INOVAÇÃO

A evolução nos sistemas de busca: uma imersão completa

Já é possível encontrar conteúdos por meio de voz e imagens, não somente por texto. Conheça as inovações nesses mecanismos e como utilizá-las no seu negócio.

  • A voz comanda

As palavras-chaves ou mesmo frases completas não são mais o único argumento de busca dos internautas. Voz e imagem são os novos insumos para obter respostas precisas e traçar perfis de consumo e de preferências. Assim as empresas e profissionais podem ofertar produtos e serviços personalizados para cada cliente em potencial.

Conheça as novas tecnologias, que viabilizam essa mudança de comportamento segundo o relatório Internet Trends Report, divulgado pela Kleiner Perkins Caufield & Byers (KPCB).

A voz comanda
  • O poder das imagens

Google Assistant & Google Machine Learning. A precisão do reconhecimento de voz continua a ser prioridade 

O Google Assistant, que substituiu o Google now, é um programa que viabiliza a interação homem máquina. Podemos fazer uma analogia do Google Assistant com o SIRI da Apple e o Cortana da Microsoft. Ele pode fornecer informações sobre o lazer, notícias, passeios, horários de voos, clima etc. além de configurar alarme, mostrar agenda, imagens no Google Fotos e e-mails recentes.

Não é necessário digitar, basta perguntar perto do microfone do seu telefone celular para que o usuário obtenha a resposta. Ainda em 2017 o Google Assistant ganhará suporte para o “português brasileiro”. Será possível utilizar o Google Assistant em dispositivos IOS, mas ainda não se sabe quando esta funcionalidade estará disponível no Brasil.

Essa ferramenta usada em conjunto com o Google Machine Learning permite melhorar a precisão das respostas dadas ao usuário já que ele vai aprendendo com as suas escolhas e respondendo às suas demandas mais assertivamente.

Sem qualquer digitação é possível fornecer um conteúdo personalizado para quem deseja.

O poder das imagens
  • A voz comanda
  • Anúncios personalizados

Google Lens: tirar fotografias pode substituir a digitação

O Google Lens é nova ferramenta do Google Assistant e ainda está em fase de protótipo. Foi apresentada no Google I/O 2017, conferência para desenvolvedores da Google. Trata-se de uma interface para plataformas baseadas em imagens.

Os usuários poderão apontar a câmera de um smartphone ou de qualquer outro dispositivo para um objeto para identificá-lo e obter informações sobre ele. Por exemplo: basta apontar para um carro e ter na tela informações sobre a marca, modelo, e potência do veículo sem necessidade alguma de digitar qualquer texto.

Integrado ao Google Fotos (em breve), aplicativo com mais de 500 milhões de usuários, será possível obter informações contextuais sobre as fotos que já tiramos, como identificar o nome de um museu que você visitou.

Veja aqui uma apresentação (em inglês)

Quebrando a barreira da língua

Utilizado em conjunto com o Google Tradutor, o Google Lens ainda oferece um serviço de tradução por imagens. É possível, então, apontar para uma revista, placa ou jornal em outro idioma e obter a tradução desses textos.  

O maior ganho na sua utilização é que, além de entender texto e formas, ele compreende o contexto. Por exemplo: se você "filma" uma loja, ele entende que você quer informações sobre esse estabelecimento. No entanto, se você filma um código de barras com dados para conexão wi-fi seu telefone pode ser conectado à rede.

Neste contexto, as avaliações dos clientes sobre empresas terão grande importância. Afinal, quem não gostaria de contar com essa informação antes de entrar numa loja?

Anúncios personalizados
  • O poder das imagens

Snap Image Recognition: uma potencial ferramenta para segmentação de anúncios

O Snapchat solicitou a patente para um sistema de publicidade que utiliza o reconhecimento de objetos o Snap Image Recognition. Essa tecnologia permite a identificação de objetos nas imagens apresentadas pelos usuários.

No pedido de patente, o Snapchat descreve como os usuários poderiam “personalizar” os objetos que aparecem seus snaps. O exemplo fornecido pela empresa traz uma foto do Empire State Building. Neste caso, a sobreposição sugerida pela tecnologia é a imagem do King Kong pendurado o topo do edifício. O objetivo nesse caso é divertir o usuário e, consequentemente, fidelizá-lo.

Os usuários do aplicativo Snapchat poderão criar seus filtros gratuitamente, como por exemplo, para uma festa de aniversário. Já as empresas terão que pagar caso queiram um filtro para promover uma marca, produto ou evento.

Dica de marketing: O snapchat já vende filtros aos anunciantes baseados na localização do usuário.

Com essa tecnologia seria possível sobrepor os objetos com imagens de marcas relacionadas a eles ou até mesmo cupons promocionais. Por exemplo: ao tirar uma foto de uma xícara de café apareceria um cupom que daria direito a um café gratuito em uma determinada loja na região aonde o potencial cliente se encontra.

É possível fazer uma analogia com a aquisição de espaço publicitário com base em palavras-chave obtidas pelas estratégias de busca do Google – só que em vez de procurar por palavras chaves “xícara” ou “colher” estará procurando pela imagem do objeto.

Para os anunciantes, o reconhecimento de objetos pode ser usado para servir filtros patrocinados: ao apresentar uma foto de um cinema, poderia aparecer a programação de filmes com traillers e resenhas, por exemplo.

O Snapchat pensa também na possibilidade de criar leilões automatizados para a aquisição de filtros visando a compra de direitos de publicidade exclusivos para certos objetos.

A ideia de transformar fotografias em negócios é uma forma inteligente de monetizar, pois a informação vem junto com a diversão e ainda é direcionada ao objeto de desejo e ao local aonde se pode obtê-lo.

Google Visual Positioning Service: criando mapas para aquisição de produtos dentro de uma loja

O Google atualizou a sua plataforma ARCore de realidade aumentada. Esse serviço detecta e anima o seu mundo permitindo que você veja imagens virtuais em sua volta utilizando apenas um smartphone.

O Google Visual Positioning Service utiliza uma câmera para mapear um local existente, como por exemplo, o interior de uma loja. Após o mapeamento esse serviço pode ser utilizado como rota para identificar os produtos da loja que foram cadastrados pelo proprietário. Ou seja, funciona como um Google Maps para lojas, utilizando realidade aumentada. Essa tecnologia ainda é um protótipo, sendo assim muita coisa pode mudar.

 A câmera é utilizada pelo Google VPS para entender onde o usuário está, pois não é possível usar o GPS num espaço pequeno como o interior de uma loja. Assim, o reconhecimento de imagem é utilizado como uma forma de definir onde você se encontra.

O VPS será fundamental para as interfaces baseadas em câmera. Este serviço será um componente do Google Lens.

Com esses novos elementos até o trabalho do SEO irá mudar. Voz e imagem terão que ser considerados para melhorar o ranqueamento nos search engines.

Considerar estas novas tecnologias para descomplicar a busca, evitando identificar palavras-chaves, seus sinônimos e contextos é um caminho sem volta. Usar esses recursos para fazer um marketing mais eficiente também.

Saiba mais

Google Assistant

Google Lens

Snapchat

VPS

Autora: Nidia Caldas - Analista do Sebrae

Conheça outras Tendências Digitais para potencializar a competitividade do seu negócio

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: