ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e eventos do seu estado

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Tue Apr 07 10:30:55 GMT-03:00 2020
Empreendedorismo
Como o aprendizado pode ser impactado pelo COVID-19?
Entenda os impactos desta crise na educação e como podemos atuar

Com o avanço do número de casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírusescolas públicas e privadas de Educação Básica dos 26 estados brasileiros e o Distrito Federal cumpriram as determinações dos respectivos governos para a suspensão das aulas. O mesmo ocorre com a Educação Superior, que, por meio da Portaria 343 de 17 de março de 2020 poderá realizar aulas à distância. 

Todos esses cuidados, por tempo ainda indeterminado tem um único objetivo: controlar a proliferação do vírus para eliminar riscos à saúde dos estudantes e servidores dos estabelecimentos de ensino e da sociedade, de modo geral.

No mundo, metade dos estudantes - mais de 850 milhões de crianças e adolescentes, estão sem aulas em razão da pandemia, conforme anúncio feito  no dia 18/03/2020 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Esse número tende a aumentar  e impõe desafios a todos os países  para poder proporcionar um aprendizado ininterrupto a todas as crianças e jovens de maneira equitativa.

É importante considerar que a pobreza já é um dos fatores que mais contribuem para o fracasso no ensino. Crianças pobres, em um contexto sem escola, são ainda mais vulneráveis por terem menos oportunidade de aprendizagem em casa, como livros, atividades de lazer e pais em condições de ajudá-las a se desenvolver. 

Há outro fato preocupante: muitos desses estudantes dependem da escola para se alimentar adequadamente. No Paraná, estudantes e familiares poderão retirar a merenda escolar nas instituições em que estão matriculados, em outros estados, os governos buscam alternativas para a questão da alimentação.

Os gestores da educação no Brasil, nas suas diferentes esferas administrativas, tem se mobilizado no sentido de encontrar uma maneira de minimizar as perdas curriculares em virtude da necessária alteração do calendário escolar, ee buscam alternativas de fazer chegar até os estudantes os conhecimentos teórico-práticos referentes aos conteúdos dos diferentes níveis de ensino. 

 

Possíveis caminhos 

1. Suspensão das aulas com posterior reposição do calendário escolar: nessa frente, diversas instituições de ensino têm buscado, por meio de suas redes sociais, se conectar à sua comunidade escolar. Apresentam vídeos com comunicados, oferecem ebooks com possibilidades de atividades; trazem dicas de como emplacar rotinas, etc 

2. Uso de tecnologias educacionais e comunicação remota: o uso de plataformas digitais, figuram como uma forma de seguir, excepcionalmente, com o calendário escolar. Nesse caso, pelas características da educação superioresse caminho se apresenta como uma boa alternativa; 

3. Antecipação das férias: Na Educação Básica da Rede Pública, nem todas as famílias possuem o aparato tecnológico necessário para o caminho apresentado no item anterior. Nese caso, os 200 dias letivos devem ser repostos posteriormente ou será necessária alguma alteração legislativa pontual, nesse contexto de pandemia. 

 

Até que tudo se normalize, como manter o aprendizado constante? 

Pensamos algumas ideias, principalmente para o público mais afetado: 

  • Oferta de conteúdos por meio de mídias como o rádio e a televisão aberta, audioaulas e teleaulas, como já foi feito no Brasil em tempos passados. O “Projeto Minerva”, por exemplo, foi um programa educativo veiculado pelo rádio, após a Hora do Brasil, na década de 1970. A “TV Educativa”, também criada na década de 1970, foi idealizada para se transformar em um centro de produção e difusão de programas direcionados para a educação a distância.  

  • Trabalhar com conteúdos de caráter geral, para cada área do conhecimento, que se aplique ao currículo de cada ano escolar.  

  • Orientar o planejamento de atividades a serem realizadas e disponibilizadas nas diferentes mídias, que também podem ser acessadas por equipamentos mobile, como celular e tablet ou gravadas em DVD para quem tiver computador com essa mídia. 

  • Envio de malas diretas com conteúdos/atividades.

 

O que está acontecendo neste momento? 

De um lado, gestores escolares estão focados nos impactos imediatos da paralisação, como merenda escolar para as crianças necessitadas e processos administrativos como pessoal e organização do currículo que permita conteúdo a distância. De outro, um grupo de empresas e fundações educacionais tentam acelerar soluções tecnológicas com conteúdo para atender estudantes. 

O Sebrae, neste momento, coleta informações sobre plataformas tecnológicas e soluções destinadas a formação em casa para distribuição nos diferentes canaisUm grupo de trabalho com MEC, Consed e Undime verificam junto as empresas de telefonia a possibilidade de liberar banda larga gratuita paraprodução e envio de conteúdo curricular 

O ambiente de formação de professores em empreendedorismo em EAD está disponível. Uma trilha de vídeos para capacitação online foi organizada para atender estudantes do ensino médio, com diversos conteúdos de empreendedorismo, eixo estruturante dos nossos novos itinerários formativos. De forma lúdica e levejogos educativos podem ser acessados no portal do Sebrae. 

Centro de Referência em Educação Empreendedora do Sebrae também está engajado Por meio do CER Histórias. Objetos Educacionais Online serão disponibilizados por meio do projeto Educação Sem Paredes. ambiente do ConecteCER está sendo reestruturado para realizarmos um Webinar por semana com especialistas e influenciadores digitais logo compartilharão experiências. 

 

Tem alguma ideia? Podemos te ajudar com conteúdos e reflexões de como passar por esse momento da educação? Esperamos o seu contato!

 

Escrito por Pedro Valadares, colaborador do Sebrae Nacional.

 

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Conteúdo relacionado

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora