this is an h1

this is an h2

Pular para o conteúdo principal
Mercado e Vendas | FEIRAS
Coleção Rhisophora é lançada durante a Fenearte 2018

"Rhisophora" é assinada pelo designer Marcelo Rosenbaum e foi desenvolvida em conjunto por 30 artesãos pernambucanos

· 03/07/2018 · Atualizado em 03/07/2018

O Sebrae Pernambuco lança a coleção RHISOPHORA, criada a partir do trabalho de 30 empreendedores criativos e de uma mentoria feita pelo designer nacionalmente conhecido Marcelo Ronsenbaum. A coleção apresenta a identidade e as raízes locais, com um enfoque de mercado e peças exclusivas.  O resultado dessa experiência está apresentado na 19ª Fenearte, que acontece de 04 a 15 de julho, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. 

A grife RHISOPHORA foi criada em conjunto por trinta artesãos urbanos, com diferentes talentos e especialidades, ao longo de uma mentoria de três meses consecutivos de Marcelo Rosenbaum. Nessa atividade, que foi intitulada Jornada Criativa, buscou-se reconectar os artesãos com suas ancestralidades e inserir um olhar de mercado em suas produções, provocando no grupo a capacidade de agregar significado pessoal e exclusivo àquilo que fazem. "Quando fui convidado pelo Sebrae Pernambuco para fazer essa mentoria, a ideia era que eu entendesse o trabalho, a vocação, as metodologias dos trinta artesãos e, a partir desse encontro, que estimulasse a identidade pernambucana no trabalho deles, trazendo isso ainda mais para fora. Criamos uma coleção que pode ser levada para o mercado nacional e, quem sabe, para o mundo também", afirma Rosenbaum.

Trinta cabeças pensantes dentre artesãos, designers e estilistas pernambucanos trouxeram para essa jornada as linhas mestras de suas criações, para juntos construírem novos e inusitados produtos, numa sintonia de fazeres e saberes retratando nossa cultura, rica e contemporânea, do Litoral ao Sertão, e que resultou na Coleção Rhisophora. 

Rhisophora é a marca da coleção e faz alusão a rhizophora mangle (mangue vermelho), uma espécie de árvore de casca lisa e clara que, ao ser raspada, mostra a cor vermelha.   

Participantes:

  • ANDRÉA LUCENA |Cachalote

Funcionária pública aposentada, vê no artesanato uma ligação com sua avó de raízes portuguesas. Diante dos desafios, Andréa ainda escuta sua avó dizer: “Medo é manha. Manha é safadeza”.

Para esta coleção, aprendeu a técnica de patchwork em aquarela e nos trouxe um pôr do sol do Agreste. 

  • ÁUREA SOUZA |Pano & Linhas

Crocheteira de resíduos de lycra, curiosa, prestativa e disposta a descobrir novas formas de crochetar seu futuro.

Aceitou o desafio de trazer rigidez ao tecido crochetado em algodão, desenvolveu uma espécie de alquimia própria e agora guardada a sete chaves. Para a coleção RHISOPHORA,se apropriou de objetos de seu cotidiano como pratos e travessas, para dar forma e moldar fruteiras coloridas que se tornaram verdadeiras esculturas.

  •  BRUNA SPINELLI | Bruna Spinelli

Talentosa designer de acessórios, que trabalha com sobreposições e acúmulos de contas, nesta coleção, foi desafiada a mudar o destino de quem usa suas peças. Quem usa suas jóias agora são as paredes e mesas das casas daqueles que se conectam com a alma nordestina. Estes colares gigantes trazem objetos de forte significado encontrados nos mercados locais. 

  • CÂNDIDA LINS | Cândida Lins

Artesã do papel marché, Cria imagens que vão do lúdico ao sacro. Além do papel marché, seu talento transcende em habilidades com outros materiais, como ferro e madeira. Num trabalho de observação, a coroa que adornava uma santa, ganhou grandes proporções e força autônoma. Para a coleção RHISOPHORA traz estas coroas como objetos decorativos de mesa.

  • CAROLINA LEAL | Menina dos Olhos

Estilista da Menina dos Olhos, criou um pufe inspirado no Marco Zero do Recife. 

  • CÍCERO MORAIS | Marchetaria Morais

Marceneiro querido, topa-tudo e mestre da marchetaria, desde o início da Jornada era solicitado por todos e queria participar dos vários projetos.

Resolveu se dedicar à clássica banqueta de obras de design espontâneo, trazendo uma interpretação das tradicionais costuras de gibão em couro, com a sua delicada arte na madeira. 

  • CLÁUDIA PONTUAL | Cláudia Pontual

Artesã de elegantes e delicadas peças em papel marché, seu trabalho é marcado por cores e formas figurativas. Durante a Jornada, resgatou uma antiga técnica que desenvolveu ao misturar barro na massa do papel, trazendo textura e cores surpreendentes.

Aqui, hiperdimensionou o sino do bode, aliando sua técnica autoral a um objeto inusitado. 

  • EDSON SANTOS | Edson Santos

Estamos diante de um criador multitalentos. Exímio criador de artefatos em couro, é também um escultor em suas horas vagas. Nesta coleção, partiu de peças suas guardadas há anos e topou maximizar essas esculturas representando com poesia a resistência do sertanejo. 

  • EDUARDO AMORIM | Casa 87

Designer gráfico, quebrou a cabeça para descobrir como contribuir para a coleção inspirada na identidade pernambucana e no trabalho artesanal.

Sua solução foi 4 em 1: um carimbo-objeto que dependendo das cores e da posição imprime símbolos relativos ao Litoral (raiz do mangue), Zona da Mata (cana-de-açúcar), Agreste (quilombolas) e Sertão (mandacaru). 

  • ELIZETE BARRETO | Ateliê M de Moraes

Artesã de bolsas e acessórios em diversas técnicas de costura. Dentre suas técnicas, criou uma própria com a sobreposiçãode tecidos que formam cataventos de flores, a partir da costura e do recorte. Na coleção RHISOPHORA apresenta esse trabalho único em almofadões, inspirados nos tons da Zona da Mata pernambucana. 

  • ERIBERTO LIMA | Beto Lima

Designer de bolsas contemporâneas e sofisticadas com pele de bode, trouxe para o grupo a informação que a pele do animal é descartada pela indústria e não assimilada pelo mercado. O grupo, sensibilizado com o potencial da beleza do material, a escolheu como matéria-prima de várias criações. Aqui, Beto sai de sua zona de conforto e cria um objeto para casa: a fruteira de bode. 

  • GEGÊ PEDROSA | Gegê Pedrosa

Habilidoso escultor, capaz de dar movimento a blocos de madeira chapeados, seu trabalho costumava trazer esculturas figurativas de animais marítimos finalizados em laca e resina. Aqui, experimentou assumir a crueza e a beleza das madeiras naturais e mergulhou na poética do Sertão, com seus sinuosos carcarás. 

  • ÍLDIMA LIMA | Il.li Arte Afetiva

A sensível ilustradora é só coração e transforma sua arte em lugar de fala. Com seus traços delicados, enfrenta temas como feminismo, empoderamento e representatividade da mulher negra. Para esta coleção, superou as limitações do suporte e conseguiu imprimir leveza e movimento por meio da aquarela. A composição de pratos torna-se uma janela para a paisagem, que ora se revela, ora se insinua.

  •  JOSÉ MAURÍCIO DE LIMA | Maurício Pratas e Pedras

O caprichoso ourives tem fala poética que traz olhares e reflexões sobre a vida. Foi com esmero que moldou metais em letras decorativas, inspiradas nos ferros de marcar gado, e produziu delicadas colheres em prata inspiradas na flora do Sertão. São verdadeiras jóias para a casa.

  •  JOSENILDA SOARES | Donna Joaninha

Emotiva e veterana artesã da Fenearte, que representa grande parte de sua renda anual, faz enxovais infantis e bichinhos cheios de frufrus e costuras. Aqui, usou seu talento com modelagem e seu apuro estético no uso das cores para homenagear o Agreste, com um jardim de cactos na forma de pufes.

  •  LORANE BARRETO | Canabarro

Artista plástica, mexe com cerâmica, melaço e energias. Lorane desenvolveu uma técnica  inovadora que usa melaço da cana-de-açúcar como tinta para imprimir sobre o barro no processo de serigrafia. Para aderência desta tinta de açúcar sobre o barro, queima o melaço como confeito. Uma verdadeira magia! Nesta coleção, retoma um projeto antigo em homenagem aos orixás - Yemanjá, Ossaim e Xangô - como totens que simbolizam água, plantas e fogo. Os objetos são criados a partir da sobreposição de vasos comuns, e recebem grafismos  criados pela artista.

  •  MADALENA AMORIM |Baby Sills

A dona de um sorriso largo é designer e empreendedora. Tem em sua mãe a inspiração e a base do seu trabalho em patchwork. Para a coleção RHISOPHORA, criou uma colcha-rede, a partir do patchwork em degradês. No lugar da tradicional varanda de crochê, aplicou pompons de algodão. 

  • MÁRCIA CAVALCANTI | Período Fértil

Estilista da marca olindense Período Fértil, famosa por criar os figurinos do movimento Manguebeat, sua incrível capacidade criativa, transcendeu os tecidos e chegou ao barro e ao couro de bode, criando surpreendentes fruteiras inspiradas nos chapéus de cangaceiros. 

  • MARIA DAS NEVES | Mulheres de Argila

Membro da cooperativa Mulheres de Argila, de Caruaru, traz para esta coleção um tapete produzido com o tecido criado e desenvolvido por essas mulheres, a partir de restos da indústria têxtil.

  •  MARIA RIBEIRO | Maria Ribeiro

Inquieta e criativa, esta designer é reconhecida pela criação de adereços e acessórios em arame recobertos por tecidos variados. Com sua inventividade, aceitou o desafio de sair do universo da moda e criar, a partir de sua técnica, uma coleção de espelhos inspirados na renda Renascença.

  •  MÍRIAM GONÇALVES | Dolly Mi Artesanato

Artesã da técnica da decupagem, usando guardanapo sobre várias superfícies criou predominantemente objetos em barro. Míriam mergulhou no processo e iniciou uma nova técnica que alia desenhos figurativos em baixo relevo e pintura sobre barro. O resultado são fruteiras e pratos decorativos com o frescor de seu traço ingênuo.

 NADJA LIMA | Nadja Lima

Com amor, a artesã planta, em seu jardim suas próprias cabaças, com as quais produz bonecas com a técnica mista de biscuit e pintura. Ainda se surpreende com as formas que a natureza lhe presenteia. A partir da mentoria, transformou seu olhar sobre as formas raras das cabaças, apresentando vasos singulares em um jardim de cactos, que utilizam a mesma técnica. 

  • RAFAELA MENDES | Rafa-Q-Faz

A doce Rafa-Q-Faz é estilista e designer de superfícies. Ao trazer seu trabalho para a coleção, propôs vestir objetos. Aqui, Rafa traz 3 modelos de luminárias pendentes que podem ser trocadas de acordo com o gosto do morador ou com o sabor da ocasião.  Assim como suas criações em roupas, as luminárias levam cor e alegria  ao ambiente.

  • RENATA JATOBÁ | Wunderbar

Tem o espírito da nova economia criativa. Estimula a colaboração e a co-criação, provocando articulações e parcerias com todos do grupo. Nesta coleção, apresenta uma poltrona diferente de todas as que já produziu. A poltrona BODE é leve, em estrutura metálica, e valoriza a pele de bode no seu assento e encosto.

  •  SIMONE ANDRADE | Simone Andrade

Bióloga, socióloga e designer de biojóias em couro cortado a laser, sua história com o couro e os artesãos que o costuram, em Serrita-PE, foram sua inspiração ao mudar o objeto de seu trabalho. Nesta coleção, apresenta uma luminária em couro de bode inspirada nos tradicionais desenhos da indumentária vaqueira.

  •  TACIANA PONTUAL | Tacy Pontual

Designer, artesã e empreendedora, criou a feira Recife Feito à Mão, na Academia Pernambucana de Letras. No biombo que criou para a coleção RHISOPHORA, misturou dois de seus saberes – o design e o papel marché. Inspirada nos mandacarus do Sertão, a peça traz inovação para a técnica do papel marché tanto na proporção como no uso. 

  • VALCIRA DA ROCHA | Ateliê Valcira Santiago

Funcionária pública que encontrou sua grande vocação e prazer em trabalhar com as mãos e as linhas. Acostumada ao universo da moda, com roupas que trazem sobreposições de cores, texturas e bordados, emprestou suas habilidades para criar um objeto utilitário típico do singelo morar sertanejo.

  • VIVIANE LOCATELLI | Palmeiral Sustentável

Artesã praieira, mora em Porto de Galinhas. Do litoral traz a inspiração e a matéria-prima de seus colares: cacos de coco que seriam descartados.  Honrando as raízes das praias em seu trabalho, Viviane apresenta aqui, com o mesmo material, uma majestosa luminária em 3 níveis.


O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Conteúdo relacionado