this is an h1

this is an h2

Pular para o conteúdo principal
Bruna Cristofoli

Tem lugar que não é para mulher?
Mulher deve estar onde ela quiser!


Inclusive em cargos de liderança, como é o caso da Bruna Cristofoli, administradora da Cristofoli Vinhos, que nos mostra que mulher pode, sim, ocupar cargos de decisão nas empresas. Bruna cresceu em uma família de viticultores, seu pai e seu tio produziam e vendiam uvas para outras vinícolas em Bento Gonçalves, no sul do país. Na década de 1980, o pai e o tio começaram a passar por dificuldades e não tinham onde vender as uvas. A solução, então, foi fazer vinho: “Eles faziam vinhos de mesa e vendiam informalmente aqui na região com uma caminhonete, e foi assim, meio que sem ter nenhum administrador, sem ter muitos recursos, que eles começaram só com a cara e a coragem um negócio deles”, explica.

Invista em capacitação
  

Sempre muito incentivada e cobrada pela família, ainda bem jovem, Bruna resolveu fazer um curso técnico de enologia em um instituto federal de Bento Gonçalves e mais tarde um curso superior na mesma área: “Eu fui estudar, me formei, desde então eu sou a responsável técnica pelos vinhos da vinícola”, relembra. Bruna também conta que logo que se formou observou uma série de demandas e deficiências na vinícola: rótulos inadequados, problemas na linha de produtos, preços, falta de estrutura de custos e fluxo de caixa. Para completar a sua capacitação profissional, a enóloga procurou o Sebrae e, graças aos cursos e à consultoria, se tornou capaz de se dedicar à parte administrativa da empresa, fazendo melhorias significativas na marca. “Eu fiz já dois rebrandings, estamos incrementando a linha de produtos. Nós hoje temos o registro de todos os pagamentos feitos, as compras, controle de estoque, e não tinha nada disso”, explica.

Supere seus medos

Segundo Bruna, o mercado de vinhos está mudando, mas ainda é dominado pelos homens. Apesar de muitas mulheres se formarem – mais até do que homens –, elas não chegam aos cargos de decisão das empresas, por isso a enóloga acredita na importância de confiar em si mesma, de superar os medos. Ela sempre foi muito desafiada por ser mulher, mas isso não a intimidou: ela não deixa de ir a eventos por não ter companhia ou por não conhecer ninguém, por exemplo. “Minha atitude sempre fez mais diferença do que a roupa que eu tinha, a maquiagem que eu tinha (que era nenhuma)”, relata a jovem. Além da vinícola, Bruna também atua em várias entidades da cidade: “Comecei com a associação de turismo, hoje sou vice-presidente da Associação Vale das Antas, faço parte do Centro da Indústria, Comércio e Serviços de Bento Gonçalves (CIC-BG), sou diretora de pequenas empresas, também faço parte da direção da Associação Brasileira de Enologia e sou a segunda vice-presidente da Associação Bento Convention, uma entidade voltada a captar eventos aqui para a cidade. E também atuo no comitê de organização da 17ª Fenavinho, a festa nacional do vinho que ocorre aqui em em Bento Gonçalves”. Bruna também afirma que hoje as pessoas não questionam mais a sua autoridade e finaliza: “Se der medo, vai com medo mesmo”. 

Continuar lendo