this is an h1

this is an h2

Pular para o conteúdo principal
Fri Dec 14 19:11:20 BRST 2018
Finanças | FINANCIAMENTO
Crowdfunding reúne financiadores anônimos de projetos

Organizadas em plataformas online, as ferramentas de captação de recursos apoiam ideias inovadoras e que produzam algum retorno para a sociedade.

· 26/08/2015 · Atualizado em 14/12/2018
Imagem de destaque do artigo

Crowdfunding ou financiamento coletivo é uma nova maneira de captar recursos para concretizar projetos. Ele se organiza por meio de plataformas online (sites, blogs, redes sociais etc.) e seu objetivo é reunir pessoas que precisam de financiamento para projetos e potenciais apoiadores dessas ideias.

Os projetos podem ser voltados para criação de uma empresa, apoio a uma causa social, realização de eventos, elaboração de novos produtos/serviços, enfim, qualquer projeto, desde que gere valor à sociedade e seja inovador.

É importante destacar que, na maioria das plataformas, não são aceitos projetos cujo objetivo final seja capitalizar uma organização, mas existem plataformas específicas para essas ideias.

Outro ponto importante é que a campanha de divulgação do crowdfunding, além de conseguir financiamento, funciona como uma forte ferramenta de marketing, pois divulga o projeto e permite que a receptividade do público seja mensurada de forma prática.

Normalmente são priorizados pelos organizadores das plataformas de financiamento coletivo projetos que precisem de baixo investimento e que tenham grande potencial para causar impacto positivo na comunidade.

Como funciona

Os idealizadores devem estruturar suas ideias e divulgá-las a fim de conquistar seu público-alvo e, consequentemente, o financiamento. Enquanto isso, os apoiadores avaliam os projetos, decidem se vão financiá-los e a quantia que vão investir.

Mas o que os apoiadores ganham? Além de contribuir para o projeto, são reembolsados com as chamadas “recompensas”, normalmente interessantes para o consumidor.

Por exemplo, os apoiadores que financiaram um projeto cujo objetivo é desenvolver um festival de música ganham entradas. Dessa forma, ao apoiar um projeto, eles também estão se beneficiando. Trata-se, portanto, de um bom negócio.

Normalmente, os projetos contam com uma grande quantidade de pequenos financiamentos, oriundos de vários apoiadores que, juntos, compõem um montante expressivo.

Dessa forma, um projeto que precisa de R$ 10 mil consegue uma infinidade de pequenos financiamentos de diversos valores que, juntos, alcançam a quantia desejada. Na prática, o financiamento coletivo é um conceito novo que expressa algo antigo, a “vaquinha”. Só que agora ela é realizada pela internet e por pessoas que não se conhecem.

O mercado de crowdfunding
  • O Crowdfunding de Investimento no Mundo

O Crowdfunding de Investimento (ou Equity Crowdfunding) está regulamentado em mais de 20 países no mundo, sendo certo que pelo menos igual número está em vias de estabelecer sua regulamentação. Interessante notar que o mercado mundial movimentou em 2017 cerca de US$ 100 bilhões. Desse montante cerca de 70% foram destinados ao chamado “peer-to-peer|lending based crowdfunding”. Estima-se que as três outras modalidades representaram entre US$ 7,0 e US$ 8,0 bilhões cada uma. São elas: “donation based crowdfunding”, “rewarding based crowdfunding” e Crowdfunding de Investimento.

Cerca de US$ 5,0 bilhões correspondem a uma quinta modalidade em forte crescimento, o “real state crowdfunding”. O Crowdfunding de Royalties está estimado em US$ 1,0 bilhão anual. Embora em montante equivalente às demais modalidades. À medida em que os respectivos regulamentos para essa modalidade sejam colocados de pé em cada país, o Crowdfunding de Investimento é o que possui o maior potencial de crescimento no mundo.

Como pode-se observar, o Crowdfunding de Investimento é o único que demanda regulamentação específica. Em alguns países também o “lending based crowdfunding” requer igual tratamento. No caso brasileiro, esta última modalidade está subordinada ao mercado financeiro – instituições financeiras e bancos – reguladas pelo Banco Central. Há porém uma primeira abertura proporcionada por resolução recente (abril de 2017), do Conselho Monetário Nacional, que criou as figuras de SCD – Sociedade de Crédito Direto e SEP – Sociedade de Empréstimo Entre Pessoas, que estabelece normas e cria limites para o desenvolvimento de operações no modelo “peer-to-peer|lending based crowdfunding”, sem o concurso de instituições financeiras.

Considerando os montantes do mercado mundial acima, cerca de 50% refere-se à América do Norte, 30% a Ásia, com predominância da China e 19% na Europa, com predominância de Inglaterra e Israel.

Considerando o potencial de cada mercado, é bastante destacado o papel da Inglaterra e de Israel nas operações de Crowdfunding de Investimento; da mesma forma é o papel da China e tigres asiáticos nesse mesmo mercado. O maior potencial continua sendo o mercado norte-americano. Nos Estados Unidos, o JOBS Act, assinado em 5 de abril de 2012, contudo, resultou em dois grandes grupos: o Título IV, regulamentado em março de 2015, para startups que captam até US$ 50,0 milhões, permite investimentos de investidores “accredited” – cerca de 10 milhões de norte-americanos com rendimento anual acima de US$ 200 mil  ou patrimônio líquido de investimentos acima de US$ 1,0 milhão. O chamado Título III, regulamentado em maio de 2016, para startups que captam até US$ 1,0 milhão por ano, é considerado bastante restritivo. Em ambos os títulos investidores não “accreditted” podem investir 10% do seu rendimento anual ou patrimônio líquido de investimentos, o que for maior.

Países cujas regulamentações sobre o “Crowdfunding” de Investimento já foram implementadas: Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, China, Finlândia, Alemanha, Irlanda, Israel, Itália, Malásia, Países Baixos, Nova Zelândia, Portugal, Cingapura, Suécia, Noruega, Suíça, Peru, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos.

  • O Crowdfunding de Investimento no Brasil

O Crowdfunding de Investimento no Brasil foi destravado em 2014, mesmo antes da regulamentação específica, tornada pública em julho de 2017. No período anterior à regulamentação, 60 ofertas foram completadas com sucesso, permitindo o levantamento de R$ 20,0 milhões. Embora as primeiras operações no Brasil ocorreram em 2014, o referido montante foi concentrado nos últimos 2 anos e meio anteriores à nova norma.

Um regulamento próprio para o mercado brasileiro de Crowdfunding de Investimento, cuidadosamente elaborado a quatro mãos entre a CROWDINVEST – Associação Brasileira de Crowdfunding de Investimento e a CVM – Comissão de Valores Mobiliários, submetido à consulta pública no segundo semestre de 2016 e publicada em julho de 2017, trouxe segurança jurídica para o mercado. Ademais, trouxe uma das mais avançadas, abrangentes e flexíveis regulamentações sobre Crowdfunding de Investimento, comparativamente àquelas em vigor no resto do mundo.

  • Benefícios para o mercado brasileiro

O montante até então obtido é relativamente pequeno, se considerarmos o potencial de R$ 984 milhões de investimentos anuais em novos negócios no país – dados de 2017 segundo a Associação Anjos do Brasil. O “Crowdfunding” de Investimento representa cerca de 2% desse montante. Considerando as características do investimentos anjo, cujo ticket médio está estimado em R$ 130 mil, o Crowdfunding de Investimento se apresenta como grande aliado desse mercado.

O Crowdfunding de Investimento é um modelo bastante promissor para desenvolver o mercado de capitais brasileiro num movimento “bottom up”, trazendo um novo estímulo às medidas de fomento do mercado de pequenas ofertas criado em 2005 pelo Bovespa Mais.

O ambiente econômico a partir de reformas na área econômica e com queda sensível das taxas de juros é um grande indutor desse novo mercado.

Por que o mercado de ações no Brasil – que já teve mais de 600 mil pessoas físicas e hoje atrai pouco menos da metade desse público, não promoveu uma maior participação de pessoas físicas. Os motivos são diversos: juros altos, concentração de ofertas nas mãos de grandes investidores internacionais e institucionais, baixo conhecimento do mercado, baixa liquidez em boa parte dos papéis e percepção de que o mercado está sujeito a oscilações relacionadas a medidas governamentais.

Por que o mercado Crowdfunding de Investimento teria melhor sorte? A principal motivação é a proximidade do investidor à empresa, a sua possibilidade de influenciar decisões e a identidade com o time empreendedor e/ou com os produtos e serviços oferecidos.

  • Perspectivas para o desenvolvimento do mercado brasileiro

As perspectivas estão bastante ligadas ao surgimento de novas e melhores propostas de empreendedores – startups de qualidade. Já se verificam melhoras nessa oferta ao longo desses 6 anos de movimentação mais relevante do ecossistema empreendedor inovador no Brasil. Uma previsão palpável é de gerar entre R$ 150 e 200 milhões de reais em Crowdfunding de Investimento por ano, num prazo de 5 anos

Fonte: CrowdInvest

Conheça iniciativas

Conheça algumas dessas centenas de plataformas de crowdfunding no mundo que apoiam projetos de diversas áreas, como, artes, tecnologia, jogos, empreendedorismo e projetos sociais:

1. Catarse
É o primeiro site de crowdfunding brasileiro. Fundado em 2011, já financiou mais de R$ 10 milhões. Abrange projetos considerados inovadores e não aqueles cuja única finalidade é capitalizar uma empresa.

2. Kickstarter
Sem dúvida é uma das maiores plataformas de financiamento coletivo do mundo. Foi criada em 2009 e já financiou mais de 50 mil projetos com um montante superior a US$ 833 milhões.

3. Indiegogo
Criada em 2008, essa plataforma estrangeira foca em ajudar pessoas físicas, negócios menores e organizações sem fins lucrativos.

4. P2B Investor
Reúne oportunidades de negócios apenas para pequenos empreendimentos; em contrapartida, os apoiadores detêm uma parcela do negócio e ganham dividendos mensais.

5. Startup Valley
Crowdfunding com objetivo de apoiar a criação de startups em qualquer lugar do mundo. Possibilita, inclusive, que um apoiador torne-se sócio.

6. Seedrs
Outra plataforma de financiamento coletivo que apoia nas startups.

7. Quirky
É uma das plataformas mais inovadoras. Apoia apenas invenções de objetos que podem ser usados no dia a dia de qualquer pessoa. Quem apoiar um projeto ganha um dos objetos produzidos.

8. Ideame
É o maior site de financiamento coletivo da América Latina.

Fonte: Blog Mercados

 

Entenda melhor

 

Nos ajude a melhorar este conteúdo! Avalie abaixo se o conteúdo foi útil ou não para você. Se não foi útil, nos diga o que ficou faltando para poder melhorá-lo!

O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Conteúdo relacionado