SOCIEDADES GARANTIDORAS DE CRÉDITO

O que são sociedades garantidoras de crédito

São sociedades de caráter privado com a finalidade de complementar garantias exigidas aos associados nas operações de crédito junto ao sistema financeiro.

Os pequenos negócios, que representam a geração de mais de 90% dos empregos formais no setor privado, se deparam com vários entraves para acesso ao crédito.

O problema não é a falta de recursos, mas a efetiva concessão para que o crédito chegue às empresas. Um dos grandes obstáculos identificados pelo Sebrae e pela própria entidade representativa dos bancos é a insuficiência de garantias satisfatórias.

Falta de garantias é o maior impeditivo

A falta de garantias reais supera a existência de restritivos (SPC, Cadin, Serasa) ou a inviabilidade do projeto nas razões alegadas pelas instituições financeiras para negar crédito aos pequenos negócios.

A situação é agravada pela assimetria de informações (diferenças entre informações contábeis e gerenciais), tão comum nos pequenos negócios, o que dificulta o processo de análise de crédito e aumenta o risco da operação.

Consequentemente, quanto maior o risco, maior a exigência de garantias por parte das instituições financeiras. Trata-se de um círculo vicioso, em que a empresa não consegue crédito para financiar seu crescimento, justamente por ainda ser micro ou pequena, e não ter bens para serem dados em garantia.

Uma das soluções para romper este ciclo são os sistemas de garantias de crédito com objetivo de viabilizar o acesso dos pequenos negócios às melhores linhas de crédito do sistema financeiro. Dentre as iniciativas já consolidadas no Brasil, encontram-se os fundos garantidores ou fundos de avais, tais como o Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), administrado pelo Sebrae, o Fundo de Garantia para a Promoção da Competitividade (FGPC), pelo BNDES, e o Fundo de Aval para a Geração de Emprego e Renda (Funproger), pelo Banco do Brasil.

SGCs complementam garantias

As Sociedades Garantidoras de Crédito (SGCs) são sociedades de caráter privado com a finalidade de complementar garantias exigidas aos associados nas operações de crédito junto ao sistema financeiro. Seu objetivo principal é a promoção da competitividade e desenvolvimento empresarial, por meio do acesso ao crédito e assessoria financeira para as empresas associadas.

Formadas essencialmente por empresas, as SGCs podem também ter a participação de entidades públicas e outros apoiadores.

Cabe frisar que elas não realizam empréstimo ou financiamentos, mas prestam garantias (aval ou fiança) nas operações de crédito de suas associadas com as instituições financeiras.

Além disso, podem também fornecer aval técnico, comercial e assessoria financeira.

Série Empreendimentos Coletivos

Consciente da importância do associativismo para a melhoria dos negócios, o Sebrae lançou a série de publicações Empreendimentos Coletivos. Leia aqui a íntegra da cartilha Sociedade garantidora de crédito, em format pdf.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: