ac am rr pa ap ma pi ce rn pb pe al se ba to mt ro ms go df mg es rj sp pr sc rs
  • RSRio Grande do Sul
  • SCSanta Catarina
  • PRParaná
  • SPSão Paulo
  • MSMato Grosso do Sul
  • RJRio de Janeiro
  • ESEspírito Santo
  • MGMinas Gerais
  • GOGoiás
  • DFDistrito Federal
  • BABahia
  • MTMato Grosso
  • RORondônia
  • ACAcre
  • AMAmazonas
  • RRRoraima
  • PAPará
  • APAmapá
  • MAMaranhão
  • TOTocantins
  • SESergipe
  • ALAlagoas
  • PEPernambuco
  • PBParaíba
  • RNRio Grande do Norte
  • CECeará
  • PIPiauí
menu Sebrae

Cursos e Eventos

Cursos e eventos do seu estado

Confira a programação do Sebrae no seu estado e inscreva-se já.

Cursos Online

Matricule-se nos cursos online 100% gratuitos e estude sem sair de casa.

Fri Dec 16 11:16:10 GMT-03:00 2016
Pessoas
Valorizando pessoas e engajando equipes
Confira dicas para investir na motivação dos seus colaboradores

Toda empresa deseja ter uma equipe motivada e comprometida, com foco no cliente e na venda. Mas afinal, é possível tornar a motivação algo permanente? A empresa é responsável por isso?

Dado o grande desafio em gerenciar os recursos humanos, estratégias de valorização estão sendo implementadas de forma crescente, como forma de satisfazer os colaboradores e torná-los fiéis à empresa e aos seus clientes.  Sabendo que os consumidores estão mais exigentes e o mercado cada vez mais competitivo, o engajamento da equipe passa a ser um diferencial suficiente para levar a empresa ao topo ou a falência.

Algumas dicas podem ser úteis para empresas que querem investir no bem estar dos funcionários, e que colherão os frutos mais na frente. São elas:

1) Definição dos cargos e funções: Todo bom desempenho começa com uma clara e precisa definição do que precisa ser feito. A empresa deve descrever o que espera dos cargos existentes, norteando os colaboradores sobre a correta entrega para a empresa. Este é o começo de um bom desempenho por parte do funcionário.

2) Criação de manual de conduta: Além de saber o que deve ser feito, os colaboradores precisam estar cientes da boa e ética postura profissional. Um manual de conduta tem esse papel, orientando quanto aos comportamentos que contribuem para a boa convivência no ambiente de trabalho.

2) Correto recrutamento e seleção: Após definir o que a empresa precisa que cada um faça, é preciso colocar as pessoas certas nos lugares certos. O recrutamento precisa ser assertivo, contribuindo para uma seleção de sucesso. Quando pessoas com o perfil da empresa são selecionadas tudo fica mais fácil!

3) Disponibilização de benefícios e treinamentos: Se você quer manter bons profissionais na sua equipe, você deve cativá-los. A concessão de benefícios é algo atrativo, que fortalece o vínculo emocional e ajuda a criar um bom clima organizacional. Devemos ressaltar que os benefícios precisam “caber no bolso” da empresa, e podem incluir parcerias com outros estabelecimentos, viabilizando descontos e condições diferenciadas (as vezes sem nenhum custo adicional!). Não esqueçamos também dos tradicionais momentos de integração (ex: aniversariantes, confraternização de fim de ano, etc), que aproximam as pessoas e ampliam o sentimento de equipe. 

Também como foco no bem estar, e visando o desenvolvimento, a empresa pode oferecer treinamentos ao quadro de pessoal, de forma programada e com base nas funções desempenhadas, gerando assim uma evolução técnica e cognitiva.

4) Avaliação de desempenho dos colaboradores: Se existe um parâmetro das entregas, o colaborador precisa ser informado se está atendendo ou não o exigido. Além de aprendizado, este momento sinaliza para o funcionário que a empresa precisa do comprometimento no dia a dia. É mais difícil corrigir ou melhorar algo que não é mensurado.

5) Política de reconhecimento: Não só de cobrança é construída a relação entre empresa e funcionário. Constatando-se o bom desempenho e comprometimento, é preciso reconhecer. E isto pode ser feito das mais diversas formas, contemplando elogios, premiações, folgas, etc. Mais uma vez ressaltamos a importância da adequação a condição financeira da empresa. 

6) Pesquisa de clima: o clima  organizacional não é estático, e precisa ser monitorado. Sinais de desgastes na relação podem desencadear frustração e perda do comprometimento, com repercussão até mesmo no consumidor final. Para evitar que isto aconteça, a aplicação de pesquisa de clima organizacional, ao menos uma vez por ano, é essencial. Além de alertar quanto a possíveis tensões e insatisfações, a pesquisa pode apontar soluções aderentes às necessidades das pessoas envolvidas, contribuindo para a criação de planos de ação.    

Por Vitor Abreu, analista do Sebrae em Pernambuco

Compartilhar
Favoritar

    Salvo na lista de favoritos

O conteúdo foi útil para você?

Fale com o Sebrae

Converse online, por chat ou email, com os técnicos do Sebrae
para tirar dúvidas e receber orientações sobre o seu negócio.
É gratuito!

Converse agora