Empreendedorismo
Status de qualidade sanitária incrementa renda de empresários rurais
Consultorias tecnológicas do Sebrae/SC desenvolvem bovinocultura leiteira no extremo oeste catarinense

Aumento de três centavos por litro de leite produzido é uma das conquistas das 129 propriedades certificadas como livres de Brucelose e Tuberculose, no extremo oeste catarinense. Esse avanço foi possível graças ao Programa de Consultoria de Inovação e Tecnologia do Sebrae (Sebraetec), que promove a melhoria de processos, produtos e serviços ou a introdução de inovações nas empresas e nos mercados.

O incremento no valor do produto representa uma ampliação de R$ 150 mil/ano na receita dos empresários rurais certificados ao considerar uma produção anual de 15 milhões de litros. A estimativa compreende a área de abrangência dos municípios atendidos de Caibi, Campo Erê, Itapiranga, Palma Sola e Riqueza.

As consultorias tecnológicas tiveram como objetivos assegurar a saúde pública, certificando propriedades que produzem alimentos sem contaminação por zoonoses transmissíveis ao ser humano; atender legislação específica do setor e melhorar a qualidade do leite produzido. Também visaram otimizar o posicionamento de mercado; aperfeiçoar os processos de produção; e ampliar a produtividade para aumentar o percentual de faturamento, sem impactar na elevação dos custos.

“Outras evoluções das propriedades rurais foram a diferenciação do produto no cenário atual de lácteos com o status sanitário e autorização para comercializar seus animais em qualquer região do Estado, dispensando qualquer tipo de exame”, avalia o gerente regional do Sebrae/SC no oeste e extremo oeste, Udo Martin Trennepohl.

Para a execução do projeto foram investidos R$ 445 mil, a maior parte dos recursos do Sebraetec, com contrapartida parcial dos empresários rurais. “O investimento é pago ainda no primeiro ano dos retornos financeiros. Além disso, as empresas rurais mantêm esse status de qualidade sanitária que Santa Catarina almeja em suas diretrizes do agronegócio”, enaltece o consultor credenciado, Lazie De Col

ETAPAS

O projeto foi executado no período de 15 de abril a 20 de julho deste ano, com 129 empresários rurais. A primeira etapa consistiu em reunião de alinhamento e nivelamento do escopo do trabalho que incluiu: necessidades, requisitos, restrições, agendamentos, validação, regulamentação, diagnóstico, bem-estar e atividades veterinárias necessárias para que a propriedade estivesse apta ao início do processo de saneamento.

Na sequência, ocorreu o pedido de abertura do processo de certificação no sistema da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). Segundo o consultor, posterior a esses passos iniciais se executa a atividade de saneamento, tuberculinização, coleta de amostra de sangue e análise do material. “Se a propriedade não possuir nenhum animal positivado é esperado o tempo hábil conforme a legislação e realiza-se a segunda bateria de exames no rebanho. Ao se manter negativada começa-se a conclusão do processo”, relata De Col.

Durante esse processo de adequações é normal identificar em algumas propriedades rurais animais com indicadores positivos. Nesses casos, é realizado o saneamento conforme o que preconiza a doença detectada (Brucelose ou Tuberculose) até a limpeza total dos animais contaminados, para depois seguir para a segunda etapa.

DESENVOLVIMENTO

De acordo com o consultor, as ações realizadas tiveram como propósito o desenvolvimento tecnológico do setor leiteiro, que está em pleno crescimento pela produção de um alimento fundamental no cenário econômico do agronegócio. “O extremo oeste está de parabéns e esperamos até o fim do ano obter o máximo de certificações das quase 500 propriedades atendidas com subsídio do Sebraetec”, antecipa ao comentar o empenho de todos para obtenção desse status sanitário.

Contribuíram no projeto dez consultores, cinco veterinários credenciados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e habilitados para execução de saneamento de Brucelose e Tuberculose, além de mais cinco consultores técnicos auxiliares. O projeto foi executado pelo Instituto de Desenvolvimento Regional (IFAI) da UCEFF e pela empresa habilitada Farmavet.

PROGRAMA

O Sebraetec disponibiliza serviços para adequação à legislação, redução de custos e conquistas de novos mercados, como serviços metrológicos para ensaios e calibrações, prototipagem de produtos, certificações, consultorias, adequação às normas técnicas, design de comunicação para buscar novos clientes, programas de saúde e segurança no trabalho e eficiência energética.

Na região extremo oeste catarinense são desenvolvidos mais dois projetos de saneamento subsidiados pelo Sebraetec: um em fase de conclusão com a participação de 121 produtores rurais e outro em execução que integra 217 empresários rurais. Nestas duas ações inclui-se participantes dos municípios de Belmonte, Maravilha, Palmitos e Santa Helena.

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora