this is an h1

this is an h2

Artigo de Eduardo Diogo: Uma nova geração de líderes

Eduardo Diogo

Diretor de Administração e Finanças do Sebrae

Estamos começando neste 5 de julho a jornada do Sebrae para mais meio século de dedicação ao empreendedorismo no Brasil. Essa caminhada será tão ou mais bem-sucedida do que foi até agora se a instituição souber ampliar seus esforços para uma missão fundamental no mundo contemporâneo: formar líderes capazes de conduzir com eficiência tanto os negócios de suas empresas quanto de se dedicar à construção de um Brasil melhor.

Cabe ao Sebrae, portanto, expandir suas iniciativas para qualificação de seu público-alvo, formado por mais de 20 milhões de micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais, mantendo sempre um nível de consciência mais elevado, atuando de fato para os 215 milhões de brasileiros.

Que tipo de líderes necessitamos para o enfrentamento dos enormes desafios do país? Em primeiro lugar, é necessário o líder empreendedor, disposto a assumir riscos e investir na construção de um novo negócio, contribuindo para a geração de emprego e renda. Contudo, a noção de empreendimento deve ser mais ampla, incluindo iniciativas no terceiro setor e na política.

Cada vez mais, a nação precisa de líderes com as mãos limpas e capazes de empunhar, com firmeza, a bandeira da ética, desenhada com princípios e valores de respeito ao bem público. É imperativo incentivar o surgimento e o desenvolvimento de líderes sem a vertigem das alturas, que rejeitem o convite das horas fáceis e que encarem a liderança como oportunidade de servir, tanto em segmentos específicos como à sociedade em geral.

Nesse contexto, uma tarefa vital é preparar os nossos jovens para que possam assumir papéis de vanguarda. O desenvolvimento de novas lideranças deve ir muito além da abordagem tradicional e do que o atual sistema educacional estabelecido oferece.

Nesse sentido, destaco quatro focos adicionais de aprendizado lato sensu. O primeiro é o de uma base formacional psicológica: autoconhecimento, autoconfiança, desenvoltura, comprometimento, companheirismo, resiliência e adaptabilidade.

O segundo se refere à elevação do nível de consciência, com um olhar em construções coletivas. O terceiro trata de valores e princípios morais, temática pouco discutida nos dias de hoje. O quarto pode parecer antiquado, mas possui grande atualidade: civismo. O civismo se refere aos aspectos organizadores básicos da vida em sociedade e da dedicação ao interesse público comum. As ações cívicas devem ser estimuladas e valorizadas.

O presidente americano John F. Kennedy, em janeiro de 1961, ao tomar posse, proferiu sua famosa frase: “Não pergunte o que seu país pode fazer por você; pergunte o que você pode fazer pelo seu país”. Naquele momento, ele estava incentivando cada americano a colaborar de alguma forma para o bem público e gerando reflexões sobre como essas ações cívicas podem ser aplicadas no contexto de nossas vidas cotidianas.

O percurso desse caminhar se faz com respeito ao semelhante. Um verdadeiro líder jamais pode ser para a equipe algo que impeça o crescer e o florescer de quem está ao seu lado. Pessoas em postos de comando, que são centralizadoras na execução, autoritárias, tornam-se danosas para a geração de novos talentos. Líderes de fato procuram constantemente identificar talentos ainda a serem despertados, e lhes dão oportunidade de ascender, geram um senso de inclusão, de pertencimento a algo maior, de identidade. Criam um ambiente onde cada pessoa tenha reconhecido o seu valor.

Disseminar esses conceitos entre nossos jovens e praticá-los com afinco no dia a dia – certamente farão emergir uma geração melhor, mais apta a guiar o setor dos pequenos negócios e alçar o país a um patamar sem precedentes em nossa história. Um rumo essencial para mais 50 anos de Sebrae, sempre de mãos dadas com o nosso Brasil!


Artigo publicado no livro "Sebrae 50 Anos: Criar o Futuro é Fazer História"

Foto: Erivelton Viana/Sebrae

Sobre o Sebrae 50+50

As atividades que marcam os 50 anos de existência giram em torno do tema “Criar o futuro é fazer história”. Denominada Projeto Sebrae 50+50, a iniciativa enfatiza os três pilares de atuação da instituição: promover a cultura empreendedora, aprimorar a gestão empresarial e desenvolver um ambiente de negócios saudável e inovador para os pequen72 os negócios no Brasil. Passado, presente e futuro estão em foco, mostrando a evolução desde a fundação em 19até os dias de hoje, com um olhar também para os novos desafios que virão para o empreendedorismo no país.

Conheça: www.agenciasebrae.com.br