this is an h1

this is an h2

Pular para o conteúdo principal
Thu Mar 18 14:14:04 BRT 2021
Empreendedorismo | COMÉRCIO
Desafios e oportunidades para artesãos em 2021

Você gosta de viver da sua arte? Conheça fatores-chave para mudar de patamar e se tornar um artesão de sucesso

· 26/02/2021 · Atualizado em 18/03/2021
Imagem de destaque do artigo

A produção manual de objetos, geralmente com matérias-primas naturais, é chamada de artesanato. Com a mecanização cada vez mais presente no nosso cotidiano, o artesão passou a ser considerado como aquele que produz objetos que pertencem à cultura popular. Por representarem e reforçarem os costumes, as características, a arte e a história de um povo ou comunidade, ele desempenha um importante papel na sociedade.

O artesanato também está diretamente relacionado a vários setores, entre eles o turismo. Alguns destinos chegam a ser reconhecidos pelos produtos que retratam a cultura local. Por tudo isso, o Sebrae valoriza essa classe de trabalhadores e promove diversas iniciativas para apoiá-los. Neste texto você vai conhecer os fatores-chave para fazer de 2021 o ano do seu sucesso como artesão.

6 fatores-chave para alcançar o sucesso no artesanato

1. Técnica e autenticidade

O artesanato possui incontáveis técnicas e estilos. É geralmente feito com ferramentas caseiras, podendo suas matérias-primas ser objetos recicláveis; materiais retirados diretamente da natureza, como barro, palha e madeira; ou restos de produtos industrializados.

Independentemente do método ou da matéria-prima utilizada, é importante que os produtos tenham personalidade e sejam autênticos. Por isso, o artesão deve estar em constante aprimoramento, sempre buscando novas técnicas ou novas habilidades dentro da técnica utilizada. Para isso, é importante acompanhar feiras e armarinhos da região e estudar tendências da moda, como cores, acessórios e insumos. Assim, suas peças estarão sempre atuais e terão mais chances de serem vendidas e utilizadas.

Existem canais no YouTube, livros, revistas e cursos que podem o ajudar a se tornar um artesão cada vez mais qualificado. Um deles é o Canal do Artesanato. Confira!

O Sebrae é um dos principais parceiros dos artesãos. As unidades regionais trabalham com o segmento por meio de workshops, cursos e eventos. Procure o Sebrae mais próximo da sua casa e participe.

2. Vendas e marketing

Um dos maiores desafios de um artesão é a venda de seus produtos. Muitos já dominam técnicas e matérias-primas e, com muito talento, produzem artesanato de primeira qualidade. Alguns, contudo, acabam sem saber como fazer com que seus produtos sejam vendidos e se convertam em renda; como calcular preços; e como realizar uma boa divulgação? Não tem mágica. Assim como todo negócio, são necessários alguns passos para se tornar reconhecido no ramo. Um planejamento bem feito, com público-alvo, objetivos, planos e metas bem definidos, pode fazer toda a diferença.

Além disso, existem técnicas de venda e de marketing que podem ser aplicadas para aumentar suas vendas. Atualmente, ferramentas digitais on-line são essenciais para tornar seu produto conhecido, especialmente se considerarmos a situação de pandemia do coronavírus, que fechou feiras, eventos e comércios físicos.

Dessa forma, o Portal Sebrae disponibiliza cursos de marketing e marketing digital gratuitos para artesãos e outros profissionais se prepararem para o mercado. Outra ferramenta é a plataforma Mercado Azul, uma vitrine de negócios on-line. Lá, você encontra empresas que fornecem produtos e prestam serviços, compara as melhores e contrata aquela que deseja para o seu negócio.

3. Capacitação

Um bom artesão, que se instrui além do trabalho manual, buscando conhecimentos em outras áreas para se tornar um empreendedor mais completo, possui maiores chances de alcançar o sucesso. Capacitar-se em áreas como empreendedorismo, contabilidade, finanças e marketing pode ser um grande diferencial para fazer seu negócio deslanchar. Apesar de haver uma legislação que apoie a profissão, quase todos os artesãos são autônomos.

Dessa forma, uma boa gestão financeira e noções de administração de negócios podem mudar seu patamar. Aqui no Sebrae, você encontra diversos cursos gratuitos e on-line que podem ajudá-lo nesse caminho.

4. Parcerias

A parceria com outros profissionais pode aumentar o seu leque de atuação e impulsionar suas vendas. Além disso, lhe dá a oportunidade de trocar conhecimentos e realizar eventos para que o crescimento e a evolução profissional sejam compartilhados. Outra forma de trabalhar em conjunto com outros profissionais é repassando aquilo que você sabe. Quanto mais você ensinar, mais experiência nas técnicas você adquirirá. O conhecimento deve sempre ser compartilhado. Por isso, realize workshops e ensine por meio de posts nas redes sociais para incentivar o desenvolvimento de outros artesãos e, consequentemente, do setor do artesanato.

5. Carteira Nacional do Artesão e do Trabalhador Manual

Uma dica interessante é a Carteira Nacional do Artesão e do Trabalhador Manual, criada pelo Programa do Artesanato Brasileiro. Trata-se de uma identificação nacional para artesãos e trabalhadores manuais de todo o Brasil, existente desde 2012.

Prevista pela Lei nº 13.180/2012, que regulamenta a profissão, a carteira garante o reconhecimento do trabalho de artesãos e/ou trabalhadores manuais e lhes garante vários outros benefícios. Entre eles, estão: a possibilidade de participação em feiras de artesanato nacionais e internacionais; o acesso a incentivos fiscais; e a facilitação do microcrédito, entre outras vantagens. 

Saiba mais sobre a carteira >

6. Formalização

Quem é trabalhador autônomo vive, em geral, sem saber se um dia conseguirá se aposentar e ter uma vida tranquila na chamada “melhor idade”. Para atingir esse objetivo, é essencial contribuir para a Previdência. Até recentemente, os artesãos não tinham essas garantias resguardadas por lei. Porém, isso mudou em 2020, quando a profissão foi incluída na categoria de contribuinte individual. O Decreto 10.410 de 30 de Junho de 2010 garante, além do direito à aposentadoria, outros importantes benefícios, como auxílio-doença e licença-maternidade.  

A formalização do seu negócio pode ser feita como MEI (Microempreendedor Individual). Além de garantir os direitos trabalhistas atrelados ao INSS, a burocracia e os encargos relacionados ao recolhimento de impostos são muito menores.

Ao se cadastrar como MEI, você pagará uma taxa mensal que unifica todos esses impostos. Poderá fazer negócios com outras empresas, como colocar seus produtos para serem revendidos em lojas, eventos e feiras, entre outras oportunidades.

Saiba mais sobre as regras e como abrir o seu MEI.

 


O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Conteúdo relacionado