EMPREENDEDOR

Profissional autônomo como empresário

Ter visão empreendedora é um bom caminho para esses profissionais obterem sucesso

Fazer o negócio ficar conhecido é sempre um desafio para qualquer empresário. A tarefa ganha complexidade quando nos referimos aos profissionais liberais, que também precisam “se mostrar” para o mercado.  

A pouca vivência empreendedora no ensino universitário leva profissionais em áreas como Direito, Medicina, Odontologia, Contabilidade, etc, a se desdobrarem para tornar a atividade um negócio conhecido e rentável.

Ter a visão de empresário é um bom primeiro passo. Os controles de custos, despesas e receitas na prestação do serviço contribuem para validar já de início a viabilidade econômica do negócio. Mas para que o profissional liberal ganhe escala, a criação de valorização da marca é essencial. Para que isto ocorra, os seguintes passos devem ser dados:

1) Encontrar e entender o mercado de atuação: várias são as áreas possíveis. Mas afinal, qual será priorizada? O critério de escolha pode ser o tamanho do mercado (existente e/ou potencial), rentabilidade, tendência e/ou barreiras de entrada. A partir da definição, o profissional liberal precisa dominar todas as temáticas envolvidas, viabilizando a posição de referência.

 2) Mapeie o seu público e as necessidades: após definir o nicho a ser explorado, entenda o perfil do seu cliente e que necessidades precisam ser atendidas.  Interaja com potenciais consumidores do seu serviço e sonde concorrentes, conhecendo produtos/serviços já ofertados no mercado.

3) Faça uma analise SWOT: esta ferramenta, que aponta os pontos fortes, fracos, oportunidades e fraquezas será determinante na criação de sua imagem.  Lembre-se: os pontos fortes precisam ser explorados exaustivamente, enquanto os pontos fracos precisam ser minimizados e quem sabe contornados. As oportunidades sinalizam algo que ainda não é explorado, enquanto as ameaças apontarão aspectos que precisam ser monitorados, sob risco até de inviabilizar a atividade.

4) Construa sua imagem: Reflita sobre o que o cliente quer e como sua empresa está se apresentando para convencer o mercado. Utilizar o histórico profissional e possíveis clientes atendidos ajuda na formação da imagem.  Valorize os aspectos tangíveis do serviço (estrutura utilizada, imagens do profissional, equipamentos, logomarca, folder, etc).

5) identifique os canais de comunicação efetivos: se você já implantou a etapa 2, verifique agora quais são os meios de comunicação que alcançam o seu mercado, e são capazes de tornar sua empresa conhecida. Os meios digitais são cada vez mais presentes nas rotinas das pessoas e, por isso, podem ser uma boa opção, desde que bem utilizadas. Se for possível e se seu cliente é pessoa física, pense em redes sociais, sites e blogs. Caso você atenda pessoas jurídicas, email marketing, participação em eventos, revistas e visitas também podem ser incorporadas.

6) Mantenha um bom relacionamento: a venda é um grande momento, mas não pode ser o último.  Após a prestação do serviço seu cliente precisa ser monitorado e acompanhado mesmo que não parta dele o interesse. Com muita simpatia e presteza, faça um bom pós-venda!

Por Vitor Abreu, analista do Sebrae em Pernambuco

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: