GESTÃO DE PESSOAS

Rotatividade de colaboradores é recorrente no varejo

O problema está na remuneração baixa e no fato desse mercado ser trampolim para outras carreiras.

No segmento de vendas, a capacidade de relacionamento é indispensável para a carreira de um bom vendedor, assim como investimentos da empresa na equipe de trabalho. A formação de uma boa equipe começa no processo de seleção. A empresa deve escolher pessoas que possam contribuir para a melhoria dos resultados.

Uma das principais dificuldades encontradas no varejo é a falta de comprometimento por parte dos funcionários. Como o comércio varejista normalmente trabalha com margens pequenas de lucro, a remuneração baixa desestimula o empregado.

Embora a oferta de emprego pelo setor seja alta, muitas pessoas sem afinidade com o comércio se candidatam às vagas, por vislumbrar a possibilidade de ganhos mais rápidos e de adquirir experiência profissional.

Outro problema quanto à gestão de pessoas no setor varejista é o número de candidatos jovens. A maioria, ainda sem futuro profissional definido, utiliza o varejo como um trampolim para as outras áreas. Por esses e outros motivos, o índice de rotatividade de empregados no setor varejista é considerado alto.

Quando a empresa opta por contratar alguém sem experiência, ela está a apostar no desempenho do funcionário. O treinamento, neste caso, é fundamental, pois o vendedor pode ser o profissional que fideliza ou afasta os clientes, a depender do grau de conhecimento que ele tem do trabalho. Mesmo que conheça os produtos que vende, o funcionário precisa ter noções de relacionamento interpessoal e de comunicação.

Varejo Mais

A identificação desses gargalos do setor varejista foi a base para o treinamento das equipes de trabalho das cinco mil organizações envolvidas no Programa Varejo Mais, no Paraná. As dificuldades foram avaliadas por uma equipe de consultores do Sebrae durante uma ação chamada cliente oculto.

Nela, consultores disfarçados de consumidores avaliaram o atendimento dos funcionários das empresas e traçaram um diagnóstico com os pontos a serem melhorados.

A simulação de compra resultou em informações sobre:

  • A imagem do vendedor;
  • O relacionamento interpessoal;
  • A acolhida do cliente;
  • A técnica da venda;
  • A superação de obstáculos.

Os consultores avaliaram o nível da equipe de vendas e sugeriram o treinamento adequado, para tentar suprir as necessidades apontadas.

O programa Varejo Mais também ajudou aos lojistas a melhorarem e ampliarem a gestão das lojas. O programa está presente em mais de 100 cidades paranaenses e conta com a parceria da Federação do Comércio do Paraná, prefeituras, associações e sindicatos do comércio dos municípios envolvidos.

Saiba mais sobre o Varejo Mais

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: