INTELIGÊNCIA COMPETITIVA

Internet das Coisas é considerada futuro da tecnologia

Crescimento da integração entre o real e o virtual abre novas oportunidades de investimento no setor de TI.

Como consequência dos intensos avanços tecnológicos, o universo digital tem se aproximado cada vez mais do mundo real. Ações comuns da vida diária estão cada vez mais conectadas e menos dependentes da intervenção direta do homem. Trata-se que de um advento hoje conhecido como a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).

Alguns exemplos simples de avanços nesse sentido são as fechaduras que podem ser abertas com a proximidade do proprietário – o que já está disponível para diversos modelos de carros e também para residências.

Lâmpadas, sistemas de segurança e diversos eletrodomésticos que podem ser controlados a distância por meio de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, também já são realidade. E outros tantos avanços estão em teste.

Em um futuro próximo, devem chegar ao mercado, por exemplo, os veículos capazes de, através de câmeras instaladas em seu interior, reconhecer se a pessoa que está tentando acioná-lo é de fato o proprietário. Quando o motorista não for reconhecido, a pessoa será fotografada pelo próprio carro, e a imagem será enviada para o celular do dono.

Como funciona

Essa nova forma de relacionamento entre pessoas e objetos é possibilitada pelo desenvolvimento de uma série de tecnologias de transmissão de dados. Entre as mais comuns, hoje, estão o Wi-Fi, Bluetooth e NFC.

Para autenticar esses objetos e aparelhos, possibilitando sua conexão com a internet e as grandes bases de dados, também é necessário um sistema eficiente de identificação. É onde entram as tecnologias de Identificação por Radiofrequência (RFID).

Atualmente, os smartphones, por seu papel cada vez mais central no dia a dia das pessoas, têm sido um dos principais focos de instalação dos leitores de RFID. Máquinas para pagamento via cartão de crédito, por exemplo, podem utilizar a tecnologia para que, através do celular, a transação seja autorizada – dispensando o uso do cartão plástico.

Algumas redes de hotéis também já aplicam soluções desse tipo. É possível, por exemplo, enviar uma espécie de “chave digital” para o smartphone do hóspede, que, por sua vez, consegue destravar a porta do quarto utilizando o aparelho celular.

O futuro

A Internet das Coisas possui um alto potencial ainda não explorado. Por isso, há uma forte expectativa de crescimento no setor de Tecnologia da Informação (TI) ao longo dos próximos anos, especialmente com o desenvolvimento de aplicações voltadas para áreas como transportes, eletrodomésticos, telefonia e até mesmo vestuário.

Levantamentos recentes da empresa de consultoria Gartner apontam que, até 2020, mais de 50 bilhões de objetos estarão conectados. A previsão, somente para o ano de 2016, é de um crescimento em torno de 30% em relação a 2015.

Ainda segundo a Gartner, qualquer empreendimento de TI que invista em Internet das Coisas precisará desenvolver plataformas capazes de responder, em tempo real, a milhares de aplicativos, dispositivos e sensores que estarão conectados ao mesmo tempo. Os investimentos devem ir desde a arquitetura de serviço à infraestrutura da rede.

Outra grande expectativa de crescimento é o da computação em nuvem. Por meio dela, dados, informações, recursos e aplicativos são disponibilizados através da internet, evitando que ocupem a memória interna do dispositivo e facilitando a integração de diversos aparelhos diferentes.

Artigo produzido pela Avante Brasil em coautoria com a Coordenadora Nacional de Tecnologia da Informação, Rosana Cristóvão de Melo, e informações da Gartner.
 

Voltar à página principal de tecnologia da informação

O conteúdo foi útil para você?

  • Sim
  • Não

Enviado com sucesso! Agradecemos sua ajuda.


Compartilhe: