this is an h1

this is an h2

Fri Feb 18 18:39:18 BRT 2022
Mercado e Vendas | MARKETING
E aí, vamos falar de moda? Como vender on-line através de marketplace?

Empreendedor de moda, quer vender on-line? Conheça a praticidade e a potência de anunciar em grandes lojas digitais

· 02/04/2020 · Atualizado em 18/02/2022
Imagem de destaque do artigo

Imagine ter seus produtos expostos em grandes lojas, como Netshoes, Dafiti, Amazon, Submarino ou Magazine Luiza. Você acha que essa realidade está muito distante de você? Na verdade, essa iniciativa pode ser mais fácil do que você pensa.

O marketplace é uma plataforma que reúne diversas lojas virtuais em seu espaço, como se fosse um shopping on-line. Esse site costuma pertencer a uma grande empresa digital, a qual “empresta” seu nome, seu espaço e sua operação para você, lojista — que, nesse shopping on-line, pode ser chamado de seller — expor e vender seus produtos em troca de uma taxa de serviço e uma comissão por venda realizada.

O marketplace reúne diversos fornecedores e os conecta diretamente aos seus clientes. Nessas plataformas, produtores têm a possibilidade de ofertar valores mais competitivos, ampliar a clientela e ainda obter uma boa margem de lucro. Segundo a plataforma Ebit/Nielsen, que mensura os números do mercado brasileiro do comércio digital, o e-commerce alcançou a marca histórica de R$ 87 bilhões em vendas no Brasil em 2020. Além disso, o setor registrou um crescimento de 52% no ano, o que resultou em R$ 73,2 bilhões para a categoria.

Na prática, o marketplace funciona assim: lembra das grandes lojas citadas no início do texto? Faça uma experiência, acesse o site de uma delas e procure por um item. Você vai perceber que são exibidas diversas opções de revendedores. Por exemplo, ao buscar um produto na Dafiti, você verá que ele pode ser “vendido e entregue pela loja da Maria” ou “vendido pela loja da Maria e entregue pela Dafiti”. Entendeu a dinâmica?

E, para você começar a usufruir dos benefícios dessa forma de venda, preparamos algumas dicas de como vender on-line sem ter um e-commerce.

Esse conteúdo é tão amplo que foi dividido em duas partes, para que você possa entender com mais facilidade! Acompanhe as ideias abaixo e transforme as vendas digitais em uma  grande oportunidade de vendas. E não deixe também de conferir a parte 1 – Como vender no Instagram e WhatsApp!

 

PARTE 2 – MARKETPLACE

Qual é a diferença entre marketplace e e-commerce?

O marketplace é um espaço determinado pela plataforma, e é preciso estar sujeito às especificações estabelecidas por ela. Em contrapartida, facilita muito a operação, uma vez que é possível contar com algumas vantagens, como meios de pagamento variados, logística de entrega e distribuição via parceiro.

Já o e-commerce é um site exclusivo da sua empresa. É uma loja on-line desenhada especificamente para sua marca, para a qual você pode escolher o melhor modelo e formato, além de poder customizá-la. Para lojas de moda, essa opção pode até ser interessante, uma vez que é possível adaptá-la ao seu segmento e ao seu público. 

Marketplace de nicho

Pensando no futuro do varejo on-line, a principal tendência do setor são os marketplaces de nicho. Contrariamente ao modelo amplo, como o Mercado Livre, a Amazon e o Magazine Luiza, esse novo formato foi desenvolvido para atender as demandas de um público específico.

Plataformas como Zé Delivery e Enjoei oferecem seus próprios benefícios aos vendedores, entre as quais está a capacidade de alcançar as pessoas certas, ou seja, vender para o público com maior probabilidade de comprar. Essas vendas são mais assertivas e apresentam menos chances de cancelamento, devolução e até mesmo rejeição.

Como começar a vender por meio de um marketplace?

Basicamente, o marketplace funciona como uma vitrine on-line, onde vendedores expõem seus produtos. O processo começa com o cadastramento do lojista, que fornece dados como CPF ou CNPJ, endereço e nome da loja. Além dessas informações, é preciso aderir a um plano que vai garantir a exposição dos produtos e a porcentagem da comissão a ser repassada  para a empresa (markeplace).

Depois do cadastramento, um painel vai ser disponibilizado para que os produtos sejam organizados, precificados e colocados em categorias já preestabelecidas. É importante usar fotos de qualidade e nomear corretamente os itens para que eles apareçam junto aos seus similares. Vale a mesma regrinha do Instagram. Não esqueça, principalmente no mercado de moda, que a qualidade das fotos e a correta descrição do seu produto são muito importantes!

Além da parte de catálogo, o marketplace também oferece espaços específicos que mostram os status das vendas, o faturamento da loja, os produtos a serem enviados e as métricas.

Existem marketplaces específicos para produtos de moda?

Sim! Existem desde plataformas mais amplas, mas com categorias específicas para a moda – como é o caso de Mercado Livre, Amazon e Magazine Luiza –, até outras mais específicas, com alguma segmentação atrativa para seus clientes e uma maior qualificação, o que facilita suas vendas.

Como funcionam os pagamentos?

Na maioria das vezes, o sistema de pagamento de um marketplace é oferecido pela própria plataforma. Isso proporciona ao cliente o acesso às mais diversas maneiras de quitar as despesas realizadas no site, por meio de cartões de crédito, depósitos e boletos bancários, por exemplo. A plataforma se responsabiliza por repassar a quantia para a empresa parceira. Ou seja, o vendedor não precisa utilizar sistema próprio para o recebimento dos valores relativos às vendas.

 Mercado Azul: o marketplace do Sebrae

O Mercado Azul é o marketplace do Sebrae. Seu maior objetivo é inserir os pequenos negócios em um ambiente digital, fazendo que os produtos e serviços apareçam nos resultados de busca do Google. Sua principal vantagem é que é totalmente gratuito. A plataforma permite fazer promoções por período, ou por produtos/serviços, e é integrado a redes sociais como Instagram. Também permite contato direto com os clientes via WhatsApp, redes sociais, e-mail e telefone, aproximando quem quer vender de quem quer comprar.

Quais são as vantagens do marketplace para lojas de moda?

A internet é um campo fértil e produtivo, e é um erro ignorar o potencial das vendas on-line. É claro que vender nos melhores marketplaces pode trazer muitas vantagens ao pequeno empreendedor do setor da moda. Veja algumas:

  1. Visibilidade

Diferentemente do e-commerce, onde é preciso trabalhar bastante na divulgação, atuar em um marketplace permite que os clientes cheguem até você de diversas formas. Uma delas será a grande procura dos clientes por produtos diversos em uma grande loja on-line, chegando até a sua marca. A partir daí, ele pode se interessar por seus produtos e aumentar sua recompra. Se você tem um Instagram comercial, pode direcioná-lo para sua loja no marketplace.

  1. Legitimidade

Outra  questão importante em torno das compras on-line é a segurança que a loja proporciona ao seu produto. Se você é novo no mercado, talvez esteja perdendo vendas porque alguns visitantes ainda não confiam na sua marca. Por isso, contar com a legitimação de uma grande empresa em formato de marketplace é vantajoso.

  1. Custo-benefício e velocidade

É claro que você vai precisar pagar taxas para fazer suas vendas, mas elas podem compensar bastante, considerando o número de clientes que você pode atrair por mês. Importante considerar que, no marketplace, o investimento de entrada é muito baixo, um fator fundamental nesse período de crise. Velocidade também é um diferencial importante, e iniciar suas vendas via marketplace pode ser bem mais rápido que abrir uma loja própria.

  1. Praticidade e estrutura de fácil manutenção

Uma vez que o desenvolvimento e a manutenção da estrutura do marketplace ficam a cargo do operador, as plataformas são otimizadas para que todas as operações sejam feitas da forma mais simples possível. Assim, o registro na plataforma, o cadastro de produto, o controle de estoque, a compra e venda e a análise de performance da loja são processos desenhados de maneira intuitiva.

  1. Transações

 Normalmente os operadores são responsáveis por gerenciar toda a estrutura de pagamento do marketplace, por isso é necessário que o vendedor preste atenção aos prazos e às condições para recebimento.

Quais são as desvantagens do marketplace?

Usar essa forma de vendas na web também tem algumas desvantagens, e é sempre importante ficar atento para não se tornarem armadilhas. Veja alguns exemplos.

  1. Concorrência

Assim como você, muitos outros lojistas podem estar vendendo produtos similares na mesma plataforma a custos mais baixos. Além disso, em geral, a empresa dona do marketplace também vende e entrega itens, fazendo com que muitos visitantes escolham comprar na loja “mãe” e não em um revendedor.

  1. Limitações

A maioria dos marketplaces brasileiros possui regras um pouco rígidas, principalmente relacionadas ao pagamento. Por exemplo, mesmo que você finalize uma venda e entregue o produto, por vezes, vai ter de esperar até o prazo de liberação dos valores. Por isso, é importante sempre conhecer as normas e se programar.

Dicas para potencializar suas vendas via marketplace

Para começar a vender seus produtos em um marketplace, confira as dicas abaixo que vão lhe ajudar a converter mais vendas. Se você as seguir, já sai na frente de muitos concorrentes.

  • Fotos de qualidade

As fotos, em geral, são o primeiro contato que o visitante de um marketplace tem com seu produto. Para os produtos de moda, então, esse quesito é mais que fundamental. Por isso, invista em imagens de qualidade e que explorem todo o potencial de suas peças. Não deixe de apresentar cada item em vários ângulos e cores; quanto mais detalhes, melhor. É desse jeito que seu catálogo pode se destacar e ganhar mais visibilidade. Lembre-se que os perfis de fotos variam também de acordo com o tipo de produto: por exemplo, fotos de acessórios pedem um zoom maior que fotos de roupas, pela riqueza de detalhes que são exigidos pelos consumidores no momento da compra.

  • Descrições fiéis

Comprar na internet ainda pode ser um desafio para muita gente que não sente segurança nesse processo. É preciso ganhar a confiança do consumidor, e uma estratégia para isso é fornecer o máximo possível de informações sobre cada produto. Assim, comunique o modelo, o tecido, a cor e qualquer outro padrão que sua peça possa ter. O visitante da sua loja não vai ficar em dúvida sobre o item que está adquirindo, nem vai desistir da compra por falta de detalhes.

  • Atendimento eficiente

O que muito se vê no comércio eletrônico são clientes insatisfeitos com o atendimento on-line das lojas onde realizaram suas compras. Muitas empresas deixam sua clientela praticamente desamparada, sem informação, satisfação e contato. Oferecer um atendimento de qualidade e personalizado fará com que você conquiste seu público e ganhe pontos no mercado digital. Apresente dicas sobre o uso das peças, ou mesmo direcione para o seu canal de conteúdo no Instagram (se você tiver um), responda sobre opções de troca, entre outros.

  • Conteúdos em vídeo

Utilizar vídeos para apresentar o produto e sua forma de uso atrai a atenção dos consumidores indecisos.

  • Palavra-chave (palavra principal que define o produto)

A escolha correta da palavra-chave é fundamental para o cliente localizar os produtos ofertados pela empresa.

O marketplace é uma das formas mais fáceis, práticas e rentáveis para entrar no digital, apostar nas vendas on-line e fazer sua empresa expandir. Esse novo modelo de negócio se tornou um dos suportes do micro e pequeno empreendedor na pandemia, e continua sendo uma grande oportunidade de negócio.

Confira os 13 marketplaces para vender moda na internet.

Ainda não leu a Parte 1?

Então leia agora Como vender no Instagram e WhatsApp.

Vá em frente e boas vendas!

 
 

O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Precisa de ajuda?

Nós temos especialistas prontos para atender você e o seu negócio de forma online e gratuita.

Acesse agora