Thu Oct 15 15:03:26 GMT-03:00 2020
Empreendedorismo
Scale-up: 6 segredos do modelo de negócios do futuro
Entenda o que são Scale-Up, as diferenças para outros modelos e os principais segredos que esse tipo de negócio possui

O conceito de Scale-Up vem sendo amplamente difundido no mercado nacional. Logo após a disseminação das Startups, apareceram novas ideias e metodologias de negócios totalmente diferenciadas e inovadoras.

Cada um desses elementos tem características e aplicações muito específicas, apesar de algumas pessoas colocarem todos esses tipos de negócio em um mesmo nível de importância e modalidade.

Neste artigo, mostraremos o conceito de Scale-Up, as diferenças para outros modelos e os principais segredos que esse tipo de negócio possui. Acompanhe!

O que é Scale-Up?

O empreendedorismo é uma das grandes fontes de riqueza de um país. É por meio dele que as pessoas conseguem empregos, e são as empresas — sejam elas grandes, médias ou pequenas — que produzem bens e serviços utilizados diariamente por milhões de brasileiros.

Por mais que existam milhares de servidores públicos, o empreendedorismo é o responsável por empregar uma parcela significativa da população. Contudo, não são somente grandes organizações que geram esses postos de trabalho. A maior parte deles é criada por empreendimentos menores, como as Startups e as Scale-Ups.

Mas, afinal, o que é uma Scale-Up? Basicamente, ela é caracterizada como uma empresa que já passou por um processo de validação do mercado e pode caminhar com as próprias pernas. Trata-se de uma etapa do processo de desenvolvimento de um negócio ou, também, um nível em que ele se encontra.

Quais são as diferenças entre a Startup e a Scale-Up?

Algumas pessoas confundem o conceito de Startup com Scale-Up, pelo fato de ambas parecem ser a mesma coisa. Porém, existem algumas diferenças conceituais fundamentais. A primeira coisa a considerar é que uma Scale-Up pode ser uma Startup, mas não é uma regra muito bem-definida.

No entanto, o termo que estamos estudando refere-se a empresas que se posicionaram com destaque em seu segmento, de forma muito rápida. Sendo assim, muitas pessoas acabam associando ambos os conceitos.

A ideia é que uma empresa, para ser considerada uma Scale-Up, deve ter idade média de até 14 anos de existência. Nada obstante, é muito comum encontrar empreendimentos que são classificados como tal e têm 5 ou 10 anos. A transição de nível em que determinada empresa desse tipo se encontra pode começar muito rápido, assim como ocorre com as Startups. Porém, o percurso de consolidação que é seguido posteriormente costuma levar mais tempo.

Quais são os segredos desse tipo de negócio?

Agora que você entendeu o que é uma Scale-Up e as diferenças desse modelo de negócios para o da Startup, mostraremos quais são os segredos que contribuem para que você tenha uma empresa desse tipo e obtenha sucesso.

1. Troque experiências com os colaboradores

A Scale-Up utiliza o conceito de troca de experiência com o mercado em geral, mas, principalmente, com as pessoas que atuam no negócio. Compartilhar ideias com os seus colaboradores é um dos segredos mais importantes para o crescimento de uma empresa desse tipo.

Afinal, muitos departamentos ou atividades específicas dentro de um negócio não são percebidos pela alta gestão da empresa. Nesse sentido, é muito comum que pequenas tarefas acabem gerando um impacto verdadeiramente negativo em toda a empresa. E esses elementos só podem ser observados pelos colaboradores do setor.

Além disso, também vale a pena a troca de experiência com profissionais que atuam em outras empresas constituídas sob o mesmo formato. Dessa forma, há um compartilhamento dessas ideias, agregando maiores benefícios à sua cultura organizacional.

Imagine, por exemplo, que você decida qualificar o plano de benefícios da sua empresa. Para isso, devem ser realizadas reuniões com colaboradores e membros do setor de RH. Entretanto, ainda é possível sair ao encontro de outros profissionais de empresas semelhantes para verificar o que já está sendo feito nesses empreendimentos e a viabilidade de implementação.

Ressaltamos que o objetivo sempre deve ser o de compartilhar informações, e não copiar processos. Afinal, cada Scale-Up é única, e procedimentos executados em um negócio podem não ser passíveis de aplicação em outro. Portanto, é importante ter atenção a esse ponto.

2. Seja uma empresa flexível

As Scale-Ups são consideradas como as empresas do futuro. E isso se deve ao fato de os gestores desses negócios sempre estarem prontos para a mudança, seja ela do seu próprio mercado de atuação, iu alterações sociais e, principalmente, as mudanças frequentes que existem com o surgimento de novas tecnologias.

O segredo por trás dessa característica é que a Scale-Up não brinca com mudanças, mas se adapta o mais rápido possível e utiliza-se dessa novidade para potencializar os resultados do negócio, o seu crescimento e destaque em seu mercado de atuação.

Elementos como plano de marketing e de negócios são peças fundamentais dentro de uma empresa. Mas eles não podem engessar os processos da Scale-Up. Pelo contrário, eles devem ser elaborados pensando sempre na flexibilidade e antecipação quanto a novas demandas, elaborando estratégias de adequação com agilidade e eficiência.

3. Faça uma boa gestão de mudanças

Como a flexibilidade é um ponto marcante dentro da Scale-Up, é imperativo que você desenvolva uma boa gestão de mudanças dentro desse negócio. Sua equipe precisa estar preparada para suprir essas necessidades e ter a agilidade necessária para adequar o negócio assim que surgirem novos conceitos, processos e ferramentas.

Essa gestão de mudanças e, até mesmo, a flexibilidade que mencionamos no tópico anterior demandam dois elementos fundamentais. O primeiro são as tecnologias ou ferramentas fundamentais para o trabalho, e, o segundo, as pessoas.

A Scale-Up valoriza em muito o trabalho de seus colaboradores, facilitando a criação de uma equipe multidisciplinar, capacitada e focada no desenvolvimento e no crescimento do negócio. Os gestores desses negócios compreendem que a seu evolução deve vir em sequência ao desenvolvimento do colaborador, seja no aspecto profissional, seja no pessoal.

4. Sonhe grande

Pode parecer pretensioso, mas os gestores de Scale-Ups têm sonhos ousados e ambiciosos. Contudo, não confunda essa característica com impulsividade e inconsequência. Esse “sonho grande” é feito com muito planejamento e gestão de estratégia, sempre analisando com precisão o seu mercado de atuação e as capacidades individuais da empresa como um todo.

5. Tenha objetivos e metas bem-definidos

Outro ponto importante é a definição de metas e objetivos. Para sonhar grande, é primordial saber exatamente aonde quer chegar. E esses dois elementos demonstram isso com maestria. Os objetivos são focos maiores e, geralmente, de médio e longo prazo. O objetivo é fracionado em metas, que são pequenas vitórias conquistadas em um curto espaço de tempo que, aos poucos, levarão a empresa a atingir esses pontos determinados pela gestão do negócio.

6. Mantenha persistência e consistência em suas ações

Por fim, é necessário manter persistência e consistência em suas ações. Apesar de o conceito de Scale-Up remeter a um crescimento rápido e sólido, ainda é necessário persistir e ter calma quanto a alguns processos.

Em determinado momento, é provável que a empresa passe por um período de estagnação. E é justamente nesses casos que os empresários, gestores e a sua equipe serão testados. Por isso, é imprescindível o estudo e a atualização constante de todas as pessoas ligadas ao negócio. Dessa forma, saberão exatamente como lidar com eventuais adversidades ou dificuldades que podem surgir ao longo do caminho.

Qual é o papel da Scale-Up na geração de empregos?

Para que uma empresa seja considerada uma Scale-Up, ela precisa ter um crescimento de aproximadamente 20% em um ano, mantido assim por, pelo menos, 3 anos consecutivos. Obviamente, isso não é algo simples de se conseguir, especialmente em um país como o Brasil, onde é tão difícil empreender.

Essa dificuldade de crescimento rápido pode ser observada nos números apresentados pela Endeavor, que afirma que cerca de 0,5% das organizações em funcionamento no nosso país são consideradas Scale-Ups. Esse número tão baixo de negócios desse modelo pode levar algumas pessoas a acreditarem que não têm um impacto muito grande na geração de empregos, embora a realidade seja completamente outra.

A Endeavor também mostrou que quase 60% dos novos postos de trabalho que foram criados no Brasil, na época da pesquisa, vieram dessas empresas. Apenas para você ter uma ideia da dimensão desse número, enquanto uma empresa tradicional tem uma média de contratação de 0,34 profissionais por ano, uma Scale-Up pode chegar a criar 30 novos postos de trabalho no mesmo período.

Portanto, mesmo com um número ainda tão pequeno de negócios desse tipo de despontando no Brasil, elas já são uma grande fonte de emprego para os brasileiros, contribuindo para que a economia de todo o país se desenvolva.

Por fim, podemos concluir que esse perfil de empreendimento ainda está muito no início, mas as expectativas de crescimento são boas, principalmente após os avanços tecnológicos que estamos testemunhando nos últimos anos, o surgimento de novas formas de consumo e a facilidade que as pessoas estão tendo para acessar informações. Em vista disso, o seu papel como empresário é adequar-se a essas novidades o quanto antes.

Se você gostou dessas informações e quer continuar recebendo nossos conteúdos em primeira mão, curta nossa página no Facebook e fique de olho na sua timeline, para não perder nenhuma nova postagem.

 

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora