EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA

Tendências em educação empreendedora: aprendizado para quem sonha alto

O Dia Internacional da Educação abre espaço para uma discussão importante: qual é o papel do ensino do empreendedorismo para os jovens?

  • Tendências e ferramentas

A educação empreendedora passou a ocupar uma posição de destaque no campo econômico e social no cenário brasileiro. A sociedade contemporânea exige pessoas empreendedoras, autônomas, com competências múltiplas, que tenham capacidade de aprender, de adaptar-se a situações novas e de promover transformações.

Empreendedorismo é um modo de pensar, é uma atitude que dever ser desenvolvida e praticada.

Foco nos jovens

Ao vivenciar conteúdos de empreendedorismo, jovens se preparam para o mundo de trabalho, seja seguindo carreira em uma empresa, seja abrindo o próprio negócio. Esses conteúdos estimulam o raciocínio e a busca por aprender conceitos, conhecimentos e técnicas que  ajudem a resolver problemas do dia a dia com os quais terá de lidar na vida profissional.

O ensino do empreendedorismo estimula conversas sobre a estruturação de sonhos pessoais e profissionais. Assim, são formados profissionais que sabem planejar, buscar informações e estabelecer metas, são persistentes, proativos, independentes e autoconfiantes.

O objetivo da educação empreendedora é desenvolver pessoas para o empoderamento, atitudes e mentalidade empreendedoras, para que possam encontrar soluções para os mais diversos problemas. Afinal, empreender é muito mais do que criar o seu negócio ou ter sua empresa.

Entre os motivos mais citados como limitantes à atividade empreendedora no país está a falta de educação e capacitação. Assim, especialistas da área propõem que o empreendedorismo seja um conteúdo transversal e esteja presente em todos os níveis de ensino, da educação básica ao superior, fazendo uso das tecnologias da informação.

Confira tendências e ferramentas que podem facilitar o acesso a conteúdos e vivências sobre empreendedorismo e de que forma que o Sebrae trabalhar em prol dessa cultura.

Tendências e ferramentas
  • Auxílio da tecnologia

“Se você não esta satisfeito, crie a solução”, esse é o lema do Startup Weekend Edu Youth, maior programa global de empreendedorismo. A ideia do evento é colocar o poder de decisão nas mãos de crianças de 11 a 13 anos, de forma que elas solucionem problemas educacionais de seus cotidianos construindo uma startup.

O encontro emprega em sua metodologia umas das principais características da educação empreendedora: o empoderamento. Quando o poder de decisão passa a ser somente dos jovens, eles tornam-se capazes de lidar com dificuldades, no meio empreendedor e na vida. Desse modo, na hora de vivenciar em sala de aula, é preciso que os professores possibilitem que os alunos aprendam com os erros e sejam reconhecidos por seus acertos. 

Esse conceito é aplicado também no chamado Experience Learning. Nesse método de ensino a experiência é tão importante quanto o conteúdo no processo de aprendizagem, que deve ser criativo, interessante, colaborativo, divertido e focado na atitude empreendedora.

A criatividade torna-se tão importante quanto a alfabetização para um ambiente empreendedor

É importante estimular o potencial criativo das crianças e dos jovens, de modo a permitir que elas utilizem a imaginação e o design como ferramentas para solucionar desafios do cotidiano. A partir da criatividade, a criança é convidada a resolver problemas que a incomoda, a imaginar com possíveis soluções, fazer com que a solução escolhida entre em prática e, por fim, compartilhar esse percurso para inspirar outras pessoas.

Esse é o conceito do movimento Design for Change, criado pela indiana Kiran Bir Sethi, após seu filho de seis anos lhe dizer que havia sido repreendido por desenhar de maneira diferente da proposta. Kiran percebeu que era necessário mudar. No Brasil o movimento chama-se Criativos da Escola.

 

Auxílio da tecnologia
  • Tendências e ferramentas
  • O papel do Sebrae

Questões sobre o uso das tecnologias na construção do conhecimento também fazem parte desse movimento e, por isso, diversas plataformas de ensino foram criadas nos últimos anos para apoiar, em sua maioria gratuitamente, a educação de crianças e jovens. 

