ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e Eventos presenciais

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Fri Jun 12 14:52:54 GMT-03:00 2020
Empreendedorismo
Veja como a Madu Cakes reinventou seu negócio
Conheça a história da Naíza Paes, a empreendedora que teve que reinventar seu negócio no ramo da confeitaria
  • A festa não pode parar!
  • Planos pós-pandemia
  • Muito além de bolos...
  • Empreendedorismo feminino

A festa não pode parar!

Paralisada! Foi assim que a empreendedora Naíza Paes, 38, ficou quando percebeu que a pandemia do novo coronavírus poderia afetar o seu negócio. Proprietária da Madu Cakes, empreendimento de bolos decorados e doces finos, Naíza percebeu que sua empresa poderia sofrer um impacto massivo, uma vez que as pessoas não iriam mais se reunir para fazer celebrações por conta do distanciamento social.

O distanciamento social é uma medida recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a propagação da doença COVID-19, infecção causada pelo novo coronavírus. A determinação não só impactou o modo de vida das pessoas pelo mundo, mas surtiu efeito em diversos micro e pequenos negócios que agora estão Lidando com a Crise. 

Foi a encomenda de uma cliente que fez Naíza repensar como poderia levar seu negócio através da crise. O pedido foi a produção de 10 mini bolos para serem entregues em diferentes casas para a comemoração do aniversário de 87 anos de uma senhora através de videoconferência. E ali surgia uma oportunidade!

Foi neste momento a empreendedora teve que adaptar dois aspectos do seu negócio: o tamanho do bolo, que antes era oferecido em dimensões maiores para as festas; e o delivery, modalidade que a empresária ainda não tinha no seu negócio. 

“Eu não realizava entrega e, de certa forma, fui forçada a trabalhar com delivery e me adaptar a essa nova realidade, senão ficaria para trás”, contou. A empreendedora tinha preocupação sobre como iria parar a produção para fazer as entregas, até perceber que não necessariamente ela quem deveria fazer o delivery. 

Foi assim que Naíza contratou uma pessoa da sua confiança para fazer as entregas, que, seguindo seu novo formato de ideia, começou a aumentar. Depois de divulgar a celebração via videoconferência, seu negócio teve um novo ganho para continuar operando durante a crise. 

Além disso, a empresária conta que começou a voltar seu olhar para as datas comemorativas, planejando o que poderia oferecer de acordo com suas habilidades. “Uma amiga, que não encontrava um ovo de páscoa de cupuaçu, pediu para eu fazer e aceitei o pedido. Fiz, embalei, coloquei todo meu amor, tirei uma foto e postei. Pra quê? Nessa hora surgiram diversas encomendas! E a páscoa que não seria boa para mim, acabou sendo”, disse Naíza sobre a primeira data comemorativa na quarentena. 

Depois desse insight, a empreendedora percebeu que poderia ter novas ideias para a celebração das datas que viriam a seguir, como o Dia das Mães e o Dia dos Namorados, sempre usando de suas habilidades com a confeitaria para oferecer novas propostas para seus clientes. “Continuo trabalhando bastante, tendo muitas idéias, estudando todos os dias e buscando estratégias para a melhoria do meu negócio. Focando bastante nas datas comemorativas”, contou. 

Uma outra estratégia utilizada por Naíza foi a de manter sua presença digital nas redes sociais. “Estamos dando uma repaginada nas mídias. Personalizando destaques e molduras para que fique algo limpo e interessante. Também aproveitei a pandemia e o tempo livre para criar um site e um canal no YouTube”. 

Uma de suas ideias foi utilizar do WhatsApp para enviar mensagens aos seus clientes dizendo que ainda estava ativa e produzindo, e que eles poderiam contar com os serviços da Madu Cakes mesmo com o distanciamento social. 

Durante a pandemia, Naíza também resolveu deixar a timidez de lado e aparecer mais nas suas redes sociais. A empreendedora ainda percebeu que a interação com o público pode criar conexões mais profundas, gerar engajamento e, consequentemente, aumentar suas vendas. Mesmo com a crise, felizmente, quase todos os dias Naíza tinha encomenda de bolos.  

Leia também:

 

Planos pós-pandemia

Se tem uma situação que todos os brasileiros esperam, especialmente os empreendedores, é o fim da pandemia do novo coronavírus. Apesar de ser uma situação trágica e inesperada, o momento serviu para que muitos empreendedores pudessem repensar sua forma de trabalho. 

Com a Naíza não foi diferente. A confeiteira aproveitou a época de pandemia para encarar como uma oportunidade de se reinventar, estudar mais e ter ideias inovadoras que atendam seus clientes. “Como lições desta situação eu, primeiro, percebi a importância de ter uma reserva financeira. E, como empreendedora no ramo dos bolos, me vi tendo a oportunidade de levar doçura para outras pessoas em um momento tão difícil”, contou Naíza. 

