O Sebrae no Acre

 

Fundado em 25 de fevereiro de 1991 com autonomia financeira e política para conduzir seu destino e contribuir para o desenvolvimento dos setores produtivo, comercial e de serviços do Acre, o Sebrae no Acre está cada vez mais maduro, próximo de seu público alvo levando cidadania empreendedora aos lugares mais longínquos.

Sua criação se deu através da Lei 8.029 e 8.154 e regulamentado pelo Decreto nº 99.570. Trata-se de uma entidade empresarial voltada para o setor privado, embora desempenhe função pública e atue no desenvolvimento econômico social.  É um serviço autônomo, sem fins lucrativos, administrado pela iniciativa empresarial.

Com uma longa história no Brasil, onde foi sendo gestado de acordo com as ondas da política e da economia desde o projeto de modernização do país na era de Juscelino Kubitschek, o Sebrae só veio a se instalar no Acre em 25 de fevereiro de 1991.

Aqui, o Sebrae chegou com a missão de atender a uma demanda crescente de micros e pequenos negócios com raízes na floresta amazônica e tocados apenas de ouvidos, sem amparo de assistência para a gestão e conhecimento mínimo dos caminhos para o crescimento e o reconhecimento do mercado.

Desta forma, neste ano o Sebrae comemora seu 27º aniversário de perfeita sintonia com o empreendedorismo acreano, promovendo um modelo de relacionamento sob medida e que tem contribuído para o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e o fortalecimento da economia do Estado e do Brasil.

A formatação do Sebrae para o jeito acreano de empreender apresentou resultados notáveis. Os dados mais recentes mostram que entre os anos de 2006 e 2016, por exemplo, o número de empresas atendidas cresceu nada menos do que 400% passando de 2.111 para 10.760.

Do total de atendimentos, 7.000 foram microempreendedores individuais (MEI); 3.375 microempresários (ME) e 385 empresas de pequeno porte (EPP).

Esses resultados demonstram a consolidação do Sebrae como um parceiro dos pequenos negócios, na medida em que auxilia as empresas a se fortalecerem no mercado, mas também quando ajuda a tirar as ideias do papel de pessoas com vocação empreendedora e que desejam iniciar seus negócios.

O Sebrae vem obtendo estes resultados através do exercício de seis valores: conhecimento, inovação, sustentabilidade, transparência, valorização humana e compromisso com o resultado.

Possui atuação em educação empreendedora, capacitação dos empreendedores e empresários, articulação de políticas públicas que criem um ambiente mais favorável aos pequenos negócios, acesso a novos mercados, tecnologias e inovação, bem como orientação para o acesso aos serviços financeiros. Programas como o Sebraetec, Sebrae Mais, Na Medida, ALI, Negócio a Negócio e Sebrae Empreendedor Individual estão fazendo a diferença.

Tanto é que no ano de 2017 foram realizados 686 cursos presenciais com 17.588 inscritos. Além disso, 587 pequenos negócios tiveram a oportunidade de participar em 44 feiras promovidas pelo Sebrae. Neste mesmo ano foram realizadas 20.019 orientações empresariais, 316 palestras e 12 seminários.

Para atender a este importante público o Sebrae conta com um quadro de 97 colaboradores, 36 consultores e/ou instrutores, 15 estagiários e 28 terceirizados.

O Sebrae no Acre alcançou excelente resultado do “Índice de maturidade na gestão”, medido pela Fundação Nacional de Qualidade (FNQ), no ciclo 2016/2017, no qual passou para a faixa 6 com uma pontuação de 562,25 pontos. Destaca-se também dois indicadores diretamente relacionado ao posicionamento da marca, onde foi obtido as maiores notas nos indicadores “Imagem junto aos Pequenos Negócios”, “Índice de custo/benefício dos produtos/serviços para o cliente” e “Índice de acessibilidade aos produtos/serviços”. A imagem do Sebrae no Acre junto aos pequenos negócios foi a maior de todo o país. Quanto a imagem do Sebrae no Acre junto a sociedade, foi a segunda maior nota de todo o sistema Sebrae.

 

Missão

A missão do Sebrae no Acre é promover o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia e humanizar a prosperidade do Acre e do Brasil.

 

Visão

Ser referência global como um agente catalisador da criação e do suporte a pequenos negócios saudáveis, alinhados com as potencialidades locais, contribuindo para construção de um novo modelo de desenvolvimento econômico.

 

Diretoria do Sebrae no Acre

 

Mâncio Lima Cordeiro

Superintendente

Mestre em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (1982). Ingressou na Universidade Federal do Acre em 1980, onde permaneceu até 2013 e ao longo do tempo lecionou nos cursos de Economia e Direito. Também na Universidade Federal do Acre (Ufac) ocupou diversos cargos na área de gestão. Fora da Universidade Federal do Acre dedicou-se, durante os últimos 20 anos, principalmente, as áreas de gestão financeira e gestão de recursos públicos além da área de gestão de tecnologia da informação. Ocupou diversos cargos entre os quais se destacam o de Secretário da Fazenda e o de Presidente do Banco da Amazônia. Ocupa o cargo de Superintendente do Sebrae no Acre desde 2015.

 

Sidia Maria Cordeiro de Sousa Gomes

Diretora técnica

Especialista em Gestão de Processos, com pós-gradução em Governo Eletrônico: Estratégias de elaboração, Desenvolvimento e Implementação de Projetos pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) e Secretaria Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) e Team Management – Desenvolvimento de Competências Gerenciais. Tem experiência em gestão pública. Tem uma carreira como gestora em diversos órgãos. Foi diretora presidente da Fundação Escola do Servidor Público – Fespac – por três anos, além de ter sido diretora presidente da Fundação de Tecnologia do Estado do Acre. Destacou-se como diretora de Organização em Centrais de Atendimento ao Cidadação (Oca) por sete anos, sendo a responsável pela implantação do modelo no Estado. Ocupa a diretoria técnica do Sebrae desde 2015.

 

Rosa Satiko Nakamura

Diretora de administração e finanças

Bacharel em Ciências Contábeis pela Faculdade de Ciências Contábeis e Atuarias da Alta Noroeste Araçatuba/SP, com especialização em: Análise de Sistema pela Universidade Federal do Estado do Acre, Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas e Gestão Pública com Ênfase em Controle Externo pela INFOCO, ex-bancária no Banco Itaú S/A, ex-servidora da educação Secretaria de Educação do Estado de São Paulo  e desde 1994 funcionária de carreira do Sebrae no  Acre, no qual ocupou vários cargos. Ocupou o cargo de Secretaria Adjunta de Saúde do Estado do Acre. Atualmente responde como diretora de Administração e Finanças do Sebrae no Acre.

 

De onde vêm os recursos?
  • O Sebrae no Acre
  • Posicionamento da Marca

Repasse feito pelo INSS e cobrança de serviços prestados aos clientes formam a receita da instituição.

Como toda organização, o Sebrae precisa de capital para cobrir os custos decorrentes das atividades operacionais e administrativas. A maior parte dos recursos corresponde aos 0,3% calculados sobre o total da folha de salários das empresas.

De acordo com o artigo 8º, parágrafo 3º da Lei nº. 8.029, que criou o Sebrae, 0,3% do total da folha de salários das empresas é recolhido ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), que posteriormente repassa ao Sebrae.

Do total arrecadado compulsoriamente

- 40% vão para as unidades estaduais e para o Distrito Federal; 
- 50% fica com o Sebrae; 
- 10 % compõem uma reserva técnica da entidade.

As unidades estaduais contam com outra fonte de renda, advinda da cobrança dos serviços prestados aos clientes, como no caso de algumas capacitações, cursos presenciais e venda de publicações. No entanto, vale lembrar que a maior parte do que é produzido pelo Sebrae é fornecido gratuitamente aos clientes. 

Posicionamento da Marca
  • De onde vêm os recursos?

Pra quem já é ou quer ser empresário, o Sebrae é a opção mais fácil e econômica de obter informações e conhecimento para apoiar as suas decisões, porque é quem mais entende de Pequenos Negócios e possui a maior rede de atendimento do país.