ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e Eventos presenciais

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Pessoas
Covid-19 e o Impacto Econômico nos Pequenos Negócios de Minas Gerais
A pesquisa Covid-19 e os impactos econômicos nos pequenos negócios de Minas Gerais.

A Pesquisa Covid-19

A pesquisa Covid-19 e os impactos econômicos nos pequenos negócios de Minas Gerais, realizada pela Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas, mostra que 89% dos pequenos negócios do estado foram afetados pela instabilidade econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.

Os efeitos imediatos da crise sobre os empreendimentos são a redução do faturamento e dos lucros, além do aumento do endividamento, das despesas e dos custos.

A pesquisa ouviu 534 empreendedores de micro e pequenas empresas do estado, dos segmentos do comércio, serviços e da indústria. As entrevistas foram realizadas entre os dias 27 de março e 1º de abril. A margem de erro da pesquisa é de 4,1% e o nível de confiança é de 95%.

Outros números da pesquisa

  • Sete em cada 10 empreendimentos de micro e pequeno portes de Minas Gerais estão se mantendo em atividade, mesmo que de forma parcial. 
  • Entre os empreendimentos que estão parados, 72% estão com as atividades temporariamente suspensas em função de decreto governamental. 
  • 65% dos entrevistados acreditam que a recuperação econômica brasileira deve demorar, em média, nove meses. 
  • 44% dos empreendedores afirmaram estar aptos a realizar suas atividades de forma remota, mesmo que parcialmente.

  • 18% dos entrevistados alegou não contar com sistema tecnológico adequado para atender os clientes remotamente.

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Converse online com o Sebrae

Tire suas dúvidas em tempo real e receba dicas sobre os seus negócios
diretamente dos nossos especialistas em pequenas e microempresas.
Um serviço se

Converse agora