Os planos pós-pandemia serão de continuar com as entregas em casa, para oferecer mais comodidade aos seus clientes, e aplicar as novas ideias estudadas e pensadas durante a pandemia no seu negócio. 

Muito além de bolos...

Quem vê os delicados bolos de Naíza, nem imagina que ela também coloca a mão na massa para manter um negócio paralelo. Negócio este que iniciou muito antes de ser confeiteira, quando viu uma necessidade e aproveitou a oportunidade

Há 11 anos empreendedora, a ex-industriária também é proprietária da empresa Inove Adesivos, que faz envelopamento em vinil para geladeiras, paredes e qualquer outra superfície lisa deixando o objeto ou área personalizada, de acordo com o gosto do cliente. 

A ideia veio quando Naíza teve que decorar o quarto da filha que estava prestes a nascer. “Eu lembro que fui na livraria e comprei o papel contact para fazer uma faixa. Comecei a fazer recortes manuais do trabalho e, para minha surpresa, todo aquele material amanheceu no chão, pois não era o apropriado”, conta. 

Foi a partir daí que a empreendedora começou a buscar o tipo de material adequado para superfície e achou na cidade uma loja que vendia o vinil, um plástico autoadesivo. “Fui essa loja para comprar esse material e lá tinha uma máquina à venda de recorte. Comprei a máquina, comecei a fazer o recorte em casa e depois ofereci o serviço para outros lugares. Por isso que eu digo que este foi um negócio que surgiu de uma necessidade que não encontrei. Então busquei soluções para isso” explica sobre a criação da Inove Adesivos. 

A empreendedora atende, em geral, empresas no distrito, mas também aproveitou a pandemia para dar mais visibilidade ao negócio, mostrando às pessoas que estariam em casa uma oportunidade para fazer a decoração de um cômodo ou envelopamento de um eletrodoméstico. Uma verdadeira visão empreendedora! 

Empreendedorismo feminino

Empreendedora há 11 anos e mãe de duas meninas, Naíza acredita que o empreendedorismo deve fazer cada vez mais parte do mundo das mulheres. “As mulheres precisam do empoderamento feminino, principalmente as mulheres com vulnerabilidade socioeconômica e emocional. Elas precisam alcançar independência financeira e poder de decisão sobre seus negócios e vida”, disse.

Além dos trabalhos desempenhados com a Inove Adesivos e a Madu Cakes, a empreendedora é voluntária no ‘Ela Pode’, programa de capacitações gratuitas para mulheres brasileiras, desenvolvido pelo Instituto Rede Mulher Empreendedora com o apoio do Google. 

“Ser uma das representantes da Região Norte me abriu um leque enorme de formas em que posso ajudar essas mulheres. A cada capacitação, me sinto renovada e com a sensação de missão cumprida. O meu desejo é que a cada degrau que eu suba, eu possa puxar alguém comigo e formar essa corrente do bem”, contou Naíza.

A empreendedora busca aplicar seus princípios até no próprio negócio, fazendo parcerias com outras empreendedoras para fortalecer cada vez mais o trabalho das mulheres no Amazonas. 

Naíza reconhece a importância da capacitação para desenvolver empreendedores e fortalecer a economia da região. A empreendedora já participou de diversos cursos de qualificação do SEBRAE/AM, entre eles Atendimento ao Cliente e Precificação.

“Precisamos buscar esses empreendedores, incentivá-los com os cursos que o SEBRAE já oferece, ofertando capacitações, acompanhamento e dando apoio para a abertura da primeira empresa, principalmente aos nossos jovens”, disse Naíza.

SEBRAE/AM: a melhor assistência para quem quer empreender

Quer ser dono do próprio negócio, mas ainda não sabe como? O SEBRAE/AM é o serviço ideal para você aprender do zero como ser um empreendedor de sucesso. 

Além da orientação burocrática sobre como abrir uma empresa ou se tornar um microempreendedor individual (MEI), o SEBRAE capacita o empreendedor para atuar no mercado, oferecendo cursos, workshops e consultorias.

Para saber mais informações sobre como abrir uma empresa, basta entrar em contato com o SEBRAE/AM através do atendimento online ou do número 0800 570 0800. 

Você ainda pode aproveitar para navegar no nosso conteúdo e ter mais conhecimento sobre empreendedorismo e gestão financeira, além de conhecer nossas mais de 350 Ideias de Negócios para ajudar a se decidir sobre o seu empreendimento. É só clicar aqui e conferir! 

Veja outros cases de pessoas que estão Lidando com a Crise

 

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora