férias coletivas ou mesmo dispensando o trabalho com a manutenção salarial. As medidas, contudo, não se sustentarão, pois a crise, ao que tudo indica, será de longo prazo.

    Para minimizar os prejuízos do trabalhador e da empresa, se não houver alteração do regime jurídico hoje em vigor, as medidas mais adequadas e imediatas são:

    • Alteração do regime de tempo integral para parcial, limitado à duração de até 30 horas na semana (sem possibilidade de horas suplementares).
    • Duração de até 26 horas na semana (com possibilidade de até seis horas suplementares semanais), desde que manifestada a opção por escrito do trabalhador e prevista a autorização em acordo ou convenção coletiva.
    • A já praticada concessão de férias coletivas (com comunicação prévia ao sindicato), podendo ser concedida de imediato.
    • Banco de horas semestral, a ser pactuado por empregador e empregado em acordo individual escrito.
    • Alteração para o regime de teletrabalho, por mútuo acordo entre empregador e empregado, com previsão em aditivo contratual.

  • Como o poder público tem contribuído com a simplificação de atendimento dos seus serviços?

    Por meio do Decreto nº 10.279, de 18 de março de 2020, os entes e órgãos vinculados ao Governo Federal que necessitarem de documentos de seus usuários, como comprovação de regularidade, certidões, atestados e outros, poderão acessar diretamente a base de dados oficial da administração pública.

    Não haverá exigência direta dos usuários. Caso tenha dados sigilosos, serão respeitados o requisito de segurança da informação e as restrições legais.

    Para os usuários que queiram acessar os serviços públicos em prol da simplificação ou melhoria do serviço público, é necessário apresentar “Solicitação de Simplificação”, por meio de formulário próprio denominado Simplifique! Consulte http://simplifique.gov.br/

  • Em meio à crise do coronavírus, é possível encontrar oportunidades de negócios?

    Uma dica para o empreendedor é acompanhar o Diário Oficial da União (DOU), que traz oportunidades de negócio por meio de chamamentos públicos. Não deixe de acompanhar a Seção 3 do DOU, disponível no site www.in.gov.br.

     

     

  • Como as empresas do Simples Nacional e o MEI deverão emitir guia avulsa para recolhimento do ISS e ICMS?

    Considerando que o ICMS e o ISS não estão inclusos na prorrogação anunciada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN), recomenda-se a emissão de uma guia avulsa para o recolhimento desses impostos.

    O sistema deverá ser parametrizado. Como o benefício se inicia no próximo mês e o acesso ao cálculo de março abre somente em 1º de abril, ainda não é possível orientar detalhadamente como proceder.

    Enquanto isso, o CGSN iniciou nova consulta aos representantes de estados e municípios para que avaliem a inclusão do ICMS e do ISS na prorrogação dos tributos do Simples Nacional.

     

  • Estou com minha conta de energia elétrica atrasada. A concessionária pode cortar a prestação de serviços na minha casa ou na minha empresa?

    Foi publicada Resolução Normativa da Aneel, estabelecendo a manutenção dos serviços de energia elétrica. Trata-se de uma medida que suspende apenas o corte do fornecimento, não impedindo a cobrança dos débitos pelos meios cabíveis (a partir do vencimento), a exemplo de uma negativação (SPC/Serasa), cobrança via telemarketing ou judicial.

    Com a medida, em caso de inadimplência das contas mensais, fica proibido suspender:

    • O fornecimento de energia aos serviços e atividades considerados essenciais.
    • Onde existam usuários de equipamentos de autonomia limitada, vitais e dependentes de energia.
    • Unidades consumidoras em que a concessionária suspender o envio da fatura impressa sem anuência do consumidor, sendo proibida a aplicação de juros e multa.
    • Onde não houver postos de arrecadação em funcionamento, o que inclui bancos, lotéricas e outras unidades comerciais conveniadas, ou em que for restringida a circulação das pessoas pelo poder público, sendo proibida a aplicação de juros e multa.

    Os serviços de atendimento presencial estão suspensos. As medidas podem ser revistas a qualquer tempo, e a resolução tem vigência por 90 dias, partir de 25 de março de 2020.

  • A Caixa Econômica Federal já se manifestou sobre o diferimento do FGTS e seu certificado de regularidade?

    A Caixa Econômica Federal editou a Circular n. 893, de 24 de março de 2020, com orientações acerca da suspensão temporária de recolhimento do FGTS, para as competências de março, abril e maio de 2020, vincendas em abril, maio e junho do mesmo ano.

    Todos os empregadores podem fazer uso dessa prerrogativa, independentemente de adesão prévia.

    Para uso do benefício do diferimento, o empregador deverá declarar as informações até o dia 7 de cada mês, no seguinte molde:

    • Os empregadores usuários do Sefip adotam as orientações contidas no Manual da GFIP/Sefip para usuários do Sefip 8.4 , em seu Capítulo I, item 7, obrigatoriamente com o uso da modalidade 1 (Declaração ao FGTS e à Previdência).

    O empregador que não prestar a declaração da informação ao FGTS até o dia 7 de cada mês, na forma prevista no item 1.1.1 ou 1.1.2, deve realizá-la impreterivelmente até a data limite de 20 de junho 2020 para fins de não incidência de multa e encargos devidos na forma do art. 22 da Lei n. 8.036/1990, sem prejuízo da aplicação de outras penalidades previstas em lei e regulamento.

    As competências de março, abril e maio de 2020 não declaradas até 20 de junho 2020 serão consideradas atraso e sofrerão incidência de multa e encargos, na forma do art. 22 da Lei n. 8.036/1990.

    Havendo rescisão do contrato, o empregador é obrigado ao recolhimento, mesmo durante o período de suspensão, além valores de natureza rescisória, sem incidência da multa e encargos devidos, caso efetuado dentro do prazo legal estabelecido para sua realização.

    O parcelamento do recolhimento do FGTS de março, abril e maio de 2020, com as informações declaradas, prevê seis parcelas fixas, com vencimento no dia 7 de cada mês – início julho de 2020 e fim dezembro de 2020.

    Quanto aos Certificados de Regularidade vigentes em 22 de março de 2020, terão prazo de validade de 90 dias, a partir da data do vencimento.

    Os parcelamentos em curso que tenham parcelas a vencer nos meses de março, abril e maio de 2020, na hipótese de inadimplência no período da suspensão de exigibilidade de recolhimento, não constituem impedimento à emissão do Certificado, mas estão sujeitos à cobrança de multa e encargos do art. 22, de Lei 8.036/1990.

  • A Receita Federal e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional já se pronunciaram sobre o prazo de validade da Certidão Negativa de Débito?

    Sim. As entidades prorrogaram, por meio da Portaria Conjunta n. 555, de 23 de março 2020, por mais 90 dias o prazo de validade das Certidões Negativas e Positivas com Efeitos de Negativas. Para se beneficiar dessa medida, que favorece a participação em certames licitatórios e outras oportunidades que exigem as certidões, elas devem estar válidas na data da publicação da portaria.

  • Em tempo de isolamento social, a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital tem promovido medidas mais simplificadas para o universo empresarial?

    O Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM), por meio da Resolução n. 55, de 23 de março de 2020, definiu o rito para abertura, alteração e fechamento de empresas do Inova Simples, por meio da REDESIM.

    O Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (Drei), por meio da Instrução Normativa n. 77, de 18 de março de 2020, dispôs sobre os pedidos de autorização para funcionamento de filial, agência, sucursal ou estabelecimento no país, por sociedade empresária estrangeira.

  • A Anvisa flexibilizou os requisitos para produção de dispositivos prioritários ao enfrentamento do coronavírus?

    Através da Resolução RDC n. 356, de 23 de março de 2020, a Anvisa temporariamente autorizou que a fabricação, importação e aquisição de dispositivos médicos prioritários específicos sejam dispensados de:

    • Autorização de funcionamento de empresa.
    • Notificação da Anvisa.
    • Outras autorizações sanitárias.

    A dispensa não libera o fabricante, importador e comerciante de obedecer às normas técnicas e de controle sanitário.

  • O presidente da República informou que revogou o artigo 18 da recente MP 927, de 22 de março de 2020. A revogação é oficial?

    Sim. No dia 23 de março de 2020, o Governo Federal editou e publicou a MP 928, revogando o artigo 18. Com essa medida, a opção de suspender o contrato de trabalho com direcionamento do trabalhador para qualificação, sem pagamento de salário, não tem mais efeito imediato à empresa para enfrentamento da pandemia.

Ainda tem dúvidas?

Cheque sempre a fonte das informações que você recebe. Se quiser, mande a sua pergunta para as nossas redes sociais.


Continuar lendo