O Portal Aprender em Parceria, criado com o objetivo de oferecer capacitações para estudantes e professores do ensino fundamental e médio. Na plataforma estão disponíveis cursos desenvolvidos para conectar e aperfeiçoar a comunidade escolar na utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação. 

A plataforma Students to Business também foi desenvolvida com o objetivo de ser uma capacitação gratuita em tecnologias Microsoft para estudantes de ensino médio, técnico e superior. O objetivo do programa é fazer a ligação entre novos profissionais em busca de uma oportunidade no mercado e empresas com demanda de mão de obra qualificada. Desde 2006 o programa, que ocorre semestralmente, formou mais de 1300 alunos.

Já o sistema Geekie foi criado com o objetivo de oferecer um modelo de aprendizagem adaptativo, o que rendeu a Sassaki, seu criador, o prêmio Trip Transformadores 2014. Conheça abaixo.

O papel do Sebrae
  • Auxílio da tecnologia

Embora a atuação do Sebrae seja em todos os níveis de ensino, a educação empreendedora acontece, principalmente, no contexto da educação superior. Ao redor do mundo, centenas de universidades já reconheceram o papel e o poder da educação empreendedora sobre a inovação e o desenvolvimento econômico dos países.

Hoje, 6% dos universitários brasileiros são empreendedores e 21% pretendem empreender no futuro. A Universidade deve potencializar e inspirar o empreendedorismo, o sonho grande e a inovação no aluno a fim de gerar desenvolvimento econômico e social na comunidade.

O Programa Nacional de Educação Empreendedora (PNEE) tem o objetivo de colaborar para o desenvolvimento integral dos jovens, estimulando o protagonismo juvenil, instigando-os a identificar oportunidades e planejar seu futuro por meio de atitudes empreendedoras. O Programa, de 2014 a 2016, capacitou 2.408.302 estudantes, 51.919 professores e firmou parcerias com cerca de 3 mil instituições de ensino 

 

O Desafio Universitário Empreendedor, parte do PNEE, tem o objeto de amadurecer ideias de jovens estudantes que, muitas vezes, nunca tiveram contato com o empreendedorismo. Em 2017, por exemplo, a equipe vencedora, composta por quatro universitários do Maranhão, desenvolveu a proposta de um aplicativo que orienta pessoas intolerantes à lactose ou ao glúten na hora das compras no supermercado.

Para Betiane Silva, participante da equipe ganhadora, o Desafio faz o estudante conhecer de perto o mundo do empreendedorismo, influenciando-o a sair da teoria de sala de aula. “Eu tinha o interesse na área, porém minha visão em relação ao empreendedorismo era muito resumida. Através do Desafio, pude ampliar essa visão, a ponto de despertar em mim o interesse de ter o próprio negócio. O que antes era apenas uma curiosidade hoje se tornou um desejo”, diz.

Para ela, as lições aprendidas no Desafio foram muito importantes, tanto para a vida, como para sua formação: “Se aprendemos a desenvolver habilidades que são essenciais no dia a dia, como foco, organização, comprometimento e principalmente trabalho em equipe.”

João Pedro Oliveira, que também participou da equipe vencedora, falou sobre o que o Desafio mudou em sua vida: “O Desafio me mostrou que, por meio do empreendedorismo, você é capaz de mudar algo em sua realidade e na das pessoas que te cercam. Essa experiência despertou em mim a vontade de empreender e fazer algo novo para minha cidade.”

Já o Centro Sebrae de Referência em Educação Empreendedora é uma plataforma digital de estudos, pesquisas, ferramentas e tecnologias sobre educação empreendedora. Seu objetivo é ser uma ponte entre o universo acadêmico e o mundo do trabalho, a fim de difundir a educação empreendedora.

A importância da cultura empreendedora na educação tem o papel de elevar as perspectivas dos jovens que já sonham alto, ou ainda não, fazendo que seus sonhos e a vontade de crescer não tenham limites.

Aprenda mais

Assista o Papo de Negócio Startups para Jovens Empreendedores

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: