COMÉRCIO

O papel dos gestores nas empresas que aprendem

A organização que estimula o aprendizado dos colaboradores geram valores

  • Artigo em PDF

A necessidade de tornar as companhias mais competitivas por meio da aprendizagem organizacional tem exigido dos gestores a percepção quanto a forma como os funcionários aprendem, e como desenvolvem e disseminam esse aprendizado. Isso é fundamental para que o conhecimento de interesse da empresa possa ser amplamente compartilhado, estimulando a criatividade e a inovação, gerando competitividade.

Organizações que aprendem podem ser definidas como aquelas que valorizam e desenvolvem as competências essenciais que geram valor para os clientes. Nas empresas em que a aprendizagem é valorizada, essa prática faz parte da sua cultura, sua estratégia e maneira de fazer o conhecimento chegar até as pessoas que podem fazer a diferença para o sucesso do negócio.

Nesse sentido, o papel dos gestores nessas organizações vai além de estimular a aprendizagem de seus subordinados. Cada funcionário tem formas diferentes de aprender e de disseminar esse aprendizado, e o gestor deve ficar atento para perceber quais práticas facilitam a comunicação entre os subordinados, para que o desenvolvimento deles possa ser potencializado.

Estimular o aprendizado dos colaboradores por meio do incentivo à educação contínua e profissional tem sido um método utilizado nas organizações, visando elevar a capacidade de gerar soluções que agreguem maior competitividade. Para isso, programas de desenvolvimento profissional oferecem vantagens para que funcionários busquem seu aperfeiçoamento contínuo, por meio de cursos superiores de graduação e pós-graduação, por exemplo.

No entanto, além do estímulo formal à aprendizagem individual, as organizações que aprendem, em especial os seus gestores, têm ido além do aprendizado, oferecendo um ambiente propício ao processo de aprendizagem organizacional, permitindo que a interação de conhecimentos individualizados possa gerar soluções inovadoras para a empresa e seus clientes. Mais do que isso, os gestores dessas organizações procuram se envolver no processo de criação dessas soluções, auxiliando seus subordinados a transpor os obstáculos que surgem no caminho e apoiando-os na medida do possível.

Além do incentivo e envolvimento no processo de aprendizagem, os gestores das instituições que aprendem, promovem o devido reconhecimento e recompensa aos colaboradores que se permitem ir além do “mais do mesmo” e se arriscam em busca de inovações.

Portanto, a era do gestor que “sempre” tem a melhor solução ficou para trás, e nas empresas que aprendem continuamente os gestores são mais do que apoiadores, são coadjuvantes do processo de criar, inovar e gerar valor para os seus clientes, estimulando a comunicação e a aprendizagem individual e coletiva, incentivando o intraempreendedorismo e reconhecendo os méritos dos seus colaboradores.

Artigo em PDF

Confira a baixo o artigo em PDF.

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: