this is an h1

this is an h2

Pular para o conteúdo principal
Mercado e Vendas | EXPOSIÇÃO
Artesanato do Pará no CRAB - “Círio de Cores e Sabores”

O trabalho de artesãos do Pará inspirados no Círio de Nazaré, ocupará a partir de 1º de outubro uma sala do Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro

· 29/09/2021 · Atualizado em 01/10/2021
Imagem de destaque

Mandingas do Veropa

Você está a poucos passos de conhecer a maior festa religiosa do Estado do Pará, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, sob a ótica da Cultura do Artesanato e da Gastronomia.  

Para adentrar nesse universo, é bem significativo lhe recepcionar com os Cheiros do Pará, outro ícone da rica cultura paraense. Feitos com ervas amazônicas, os cheiros fazem parte da tradição dos povos da região, firmada na crença da atração de sensações e sentimentos positivos e de muitas outras coisas boas para quem experimenta. Pela importância cultural, os Cheiros do Pará são elementos que se destacam na Feira do Ver-o-Peso, um dos principais cartões postais de Belém, a capital paraense.

Antes de seguir em frente, sinta-se à vontade para viver uma experiência inesquecível! 

Apresentação da Mostra

A cada outubro, Belém se transforma. No segundo domingo do mês, a capital do Estado do Pará celebra o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, uma das maiores manifestações de devoção mariana do mundo, que reúne milhares de pessoas pelas ruas da cidade. Mas, além da religiosa, o Círio tem outras vertentes.

A Quadra Nazarena dura 15 dias, tempo de intensa programação religiosa e cultural, como as que valorizam o talento dos artesãos paraenses, promovendo o artesanato de várias tipologias. Círio das Cores!

E quando a Berlinda - que leva a imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas de Belém - entra na Praça Santuário e a Missa é encerrada, a festa continua em todos os cantos da cidade. Ao redor da mesa do Almoço do Círio, as famílias se reúnem e recebem amigos. Pato no Tucupi e Maniçoba são algumas das iguarias servidas nesse banquete de confraternização. Círio dos Sabores

A Mostra Círio de Cores e Sabores retrata um pouco desse misto religioso, cultural e gastronômico em torno do Círio de Nazaré.

Tipologias

Miriti 

O artesanato de Miriti é um dos elementos tradicionais do Círio de Nazaré e, desde 2010, é considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Pará. Uma tradição cultural do município de Abaetetuba, localizado na região do Baixo Tocantins, no Pará, a produção das peças envolve um conhecimento transmitido por gerações. A prática é considerada sustentável, por preservar a palmeira de onde vem a matéria-prima para a confecção dos produtos.

Balata

A balata é uma goma elástica que se forma a partir do látex natural retirado de uma árvore de grande porte, chamada balateira, típica da região amazônica. Ela é a principal matéria-prima de um tradicional artesanato com miniaturas, inspirado em animais, habitantes e no modo de viver na região. 

Cuias

Do fruto da cuieira, árvore típica de áreas de várzea amazônica, são fabricadas peças artesanais decorativas e utilitárias. O fazer do artesanato envolve conhecimentos, técnicas e práticas repassadas por gerações, numa produção que usa apenas o que a natureza oferece para chegar ao produto final. Facas e estiletes são usados para as gravações em grafismos geométricos ou flores.  

Cerâmica

A cerâmica é uma das expressões mais marcantes do artesanato paraense, com destaque para a Marajoara, a Tapajônica e a Maracá. São peças produzidas tradicionalmente de forma rudimentar em argila. Mas, além dos métodos utilizados pelos primeiros mestres ceramistas, inovações vêm sendo incorporadas à arte. Atualmente, há três linhas: Museu, Utilitária e Decorativa.

Fibras

As fibras são encontradas em tecidos de origem animal e vegetal e algumas estruturas minerais. Pela estrutura mole ou flexível, são excelentes matérias-primas para o artesanato. Tucumã, jupati, curauá, arumã e jacitara são algumas das mais usadas na produção de peças decorativas e utilitárias.

Fios & Tecidos

De ponto a ponto, personagens e elementos que retratam a cultura paraense e  o universo do Círio de Nazaré vão surgindo a partir de várias técnicas, que usam fios e tecidos como principais matérias-primas, como o crochê, que integra a categoria ‘artes manuais’. Destaque para a produção de bonecas.

Miniaturas

Pelas mãos do artesão, surgem pequenas peças feitas em miriti, que retratam elementos do Círio de Nazaré e o cotidiano paraense. Carro dos Anjos, Carro de Promessas, Berlinda, máquina de bater açaí e outros ícones da cultura do Pará são algumas das expressões retratadas nessa arte delicada.  

Madeira

Várias espécies da região amazônica, como Angelim Rajado, Pau Amarelo e Acapu, servem de matéria-prima para o artesanato paraense. A madeira usada são resíduos de madeireiras certificadas, o que torna as peças sustentáveis. A seleção leva em conta textura, tonalidade e beleza. O trabalho exige firmeza e precisão para a modelagem dos objetos. Pirografia e marchetaria são algumas das técnicas usadas pelos artesãos.

Tags Artesanato

O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Precisa de ajuda?

Nós temos especialistas prontos para atender você e o seu negócio de formar online e gratuita.

Acesse agora