this is an h1

this is an h2

Fri Oct 15 15:12:43 BRT 2021
Empreendedorismo | EMPREENDEDOR
Resiliência empreendedora: como enfrentar os desafios de empreender

Resiliência é uma competência nos empreendedores e nos negócios bem-sucedidos. Ela pode ser vista como uma condição necessária ao sucesso. Sem ela, nada feito!

· 15/10/2021 · Atualizado em 15/10/2021
Imagem de destaque do artigo

Existem muitos benefícios em empreender, como a liberdade, o senso de propósito e o potencial de crescimento. Entretanto, também existem desafios e quase nenhuma garantia de que o negócio dará certo. Por isso, é preciso contar com a resiliência empreendedora.

Antes de explicar o conceito, imagine o seguinte: uma empreendedora que abriu uma loja do zero. Ela investiu o seu tempo, a sua energia e o seu dinheiro na empresa e, agora, quer crescer. O ponto é que esse crescimento, caso se concretize, não ocorrerá em linha reta. Existirão altos e baixos, dias bons e maus. Em vista disso, a empreendedora deverá persistir em seu objetivo.

Nos tópicos seguintes, ganharemos profundidade no assunto. Explicaremos o que resiliência empreendedora significa, quais são os seus benefícios e como desenvolvê-la. Boa leitura!

Afinal, o que é resiliência empreendedora?

O termo resiliência, hoje bastante aplicado aos negócios, tem origem na Física e refere-se à capacidade de determinados materiais voltarem ao seu estado natural, após certa tensão ou deformação. Alguns materiais apresentam alta resiliência e outros, não.

A título de exemplo, pense em uma esponja. Você pode apertá-la com força e, mesmo assim, após soltá-la, verá que volta ao estado natural. O oposto acontece com uma página de papel. Se você amassá-la, ela não voltará ao estado natural. A esponja tem alta resiliência. O papel não tem.

A resiliência empreendedora refere-se justamente à capacidade de o empresário "voltar ao seu estado natural", mesmo após desgastes e imprevistos. Ou seja, é um tipo de força que faz o empreendedor continuar tentando, persistindo e buscando o seu objetivo.

Da mesma forma que os materiais, eles contam com diferentes graus de resiliência. Alguns desistem logo nos primeiros desafios, deixando de lado o seu negócio. Já outros suportam grandes adversidades, nutrindo bastante foco e entusiasmo.

Qual é a importância da resiliência para empreendedores?

Quando o assunto envolve resiliência nos negócios, boas questões são: por que empreendedores devem continuar tentando? Persistir em um objetivo, apesar das adversidades, é saudável e digno de crédito? Os empreendedores contam com benefícios ligados à resiliência?

Para responder a essas questões e avaliar a importância da resiliência, é preciso entender o núcleo da atividade empreendedora: resolver problemas. Empreendedores criam negócios para resolver problemas do mercado, ajudando a suprir necessidades não satisfeitas.

O ponto é que resolver um problema, qualquer que seja ele, dá trabalho. É preciso haver uma boa solução, a aplicação de recursos e paciência. Também é necessário superar muitos entraves, como tecnologias incipientes, excesso de regulamentação e concorrência desleal.

Portanto, algum grau de resiliência não é somente importante, é essencial para quem quer abrir um negócio e suprir necessidades de mercado. Sem resiliência, é impossível continuar com a ideia empreendedora. Outros benefícios ligados ao assunto estão pontuados a seguir:

  • ajuda a vencer as adversidades;
  • aumenta o foco no que realmente importa;
  • ajuda a melhorar continuamente o empreendimento;
  • forja empreendedores mais fortes e inteligentes;
  • aumenta as chances de sucesso do negócio.

Em última análise, a resiliência do empreendedor está diretamente ligada à manutenção do empreendimento e ao sucesso de longo prazo — logo, tornando-se uma condição necessária ao empreendedorismo. Adiante, apresentaremos dicas para desenvolver tal competência.

Como treinar e desenvolver a resiliência empreendedora?

Desenvolver a resiliência não é necessariamente algo agradável, afinal, como explicado, a resiliência é avaliada em momentos de incerteza, desgaste e perda. Mesmo assim, essa pode ser uma das mais importantes competências dos empreendedores, inclusive dos iniciantes.

Entre as práticas para treiná-la e desenvolvê-la, pode-se destacar: não delegar problemas, criar uma rede de suporte e extrair lições dos desafios, bem como aprender com outros empreendedores. Nos tópicos seguintes, explicaremos essas e outras dicas.

Não terceirize problemas

Ao administrar um negócio, invariavelmente, existirão problemas — liderados que querem deixar a empresa, clientes insatisfeitos e produtos mal acabados, entre muitos outros. Lidar com eles pessoalmente, sem ressalvas, pode ser um ótimo exercício para a resiliência.

É importante destacar que a resolução de problemas torna o empreendedor mais maduro e experiente, além de resistente às adversidades. À medida que um inconveniente é enfrentado, o empresário pode se tornar mais hábil e bem preparado para desafios futuros.

Crie uma rede de suporte

Lidar pessoalmente com os problemas não significa trabalhar sozinho, muito menos atuar de maneira isolada das outras pessoas. Na realidade, um profissional isolado pode tornar-se menos resistente, visto que não conta com uma rede de apoio nos momentos críticos.

Nesse caso, cerque-se de pessoas boas e que estimulam a sua ideia empreendedora — gente que você admira, que também é persistente e que pode estimular o seu desenvolvimento. Nos momentos mais críticos, é importante ter pessoas confiáveis e amigáveis ao lado.

Sendo assim, vale participar de mais feiras empreendedoras, de reuniões com pessoas que compartilham do senso empreendedor e até conversar mais com familiares que incentivam a sua criatividade. Assim, naturalmente, você construirá uma ampla e resistente rede de suporte.

Desenvolva a sua inteligência emocional

Uma importante aliada da resiliência é a inteligência emocional. Por isso, vale a pena entendê-la melhor e desenvolvê-la com o tempo. Pense nessa inteligência como o grau de habilidade para lidar com as suas emoções e com as emoções de outras pessoas.

Indivíduos com um elevado senso de inteligência emocional conseguem entender melhor a si mesmos, administrar melhor os seus sentimentos e manter um elevado nível de motivação nos momentos mais difíceis. Por isso, é algo muito indicado aos líderes e empreendedores.

Daniel Goleman, psicólogo norte-americano, diz que a inteligência emocional conta com cinco pilares. São eles: o autoconhecimento, o autocontrole, a automotivação, a habilidade social e a empatia. Ao desenvolver tais pilares, mesmo nas crises, você será uma pessoa sóbria.

Extraia lições dos desafios

Um bom exercício é pensar nas adversidades como uma lição. Ou seja, como um meio ao seu aprendizado e ao seu crescimento pessoal. Essas lições, ao longo do tempo, tornarão você mais sábio e consciente e também afiarão o seu instinto empreendedor.

Portanto, ao lidar com um problema, em vez de pensar demasiadamente nos inconvenientes e nas adversidades, avalie as lições que podem ser extraídas. Como tal desafio pode fazer de você um empreendedor melhor? Nesse aspecto, empreender vale por um MBA completo!

Lembre-se do seu propósito

Ganhar dinheiro é apenas uma parte da equação empreendedora. Existem muitas outras coisas que fazem alguém empreender, como a vocação e a vontade de solucionar problemas ou de ajudar a mudar a vida de outras pessoas. Portanto, existe um propósito maior.

Para desenvolver a sua resiliência, lembre-se continuamente do seu propósito e da proposta da sua empresa no mercado. Nos momentos mais difíceis, isso pode revigorar as suas energias e também garantir que você continue caminhando na direção certa ao longo do tempo.

Se você ainda não conta com uma noção clara do seu propósito, aproveite para refletir um pouco sobre ele. Além de ganhar dinheiro (sim, isso importa), o que mais você deseja? Qual é a sua ambição em longo prazo? O que fez você assumir riscos no mundo dos negócios?

Espelhe-se em outros empreendedores

Outra dica importante é espelhar-se em empreendedores que já estão no mercado e que conseguiram arquitetar negócios realmente bem-sucedidos. Essas pessoas provavelmente passaram por muitos desafios e persistiram, o que você também deve fazer.

Nesse caso, crie uma lista com três ou cinco empreendedores que você admira. Podem ser pessoas com peso global, como o Steve Jobs (Apple), ou alguém menos conhecido, como um amigo ou um familiar. Depois, estude a sua história, os desafios e as superações, objetivando aprender.

Felizmente, atualmente, existem muitos canais para conhecer histórias empreendedoras e construir boas referências — redes sociais (Twitter ou Instagram, principalmente), podcasts e livros, por exemplo. Nos próximos tópicos, apresentaremos alguns cases de resiliência.

Quais são os principais casos de sucesso em resiliência?

Quando o assunto envolve resiliência empreendedora, há uma enorme quantidade de casos de sucesso. Na verdade, quase todo negócio bem-sucedido tem por trás um empreendedor que lidou com grandes desafios, como crises e mudanças drásticas. Veja alguns casos a seguir.

Luiza Helena Trajano

Um ótimo caso é o da Luiza Trajano, nome à frente da Magazine Luiza, empresa brasileira de varejo multicanal. Assim que assumiu a liderança da companhia, em 1990, veio o Plano Collor e confiscou o dinheiro de todos. A empreendedora também tem um quadro de todas as grandes crises que enfrentou e ela própria se considera a "CEO das crises".

Jorge Paulo Lemann

Outro grande exemplo é o de Jorge Paulo Lemann, nome à frente de algumas empresas, como Ambev e Lojas Americanas, entre muitas outras. O empreendedor passou por muitos desafios, como aquisições agressivas, crises globais e cisões. Segundo o próprio Lemann, nos momentos de crise, "é importante ficar calmo, ajustar-se às mudanças e inovar". Ou seja, seguir.

Geraldo Rufino

Que tal aprender com alguém que, após "quebrar" cinco vezes, fatura mais de R$ 50 milhões ao ano?! Esse é o caso de Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel, que atua no segmento de reposição de peças para caminhões pesados. O negócio começou com um acidente. Alguns caminhões de Rufino, que era dono de frota, envolveram-se em um acidente e, para pagar os custos, o empreendedor precisou desmontar os caminhões avariados e vender as suas peças.

Como explicado, esses são apenas alguns dos casos de resiliência empreendedora. Existem muitas outras histórias. Sem resiliência, é difícil — talvez impossível — criar um negócio de sucesso.

Veja, agora, você está por dentro do assunto, sabe o que é resiliência empreendedora, qual é a sua importância, como desenvolvê-la ao longo da jornada e quais casos podem contribuir para o seu crescimento. Lembre-se sempre de que o caminho empreendedor não é fácil e envolve altos e baixos, com dias bons e maus, então, é preciso persistir e lembrar-se do seu propósito.

Gostou do nosso artigo, certo? Aproveite, agora, para assinar a nossa newsletter para receber as novidades diretamente em seu e-mail. Vamos lá!


O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

Precisa de ajuda?

Nós temos especialistas prontos para atender você e o seu negócio de forma online e gratuita.

Acesse agora