AUTOMAÇÃO COMERCIAL

Automação de serviços nos pequenos negócios

Conheça o conceito e entenda a diferença entre informatização e automação.

Com a automação de serviços, funcionários e fornecedores conseguem simplificar etapas, processos e práticas diárias nos negócios. Os resultados não tardam a aparecer: mais produtividade, mais tempo para o cenário em que atua e mais oportunidades para investir em novas estratégias corporativas. Além de uma taxa de eficiência mais alta em todas as etapas do seu negócio.

Métodos utilizados para automatizar os processos (compras, vendas, controle de estoques, cadastro de clientes, consultas etc.) fazem parte da automação de serviços e em outras áreas de negócios, fazendo com que esses processos manuais se tornem mais mecanizados e rápidos.

Informação é fundamental no processo de automação.

Muitos empreendedores acreditam que a automação de uma empresa está relacionada apenas à aquisição de software ou equipamentos de informática. Mas nem sempre é assim. O processo de automação inicia-se pelo mapeamento e organização de cada modelo de negócio, implica na adoção de uma cultura de gerenciamento.

A falta de informação sobre o assunto pode se transformar em prejuízo a médio prazo, tendo em vista que a instalação ou renovação de informática custa caro.

Para entender a diferença, lembre-se que o computador, sozinho, não irá melhorar o seu atendimento ou agilizar o seu fluxo de caixa, ou controlar o seu estoque, por exemplo.

Para operacionalizar este processo e o fluxo organizacional, o computador é apenas uma ferramenta e, como tal, precisará ser operado por pessoas capacitadas, uma vez que cada modelo de negócio exigirá um conjunto de mudanças e regras, impactando a cultura organizacional. Capacitação é fundamental nesse processo de mudanças.

Ao equipar ou renovar uma empresa sem maquinário com computadores para o trabalho, você promove a informatização do seu negócio, mas não necessariamente a automação dos serviços. Em outras palavras, a informatização das empresas faz parte de um processo maior de automação dos serviços, onde dados são transformados em informações valiosas.

A automação dos serviços pode ser feita, inclusive, com a sua atual infraestrutura. E a depender do serviço em que o empreendedor atue, às vezes nem é preciso um computador – mas apenas uma máquina específica, como é o caso das registradoras, impressoras industriais e similares.

Automação na prática

Empresas de serviços, geralmente, precisam de funcionários para executar funções. Com a automação, cria-se um sistema automático de controle pelo qual os mecanismos verificam seu próprio funcionamento, efetuando medições e introduzindo correções, sem a necessidade de interferência humana.

A transição de caixas bancários para os caixas eletrônicos, iniciada na década de 1980 no Brasil e hoje amplamente adotada, é um dos melhores exemplos de automação de serviços. Há várias outras opções no setor de serviços, em geral seguindo o conceito de automatizar um processo que antes era feito por funcionários. Por exemplo:

  • Sistema de controle de reservas e agendamento.
  • Transferências automáticas de recursos, fundos ou bonificações.
  • Terminais de ponto de venda.
  • Cabines fotográficas automáticas.
  • Monitoramento de temperaturas ou condições ideais.

Saiba mais sobre o assunto buscando informações no Sebrae da sua cidade.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: